segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

CONTO DE NATAL 2009

.
.
Curvado, mais pelo frio do que pelo peso da idade, caminhava apressado, arrastando os pés pela rua molhada, nem sequer sentindo que a água entrava pelos buracos dos sapatos já velhos e rotos.

Fosse esse o seu pior mal!

Tinha perdido a noção das horas e dos dias já há muito tempo, mas esta noite ele sabia qual era, e uma profunda tristeza juntava-se ao desespero da sua vida.

Era noite Natal, não tinha dúvidas, pois bastava olhar para as pessoas que por ele passavam, para perceber isso mesmo.

Enquanto caminhava naquela noite fria e chuvosa, a memória transportou-o para uma sala, onde uma lareira grande aquecia a casa e os corações à sua volta.
Mesmo ao lado da lareira o presépio, feito com todo o esmero, com musgo como deve ser, e com as figuras tradicionais que representavam aquilo que deviam representar.
No canto esquerdo da sala, a árvore de Natal, simples e discreta, porque devia ser o presépio a ocupar o lugar de destaque.
Por baixo da árvore, embrulhos de todas as cores e feitios, os presentes de Natal.

Não tinha a certeza, mas pareceu-lhe que, por debaixo da barba por fazer há tanto tempo, um sorriso se tinha aproximado dos seus lábios.

Pieguices, pensou ele, coisas do passado que já não voltam!

Mas isso obrigou-o a recordar a sua infância no Natal em casa dos seus pais, à volta do presépio, e a voz profunda do seu pai repetindo todos os anos:
Se deixarmos Jesus nascer nos nossos corações e se com Ele vivermos, nada nem ninguém nos pode tirar a paz e a alegria, e Ele nunca nos deixará sozinhos.

Tretas, disse ele entre dentes, tretas, basta bem olhar para mim!

Lembrou-se então que tinha seguido o conselho do seu pai durante uns anos.
O curso acabado, o primeiro trabalho, a primeira empresa, o seu casamento, a filha e o filho, a casa boa e a boa vida, uma aparente felicidade e a certeza de que nada lhe faltaria.
Algures durante esses anos afastou-se do conselho do pai e Jesus deixou de fazer parte da sua vida, embora, claro, comemorasse o Natal, tentando dar sempre os melhores presentes, até para mostrar como estava bem na vida.

E depois veio aquele ano terrível!
As finanças entraram em colapso, as encomendas deixaram de existir, deixou de haver dinheiro para os ordenados e finalmente os bancos exigiram o pagamento dos valores que tinha pedido para investir na empresa.
Num instante viu-se na rua, sem empresa, sem casa, sem nada e com uma vergonha impossível de suportar.
O mundo tinha-se abatido sobre ele e nada nem ninguém o podia ajudar!
Achava-se um nada, um ninguém, uma vida sem sentido e só a falta de “coragem” é que o impedia de pôr fim à vida.

Um dia não podendo suportar mais a vergonha, afastou-se definitivamente da família, dos filhos, e embrenhou-se na rua, onde passou a viver da esmola, da caridade, dos expedientes de momento, sem qualquer rumo, sem qualquer sentido, esperando apenas que a morte o levasse.

Tinha desistido de si próprio!

Tinha reparado como esta vida de rua, onde andrajoso e sujo agora vivia, podia transformar um homem em coisa nenhuma.
Havia pessoas que ele conhecia e passavam por ele na rua e, se ao princípio lhe parecia que o evitavam, rapidamente começou a perceber que agora nem o reconheciam, aliás, era um sentimento como se não existisse, ou seja, viam-no, mas era como se ele fosse transparente.

Já não havia nada a fazer, já não era ninguém, já não tinha sequer existência!

Lembrou-se então, nem percebia porquê, do conselho do seu pai, e pensou na sua miséria:
Será que se eu tivesse continuado a deixar nascer Jesus no meu coração, e a viver com Ele todos os dias, agora estaria melhor? Seria verdade que Ele estaria sempre comigo, até aqui na rua onde estou?

Voltou-lhe ao pensamento a frase que há um pouco tinha sussurrado entre dentes:
Tretas, basta bem olhar para mim!

Mas levado não sabia bem porquê, num murmúrio para si, quase desafiou Jesus dizendo:
Olha Jesus, hoje é noite de Natal. Por aqueles tempos em que Te segui arranja lá qualquer coisa que me faça sentir melhor!

Riu-se de si próprio, pensando que agora já não estava apenas só e sem nada, agora também estava louco!

