sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A IGREJA CATÓLICA

Vou lendo diversos blogues cristãos católicos e fico triste, muito triste.

A Igreja Católica é em alguns desses espaços muito mal tratada, é mesmo alvo de muitas criticas e ataques, alguns até de uma certa violência escrita.

E a maior parte das acusações podem resumir-se praticamente apenas numa: “abuso de poder”.

E as razões apresentadas dizem que são porque proibiu este ou aquele teólogo, porque estabeleceu determinada regra, porque não deixa as pessoas serem “livres” para fazerem o que lhes apetece, etc., etc.

Mas a acusação que mais me espanta é a de que a Igreja não interpreta verdadeiramente, não é “fiel depositária” da Doutrina de Jesus Cristo!

Mas aqueles que assim escrevem consideram-se eles próprios os detentores da “verdade” baseados em conhecimentos que não se percebe bem de onde vêm, e em interpretações da Bíblia tantas vezes feitas para darem cobertura às suas reflexões.

Não, não estou a dizer que sejam mal intencionados a maior parte deles, pelo contrário, julgo que buscam a verdade, mas infelizmente, digo eu, a sua própria verdade.

Curiosamente a autoridade doutrinária que eles recusam à Igreja de Cristo, fundada em Pedro, reconhecem-na, ou julgam-se eles detentores da mesma, fazendo afinal o mesmo de que acusam a Igreja.

Muitos deles afirmam peremptoriamente na sua escrita o que a Igreja Católica devia ou deve ser, como que intérpretes indiscutíveis da vontade de Jesus Cristo, negando aos outros, à própria Igreja, as suas interpretações, porque apenas eles não se podem enganar.

Muitas vezes a exclusão que apontam á Igreja, praticam-na eles também ao afirmarem que a Igreja é dos pobres, dos excluídos da sociedade, a maior parte das vezes apenas com uma visão material da pobreza e da exclusão, pondo de lado aqueles que estão “bem na vida”, ou que levam a vida de acordo com os valores morais comummente aceites.

E há tanto rico, que é mais “pobre” que os pobres!

E há tantos que vivem de acordo com os valores morais comummente aceites e no entanto tão afastados de Deus!

A Igreja é de todos e todos têm que nEla caber!

Jesus Cristo andou com pobres e excluídos, mas também comeu com cobradores de impostos e fariseus, que não eram nem pobres, nem excluídos da sociedade, mas pobres de Deus e “auto-excluídos” do caminho da salvação.

Não tenho dúvidas, não por qualquer revelação pessoal, mas por convicção profunda, que Jesus Cristo quando fundou a Sua Igreja em Pedro, sabia que os homens que a constituiriam seriam fracos, pecadores, que haviam de falhar muitas vezes e em muitos momentos, mas Ele também disse que: «as portas do abismo nada poderão contra ela.» Mt 16,18

E os homens falharam e continuam a falhar, mas a Igreja no seu todo, Corpo Místico de Cristo é una, santa, católica e apostólica, e enquanto tal, garante indelével da pureza da Revelação que o Pai deu aos Seus filhos, por Jesus Cristo na unidade do Espírito Santo.

Quando reflectimos na vida das Santas e Santos reparamos que por todos eles perpassam várias virtudes, uma das quais é sem dúvida a obediência por amor.

Não se venha dizer agora que foi por serem obedientes que foram “declarados” Santos, mas sim verdadeiramente porque sendo Santos tinham a graça da obediência no amor.

E com certeza que tinham a graça da obediência, porque sendo Santos, (que é afinal o que todos devíamos desejar ser), aceitavam a verdade da Palavra de Cristo, que disse: «Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu; tudo o que ligares na terra ficará ligado no Céu e tudo o que desligares na terra será desligado no Céu.» Mt 16,19, e assim sendo acreditavam e acreditam que a Igreja detêm esse poder que lhe foi dado por Deus, e mais, acreditavam e acreditam também, que se o seu caminho, as suas reflexões, os seus procedimentos estiverem em comunhão com Cristo, então mais tarde ou mais cedo a Igreja lhes dará razão, como já aconteceu tantas vezes na história da Igreja.

