terça-feira, 31 de outubro de 2006

O REFERENDO

"Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas dez primeiras semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado"

Leio e releio e volto a ler a pergunta do referendo.
Tento descortinar as razões da dita despenalização tão apregoadas, para as mulheres com problemas graves e tão diversos que vão sendo enunciados.
Apenas vejo a liberalização total do aborto, seja porque razão for, desde que seja "opção da mulher".
A "opção da mulher", do homem, nunca pode ser contra vida.
Porque se afadigam tanto em tentar demonstrar que aquela vida, não é vida.
Para tranquilizar as consciências.
Somos aquilo que somos porque uma mulher e um homem um dia nos geraram e disseram sim à vida, a mesma vida que agora não queremos reconhecer.

12 comentários:

J disse...

Será que cada mulher manda na sua barriga? ou será que o que cresce na sua barriga é um projecto de Deus, é um dom, que foi gerado não por uma mas por 2 pessoas?

Deve ser uma questão dificil...imagino

Pensar Cristo disse...

Interrupção... o interruptor é aquele botãozinho que ligamos e desligamos quando queremos (e sempre que queremos!), para dar (à) luz ou apagá-la! Será que quem fez esta pergunta não percebe que aquela vida corporal não se volta a... "acender"? "Interromper a gravidez" não é uma maneira mais bonita de dizer "interromper a vida que está lá dentro"? Aquela vida não foi interrompida, foi muito mais que isso, foi acabada! Morreu! Será que têm medo de usar os nomes? Só têm medo da palavra aborto, não têm medo do aborto em si? A pergunta está feita de uma forma meiguinha por aqueles lobos que vestem pele de cordeiro para levar outros atrás. As clínicas vão-lhes dar muito dinheiro com esta cultura da morte... Desculpa Joaquim a minha indignação, mas é impossível não pensar nisto sem o meu coração ficar apertado.

António

joaquim disse...

j Obrigado pela visita.
Pois é. São duas pessoas, mas só uma é que pode decidir, pelos vistos.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Caro António
Indigna-te à vontade, porque eu te faço companhia.
Uma das coisas que mais me irrita, (desculpa a palavra), é a comparação com os outros países, como se não soubessemos o que queremos, ou como se tudo o que os outros fazem, fosse o melhor para nós e obrigacão imitar!
A falsidade está aí, nada é interrompido, mas sim acabado, morto.
Abraço em Cristo

Ana A. disse...

Os que mais ferozmente exigem o aborto como direito, fartam-se de criticar os EUA.
Ora, nisto, eles até querem que nós nos aproximemos dos tão odiados EUA - mais do que especialistas em matéria de aborto!
Isto faz algum sentido?

Mike disse...

"A "opção da mulher", do homem, nunca pode ser contra vida."

Segundo S. Paulo (e o senso comum), poder até pode...

O que é inacreditável é que exista uma qualquer lei, num qualquer país, que o deixe passar impune uma ofensa à vida humana!

A lei proposta é ridícula, porque a lei actual é ridícula... o aborto é a interrupção voluntária da gravidez... ok! (Indigno-me menos que o António neste ponto...)

Mas o que raio é que a gravidez é?

É que se é vida, torna-se a interrupção involuntária de uma vida, voluntariamente por parte de outra (vulgo, homicídio voluntário na gíria dos "homens da lei")

Se não é vida... o que chamar ao ser (não sendo vida, eventualmente não humano) que se desenvolve no ventre da mulher e ao qual a própria natureza da mulher dá a máxima prioridade... "supra" vida? "extra" vida? "mega" vida? Neste caso torna-se a interrupção involuntária de uma supra/extra/mega vida, voluntariamente por outra (vulgo, homicídio supra/extra/mega voluntário, a existir, na gíria dos "homens da lei")

Sim, uma gravidez indesejada é um problema... discutamos então o problema (neste caso, os problemas que há inúmeros e perfeitamente diferentes uns dos outros), e deixemo-nos desta patetice de discutir como problema uma suposta solução, que segundo a actual lei, mais não é do que um crime!

Confesso que a estupidez me cansa!

joaquim disse...

Cara ana a.
claro que não faz sentido, como não faz sentido termos a impressão, será certeza?, que isto do aborto é mais uma luta politica que preocupação com as mulheres.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Caro mike
obrigado pela visita e pelo comentário.
A estupidez cansa é verdade, mas ainda mais, o quererem chamar-nos estúpidos ao colocarem uma pergunta destas.
Abraço em Cristo

Caros Amigos disse...

Totalmente de acordo!

Também só consigo ver o lavar das mãos de quem devia defender a VIDA...

Anónimo disse...

Estou também de acordo e escolhi este post para "O melhor dos blogues" por achar que ele resume o pensar de grande parte dos portugueses.

A pergunta é capciosa mas a verdade virá ao de cima!...

Espero que concorde.

joaquim disse...

Caros "caros amigos"
Obrigado pela visita.
Todos não somos demais para lutar pela vida.
abraço em Cristo

joaquim disse...

caro amigo de "o melhor dos blogues"
Obrigado pela visita e pela distinção.
Tudo pela vida.
Abraço em Cristo