Continuou a caminhar apressado, pois sabia bem que a carrinha daqueles jovens que lhes levavam à noite, comida e bebida quentes, devia estar a chegar ao sítio do costume, e ele queria ser dos primeiros, para ainda ter de beber e de comer.

Chegou enfim ao local quase ao mesmo tempo em que a carrinha aparecia, e reparou que felizmente ainda estavam poucos colegas de infortúnio à espera da distribuição da comida e da bebida.

Olhou para a carrinha e reparou que eram dois rapazes e duas raparigas que faziam a distribuição, mas logo desviou o olhar, porque se tinha vergonha de tudo, dos jovens ainda pior, talvez porque apesar de tudo, sentisse que lhes estava a dar um mau testemunho de vida, a eles que afinal ainda tinham a vida toda pela frente.

Aproximou-se de cabeça baixa e recebeu das mãos de uma das jovens uma caneca fumegante e um pedaço de pão com carne.
A jovem disse-lhe então com uma voz suave:
Ao menos olhe para mim!

Num momento fugaz levantou a cabeça de olhos fechados, com vergonha, e baixou-a imediatamente, afastando-se rapidamente do local.

Não tinha dado três passos sentiu uma mão no ombro e ouviu uma voz que lhe dizia agora mais insistentemente, quase numa súplica:
Olhe para mim!

Havia naquela voz algo familiar que o levou a levantar a cabeça e olhar nos olhos da jovem que lhe tocava.

Nesse momento ouviu outra vez aquela voz que lhe atingiu o coração, e dizia agora repassada de tristeza e alegria ao mesmo tempo:
Pai, ó pai, és tu?!

Deixou cair tudo no chão, pois aqueles braços apertavam-no de tal maneira que ele não podia quase respirar.

Abraçou-se a ela também, tremendo, a garganta seca, não o deixava proferir palavra.

Ouviu então novamente a voz da sua filha que lhe dizia:
Anda pai, vamos para casa. Temos estado todos os dias à tua espera!

Aquelas e aqueles que ali estavam à volta daquela cena, podiam jurar que naquele momento tinham ouvido um coro celestial que cantava:
Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados!


Monte Real, 3 de Dezembro de 2009
Com este Conto de Natal, quero desejar um SANTO NATAL a todas e todos os que visitam este espaço, comentando ou não.
Que o Nosso Salvador, Jesus Cristo Senhor, vos cubra e às vossas famílias, de bençãos, de paz, de alegria.
.
.

55 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia,
Obrigada pela oportunidade de ler tão lindo e comovente Conto de Natal
Filomena

Anónimo disse...

Paz na Terra a Todos os Homens.

É um Homem de forte Fé. Já o sabia e congratulo-me, se me o permite,por isso. Não tenho essa Fé assim tão forte. Assunto, talvez para um dia, uma ocasião ou encontro falarmos.

Este nosso Mundo necessita de Homens assim e, porque não, de todos os de boa vontade.

Um Santo Natal.

Um abraço do TM do outro blogue

Anónimo disse...

Na verdade,também penso que: mais do que dos outros, a paz e a alegria depende de nós! É um estado de espírito que se alimenta da concretização de muitos quereres e que a Fé realiza.
Um Santo Natal
Luís Marcelino

DE MÂOS DADAS disse...

Amigo Joaquim
Uma História que toca o coração
Com um fim feliz
Nem sei a quem heide dar os parabéns, mas finalmente opto por
acreditar que Deus é bom e Jesus acaba por nascer cada dia em cada gesto nobre como este.
Obrigada pela história
Abraço amigo em Cristo

Anónimo disse...

Boa Noite Joaquim

Quem melhor que tu poderia escrever um conto tão belo e maravilhoso como este,só é pena que palavras como estas não chamem alguns filhos á razão.
Por isso, há pais acabados e abandonados pelas impróprias palavras das mães.
Desejo-te um FELIZ E SANTO NATAL junto dos teus.

Um abraço
António Paiva

J M Ferreira disse...

Voltei a este blogue. Parece que, agora que o descobri, ele me atrai e me chama, começando, desde logo, pelo CD com a voz do autor. Belíssimo poema, belíssima música, belíssima interpretação.
Uma interpretação que mostra uma calma impressionante na voz, que o é, de certeza, uma calma de espírito, até para quem o ouve.
O conto, tem, de certeza, uma vida que foi vivida, que é vivida por muita gente, infelizmente.