Porque a eles não lhes interessava ter razão, só para terem razão, porque não eram eles que eram importantes, mas interessava-lhes sim a unidade da Igreja, (para além dos homens), que não podia, nem devia ser abalada, na convicção profunda de que se fosse da vontade de Deus, aquilo que hoje podia ser causa de divisão, passaria a ser causa de mais união, comunhão e conhecimento de Deus no tempo futuro.

E não se julgue que tanto antigamente como agora nos nossos dias, eles não tinham seguidores que queriam impor as suas reflexões, os seus ensinamentos, os seus modos de viver, mas eram então eles que em obediência de amor, pelo seu testemunho de humildade, ajudavam e exortavam os outros a serem fiéis à Igreja, a serem fiéis à Palavra de Cristo.

Eles tinham feito a parte deles, orando, meditando, reflectindo, e se a Verdade lhes assistia, “competia” agora ao Espírito Santo mostrá-la aos homens da Igreja.

«O Espírito Santo e nós próprios resolvemos não vos impor outras obrigações além destas, que são indispensáveis» Act 15,28

«E nós somos testemunhas destas coisas, juntamente com o Espírito Santo, que Deus tem concedido àqueles que lhe obedecem.» Act 5, 32

Sim, também a mim por vezes me incomodam certas atitudes que a Santa Sé toma em relação a determinadas coisas, mas acredito, quero acreditar, tenho que acreditar, que o Espírito Santo assiste continuamente à Igreja, e se por vezes os homens se sobrepõe à Sua vontade, a Sua vontade acabará por se realizar porque: «as portas do abismo nada poderão contra ela.» Mt 16,18

Assim, descanso na certeza desta verdade, e oro, oro continuamente para que os homens da Igreja estejam de coração aberto, disponíveis, fiéis e perseverantes ao Sopro do Espírito Santo, amor do Pai e do Filho derramado na humanidade.

Sei que alguns dirão que esta é uma maneira simplista de ver as coisas, mas permitam-me que vos diga que não é simplista, mas simples, porque também eu estudo, medito, reflicto, analiso e abro-me ao Espírito Santo pedindo-Lhe, exigindo-Lhe até, que me faça simples, para que o conhecimento que me é dado ter, não coloque em causa a minha Fé, mas que a fortifique, que a enraíze de tal modo que quando oro o Credo, ele seja verdade na minha boca, no meu coração, na minha vida.

Com este texto não quero dizer que a Igreja não pode ser criticada, mas pelo contrário que pode e até deve, mas numa critica construtiva em que sejamos pedras vivas na construção e não “brechas” no edifício.

Que não usemos argumentos estafados como a “opulência”, as vestes, os rituais, a própria liturgia, mas sim que oremos, que peçamos a assistência contínua do Espírito Santo à Igreja, aos homens escolhidos para nos guiarem, e que nunca deixemos de fazer chegar a esses mesmos homens as razões da nossa critica, aceitando humildemente que possamos não ter razão, ou que não tenha chegado o tempo de termos razão.

Deus ama-nos a todos nós, com todos os nossos defeitos, com os nossos pecados, que por Sua graça vamos tentado corrigir, converter, para chegarmos à graça final de vivermos puros eternamente na Sua presença.

Amemos também nós a Igreja, com todos os defeitos e pecados dos homens que a constituem, principalmente daqueles que foram chamados a servi-La no Seu Magistério, na Fé de que o Espírito Santo nunca Lhe faltará e sempre assistirá e conduzirá na correcção do que estiver errado, na procura da pureza que dEla faz «una, santa, católica e apostólica».

24 comentários:

Fa menor disse...