Quero, por isto tudo, deixar uma palavra de admiração e consideração, por tão nobre vida de fé e de verdade.

Um abraço

JM Ferreira

malu disse...

Obrigada e um Santo Natal para ti também.

E quanto ao belíssimo conto o que te dizer mais? Olha, li e levo-o comigo como um presente (de Natal) que te agradeço muito.

Parabéns e um abraço, em Cristo e Maria.

Anónimo disse...

Joaquim Mexia,
Já fiz um comentário,mas reconheço não ter sido suficiente.
Peço desculpa se foi atrevimento, mas já enviei para algumas pessoas amigas, "revelei a fonte" porque na minha maneira de pensar acho que é o correcto.
Obrigada.
Filomena

teresa disse...

prontos , já me fez chorar !!!
ai , ai , ai e agora a minha reputação como fica ......eh eh ,,,

adorei o conto amigo , lindo , não tenho mais palavras , obrigada pela partilha , e um feliz e santo natal para si e para toda a familia ...

beijinho de coração ..

Nova Civilização disse...

Amigo Joaquim

lindo conto de natal. Nos faz refletir de fato o quanto Cristo nos quer transformar pelo seu amor!


obrigada pela partilha e que Deus lhe abençoe hoje e sempre nos contemplando com esse ministério de evangelização tão precioso que nos aproxima cada vez mais do Nosso Senhor Jesus Cristo,

abraços fraternos,

Gisele

Canela disse...

Amigo Joaquim;

Pelas lágrimas malandras que não deixo cair.... apenas digo:

Glória a DEUS!

Fa menor disse...

Sei que não ouves os meus soluços...
mas a emoção não me deixar escrever grande coisa.
Acho que ainda mais do que deixar Jesus nascer no coração é preciso levá-lo a nascer no coração dos outros.
O pai um levou jesus a nascer no coração da filha e agora teve a retribuição: a filha levou Jesus a (re)nascer no coração do pai.

Que se faça Natal!

Abraço nesse Menino que quer vir aos corações de todos.

Fa menor disse...

Queria dizer que: O pai um* dia levou Jesus a nascer no coração da filha...

Fa menor disse...

Ah! e... como por falta de mais tempo, não tenho sido assídua comentadora, para o caso de o tempo me continuar a trocar as voltas,
aproveito para desejar um Santo e Feliz Natal para ti e toda a tua família, carregadinho das maiores bençãos dO Menino que quer sempre nascer nos nossos corações... todos os dias.

joaquim disse...

Obrigado Filomena.

Que Deus a abençoe!

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu camarigo Torcato, porque julgo seres tu, obrigado pelas tuas palavras!

Pobre de mim e pobre da minha fé, tão pequenina mas que tento alimentar todos os dias.

Falaremos sempre com toda a disponibilidade.

Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Caro camarigo Luís Marcelino

Obrigado pelas palavras e pela visita.

Se nos habituássemos a ter sempre uma linguagem e atitude de esperança as nossas vidas seriam bem diferentes!

Um Santo Natal para ti e todos os teus.


Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Utilia

Obrigado!

Claro que Deus é bom e isso já nós o sabemos há muito tempo, não é minha amiga que tanto pensa e faz pelos outros?

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu camarigo António Paiva

Obrigado pelas tuas palavras.

Uns mais rapidamente e outros mais devagar, mas todos ouviram a voz do amor de Deus.

Nem todos a seguiram, mas isso faz parte da liberdade que Ele nos deu.

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu camarigo José Marques Ferreira

Até me sinto corado pelos elogios.

Muito obrigado!

Entendo as tuas palavras como uma exortação a continuar e a dar testemunho deste amor de Deus que vivo na minha vida, graças a Deus!

Uma parte do conto vivi-a realmente pois a dada altura da minha vida perdi tudo o que era material e não perdi mais nada porque O tinha a Ele.

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Minha amiga Malu

Obrigado e fico feliz porque afinal te dei um presente de Natal.

Um Santo Natal para ti, tua irmã e todos os que te são queridos.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Filomena, obrigado!

O que aqui escrevo é para todos porque considero que apenas pego na "caneta", tudo o resto é d'Ele.

Um Santo Natal para si e todos os seus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Teresa, obrigado!

Chorar é bom, sobretudo quando é por uma boa causa!

Sabemos lá nós as alegrias, mesmo que efémeras, que alguns sem abrigo podem ter este Natal?!

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Gisele, obrigado!