Tenhamos então essa firme certeza de que «as portas do abismo nada poderão contra ela.»
E tenhamos a coragem de ser "pedras vivas na construção e não “brechas” no edifício", com a simplicidade e humildade de quem se entrega nas mãos dAquele que nos fortalece e dá a Vida!

Para não variar, senti a mesma satisfação de sempre ao saborear cada frase tua aqui proferida, como um belíssimo incentivo a não desanimar na minha luta do dia-a-dia de relação com o mundo que me rodeia.

Grande abraço no Espírito de Cristo, nossa força e amparo.

Paulo disse...

A igreja, meu amigo é feita por homens e, como tal, por vezes erram, até a Santa Sé, como dizes e bem que queres acreditar que o Espirito Santo paira sobre ela. Mas claro que isso não quer dizer que cada um tenha a sua fé, que cada um interprete à sua maneira as palavras das Sagradas Escrituras, no entanto, algures é dito que o céu tem muitas portas e como tal, também eu quero acreditar que, se não formos por este ou aquele lado, como algumas pessoas no dizem, no fundo, com Fé, Esperança e Amor, se formos dignos D`Ele, por uma qualquer porta poderemos entrar.
Retenho a passagem "tudo o que ligares na terra ficará ligado no Céu e tudo o que desligares na terra será desligado no Céu.".
Desejo-te um bom fim de semana e fica com Deus e Sua Mãe Maria Santíssima.

malu disse...

Pois eu também sinto como tu, Joaquim, já o tenho dito. E as razões apresentadas são tão já gastas e explicadas também. Ora a Igreja é uma Casa, a nossa Casa e como qualquer outra, precisa sempre de cuidados, e estes, formam grupos e dividem-na. Não A constroem - destroem e auto-excluem-se. Não a têm como Una e Santa. Mas "as portas do abismo nada poderão contra ela".

No fundo trata de querer-se um deus e igreja à sua medida. De falta de fé, da hmildade que leva à obediência e tudo o mais que já disseste aqui.

Que o Espírito Santo nos encha do Seu amor. Bom fim de semana.

Tiago R Cardoso disse...

Permita-me destacar"pedras vivas na construção e não “brechas” no edifício".

Assumo desde já a minha falta de ligação à igreja, é me difícil explicar o porquê da situação...

No entanto aprecie bastante a argumentação, um dia no "Notas Emprestadas" a Fá escreveu algo no mesmo tom e também concordei.

Voltarei para continuar a seguir aqui o seu blogue.

Maria João disse...

Depois deste texto, deixo uma sugestão. Leiamos o Acto dos Apóstolos e as cartas paulinas.

Antes de falarmos da Igreja aprendamos o que é a Igreja, quem a fundou (Jesus Cristo), quem a constitui, a sua história...



beijos em Cristo e Maria

joaquim disse...

Amiga Fa, obrigado pelas tuas palavras.

Sejamos essas pedras vivas na construção "servindo-nos" muitas do "cimento" que é a oração, para "taparmos" as "brechas" que por vezes se abrem.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Caro Paulo

Obrigado!

Sim é verdade que há muitos caminhos, porque a misericórdia de Deus é infinita.

Mas aqueles que tendo tido a graça de serem baptizados na Igreja e nEla comunguarem devem ser união e não divisão, construindo juntos a Igreja de Jesus Cristo.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Olá Malu

Claro!

«Quem não ajunta, separa»

E o separar está muitas vezes como dizes em querermos fazer vingar as nossas concepções do que é, ou devia ser a Igreja.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Caro Tiago R Cardoso

Obrigado pela visita e pelas palavras deixadas.

Também eu vivi afastado da Fé e da Igreja mais de 25 anos e agora só em Igreja tem sentido a minha vida.

Volta sempre, porque serás sempre bem vindo.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Pois é Maria João, muito bem dito!

Há muita gente ainda que julga que a Igreja foi uma invenção dos homens, mas a Igreja foi fundada por Jesus Cristo que sempre esteve e está com ela pelo Espírito Santo.

Basta ler Mt 16, 13-20 e os Actos dos Apóstolos e as Cartas do Novo Testamento.

Abraço amigo em Cristo

Ecclesiae Dei disse...

Disse tudo... e ainda completaram com os comentarios. Gostaria de lembrar que a Igreja não é uma democracia - eu acho isso, eu acho aquilo...isso vai dar em "cisma".

Como você sabiamente disse, devemos criticar construtivamente, sendo pedras vivas e não brechas.
Excelente texto.
Um grande abraço, meu amigo.

joaquim disse...

Obrigado João Baptista, meu amigo.

Como construtores devemos construir sabiamente e não tentar colocar tijolos em cima de tijolos, sem as paredes estarem bem consolidadas.

Abraço amigo em Cristo

Ver para crer disse...

Concordo.
Mas julgo que muitos criticam porque amam a Igreja e gostavam de a ver mais pura e santa. Porém ela é feita de pessoas humanas, fracas e pecadoras. E é assim na fraqueza que ela nos faz fortes, parafraseando um dito de S. Paulo.
Um abraço amigo.

joaquim disse...

Concordo contigo Padre amigo, o que aliás afirmo no texto, quando digo que a maior parte não é "mal intencionada", mas acabam muitas vezes por dar um testemunho de divisão.

Mas é na fraqueza que somos fortes, como muito bem citas no comentário, porque nos acolhemos à misericórdia de Deus.

Obrigado pelas tuas palavras.

Abraço amigo em Cristo

osátiro disse...

Rezemos pelos católicos perseguidos no Paquistão.

Notícias de:
"Zenit O Mundo Visto de Roma":

Paquistão: cristãos vivem atemorizados e em constante ameaça [2008-09-01]



Papa a bispos do Paquistão: colocai Eucaristia no centro [2008-06-19]

Ser cristão no Paquistão «é muito difícil», diz arcebispo [2008-06-18]
Bispos paquistaneses se encontram em Roma para a visita «Ad limina»

Quarto trabalhadores da Cáritas Paquistão gravemente feridos em atentado [2008-03-11]
O cardeal Maradiaga, presidente da Cáritas, expressou sua «profunda tristeza»



Paquistão: «a comunidade cristã sente-se muito insegura e ameaçada» [2007-12-13]


Aumenta fundamentalismo islâmico no Paquistão [2007-11-15]
As minorias religiosas sofrerão ulteriores violências, denuncia Fides

Cristãos no Paquistão: vítimas de discriminação e perseguição religiosa [2007-08-21]

osátiro disse...

Partilho totalmente essas preocupações.
Por isso é que não devemos parar o"combate"!
Cumprimentos

joaquim disse...

Obrigado osátiro, pelas tuas palavras e pelas intenções que nos deixas.

Abraço amigo em Cristo

Kephas disse...

Pedido on-line para revogação da Lei do Aborto

http://www.gopetition.com/petitions/revisaoleiaborto.html

joaquim disse...

Kephas

Penso que é a primeira vez que te "vejo" por aqui.

Sê bem vindo e obrigado pela informação que deixas.

Abraço amigo em Cristo

Kephas disse...

Caro Joaquim:

Obrigado pelas "boas-vindas".

Lembrei-me de si, pelo apoio dado naquele debate...

Gostei muito do seu blog (e, também bastante, da música), mas tenho estado muito sobrecarregado com trabalho. Hei-de voltar cá com mais tempo para comentar. Ainda não acabei os exames eheheh

joaquim disse...

Caro Kephas

É um grande prazer ver-te por cá, pois sempre apreciei as tuas intervenções em todos os sitios onde te "encontrei".

A música é do coro da Diocese de Roma, cujo maestro e autor das músicas é Mons. Marco Frisina.

Encontra-se com facilidade na net e as músicas são algo de excepcional, pelo menos para mim.

Rezo por ti, pelos teus exames, que também hei-de ter lá mais para Fevereiro, embora em menor "escala".

Enviei obviamente a petição para todos as minhas conhecidas e conhecidos.

Abraço amigo em Cristo

osátiro disse...

Pedido para se parar com a violência contra os Católicos Indianos.
Portugal:
consular@indembassy-lisbon.org
Brasil:
ambassador@indianembassy.org.br


Ex.Mo Senhor Embaixador

Nas últimas semanas os Cristãos Indianos, e os Católicos em particular, tem sido alvo de perseguições criminosas que provocaram dezenas de mortos, casas e igrejas destruídas e a fuga de milhares de Indianos para a selva ou campo.

60 cristãos assassinados na Índia [01-10-2008]
Inação do governo preocupa os bispos da Ásia

Bispos da Índia exigem fim dos ataques contra cristãos [29-09-2008]
Acusam formalmente os grupos extremistas hindus de planejar a violência

Cardeal Gracias: violência anticristã na Índia é «loucura» [24-09-2008]
O arcebispo de Cuttack-Bhubaneswar é ameaçado de morte

Três novos assassinatos de cristãos na Índia, entre eles um sacerdote [23-09-2008]
O arcebispo de Gênova denuncia a «onda de cristofobia» na Índia e em outros países

Extremistas hindus queimam catedral de Jabalpur [19-09-2008]
Ajuda à Igreja que Sofre convoca orações para o dia 24 de setembro

Estende-se violência contra cristãos na Índia [17-09-2008]
Várias igrejas atacadas no domingo passado

«Por que os cristãos valem menos que os ursos?», pergunta cardeal [12-09-2008]
O arcebispo Carlo Caffarra denuncia o silêncio da mídia sobre as perseguições na Índia

Índia: «Nossa fé é mais importante que nossas vidas» [09-09-2008]
Êxito da jornada de jejum e oração convocada no domingo passado

Índia: cristãos obrigados a converter-se e atacar igrejas [05-09-2008]
Denuncia o porta-voz dos bispos do país

Apelo da Cáritas a favor das vítimas das inundações na Índia [04-09-2008]

Dia de oração e jejum pelos cristãos na Índia [02-09-2008]

Religiões para uma pedagogia da paz [31-08-2008]
Cardeal Jean-Louis Tauran interveio no Meeting de Rímini

Escolas católicas na Índia fecham em protesto [29-08-2008]
Vítimas da perseguição aos católicos já são 26

Europa deve ajudar os cristãos perseguidos na Índia [27-08-2008]
Apelo do vice-presidente do Parlamento Europeu

Papa pede fim imediato da violência na Índia [27-08-2008]
Dirige-se em particular aos líderes religiosos e às autoridades civis

Nacionalismo hindu, culpado pela violência contra cristãos [27-08-2008]
Arcebispo de Cuttack-Bhubaneswar está angustiado com a sorte de seus fiéis

Acusações contra cristãos na Índia são absurdas, afirma núncio [27-08-2008]
Dom Quintana: a Igreja seguirá trabalhando pelos mais pobres

Índia: continuam ataques aos cristãos [26-08-2008]
Uma grande manifestação em Hyderabad pede proteção ao Governo frente à violência

Santa Sé pede fim do massacre de cristãos na Índia [26-08-2008]
Violência explodiu dia 23 de agosto por parte de fundamentalistas hindus

Índia: missionária queimada viva por extremistas hindus [26-08-2008]
Outra religiosa foi violentada


Sendo o país de Gandhi, ficamos muito admirados com esta onda de violência.
Pedimos a V.Exa que interceda junto de S.Exa o Primeiro-Ministro da União Indiana para que tome as medidas urgentes para garantir a paz e segurança dos Cristãos Indianos.

Nova Evangelização disse...

* * *
Caro Irmão e Amigo
Joaquim Mexia Alves

Olá, bom amigo!
Estou 99% de acordo contigo -- o restante 1% constitui apenas uma eventual margem de erro humano, ou um bónus em benefício da dúvida, convenhamos...

Como sendo assim, também digo, contigo, que fico por vezes deveras chocado, e não apenas triste, não só com os 'comentários' de muitos 'católicos' -- muitos deles até se dizem, menos demagogicamente, apenas 'cristãos'; mas, pior ainda, quando se auto-intitulam de 'católicos não-praticantes' (o que é isso, aonde está a verdade?!) --, mas também, muito mais gravosa e escandalosamente ainda, com os 'comentários' de alguns padres e religiosos relativamente rebeldes e infiéis, que hebitualmente, salvo raras excepções, se escondem atrás de pseudónimos ou do mero anonimato...
Embora estejam no seu 'direito', nomeadamente estes últimos - quem sou eu para dizer o contrário? -, não deveriam fazê-lo, jamais, ou então que se calem, de uma vez por todas...

Agora, constantemente, por tudo e por nada, contrariarem, rebaixarem e enxovalharem a Igreja - a quem muitos deles devem tudo ou quase tudo o que são! -, isso é extremamente degradante e pérfido, além ingrato e maligno...

Um coisa é a crítica positiva e devidamente fundamentada, só por amor ou caridade - que ninguém, quer sejam padres ou bispos, está acima da lei humana, e menos ainda da Lei Divina -, e outra coisa, completamente oposta, é serem traiçoeiros e ingratos, demagogos e hipócritas, dizendo mal só por dizerem, gratuita e maleficamente, sem o mínimo de razão...

Isto é, desgraçadamente - também por/para mal dos pecados de todos nós! -, o que mais há por aí, e sobretudo por isso é que a Igreja Católica está assim, tão depreciada, tão abalada e quase em ruínas...

Precisamos, pois, de muitos "Franciscos de Assis" -- que não os actuais 'franciscanos', que particularmente nada me dizem, nem ao mundo em geral, pois deturparam/distorceram as regras originais, o espírito verdadeiramente franciscano, à semelhança das demais Ordens e Institutos religiosos, em geral! --, assim como precisamos, cada vez mais, de novos "Curas d'Ars", de novos, "João Boscos", de novos "Padres Pios", de novas "Teresinhas do Menino Jesus", de novas "Madres Teresas", de novas "Alexandrinas de Balasar", etc/etc...

«Reconstruir a Igreja de Cristo» -- tal como no tempo de Francisco de Assis, e mais do que nunca, eis o lema, eis a Missão de todos nós, a todo o custo, em pleno século XXI, para todos os fiéis católicos, a começar pela Hierarquia eclesiástica!

Se para todo o Cristão e Católico que não o fizer, por desleixo ou negligência, isso será considerado um grave pecado por omissão, muito mais gravoso ainda será o dizer mal por dizer, o difamar gratuitamente, o caluniar maldosamente, o destruir por mero vandalismo ou satanismo... !?

Peçamos e sacrifiquemo-nos por todos -- não só com frequentes orações, mas também com bastante penitênca, como tanto pediu N.ª S.ª de Fátima! --, dando sempre o bom exemplo, sobretudo os mais responsáveis: Bipos, Padres, Consagrados e Leigos com mais dons e talentos...

+ Tudo para a maior Glória de Deus e Salvação das Almas!

Cordiais saudações evangelizadoras, extensivas à tua Família, em Jesus e por Maria.
José Mariano
-

joaquim disse...

Caro amigo José Mariano

Obrigado pela tua visita.

Rezemos continuamente pela Igreja e o seu Magistério, e também pelo Povo de Deus que A constitui.

Que o Senhor nos dê o discernimento para acolher tudo o que é bom e sabermos corrigir amorosamente tudo o que não vem dEle.

Abraço amigo em Cristo