«A messe é grande e os operários são poucos», por isso todos somos chamados a evangelizar, como tu tão bem fazes no teu espaço.

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Canela, deixa cair as lágrimas, porque eu quando o escrevi tive de parar para limpar os olhos!

Glória a Deus, sim!

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Fa, obrigado!

Confessa que já não choravas há uns tempos com alguma coisa que eu escrevesse...eheheh.

Pois é, quando aprendemos de pequenos sempre lá fica a semente, por isso os primeiros catequistas têm de ser os pais.

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço amigo em Cristo

malu disse...

Joaquim, eu comentei assim de "fugida", o mais rapidamente possível, com poucas palavras e a ver se até de mim, escondia as lágrimas difíceis de conter, mas está bem, cá volto a confessar-me. E a ler, claro, e depois as palavras são difíceis, não é?

Obrigada de novo e com outro abraço. Ah, e pela mana! Que ternura não te esqueceres dela :)

joaquim disse...

Malu

Eu gosto de lágrimas, sobretudo quando são lágrimas que traduzem um bem, lágrimas de quem sente paz e ternura, porque com certeza essas lágrimas são lágrimas de Deus, que Ele coloca em nós para que percebamos um pouco da dimensão do Seu amor.

Na noite em que, numa adoração passados mais de 25 anos de afastamento, senti que Ele estava ali presente e me abraçava, chorei tempos infindos no meio de muita gente e julgo que nunca senti uma paz tão grande como nesse momento.

Obrigado pela "revisita"!

Abraço amigo em Cristo

C.M. disse...

Amigo Joaquim: hoje estou em casa a fazer um trabalho que tenho de entregar amanhã sem falta. Prazos prazos!!! Contudo, tenho a net ligada, para pesquisa aqui de umas coisas do direito e vou dando uma olhada às mensagens... e vim ver então o seu Conto de Natal.

Que posso dizer que não seja banal? Apenas a verdade! Que o seu conto é lindo? Que me deixou numa aflição até ao fim, a tentar descortinar o que iria acontecer?

Que me deu uma comoção? Sim, tudo isso, tudo tudo!

Também uma angústia de que tudo pode desmoronar-se à nossa volta...de facto, apenas nos resta esse Menino Jesus para nos salvar, muitas vezes de nós próprios!

A (des) propósito... tenho uma imagem cá em casa de um Menino Jesus (tão singela a imagem, tão simples) mas tão pequenino e tão belo tão belo que muitas vezes me agarro a ele... coloco-o no peito e parece-me o filho que não tive...

Joaquim, não é lisonja, mas o meu amigo escreve tão bem!

Obrigado pelo seu belo Conto de Natal!

C.M. disse...

Em tempo: não resisti, e publiquei o seu conto no Dies...eu até gosto de fazer boa publicidade!

Paulo disse...

Sem palavras...

joaquim disse...

Meu caro amigo Delfim

Nem sei o que lhe dizer a não ser obrigado de coração.

Bonito o que nos conta da imagem do Menino Jesus!

Obrigado pela...publicidade!

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu caro amigo Paulo

"Sem palavras", que dizem muito!

Obrigado!

Abraço amigo em Cristo

Alma peregrina disse...

Caro Joaquim:

Muito obrigado por esta maravilha literária.

Peço autorização para publica-la no meu blog (com a devida autoria atribuída é óbvio!) na véspera de Natal!

Continue o bom trabalho!!!

Pax Christi

joaquim disse...

Meu caro amigo Alma peregrina

Obrigado pelas tuas palavras!

Estás autorizadíssimo, logicamente, e muito agradeço.

Abraço amigo em Cristo

JAC disse...

É fantástico começar o dia assim a ler este conto. Fiz dele a minha oração de Laudes.

Obrigado Joaquim
Santo Natal para si e para os seus

Diácono José António Carneiro

joaquim disse...

Obrigado José António.

O que aqui dizes tocou o meu coração!

Abraço amigo em Cristo

Ailime disse...

Amigo Joaquim,
Com este belo e exemplar conto de Natal, que me deixou profundamente comovida, venho expressar-lhe a minha gratidão por ter caminhado comigo neste Advento ajudando-me a compreender com maior profundidade o Amor de Nosso Senhor!
Que Deus o cumule de bênçãos e a sua Família!
Votos de um Santo Natal e um ano de 2010 pleno de alegria e paz.
Um beijinho com amizade.
Ailime

CJovem disse...

Consideramos este lindo "Conto de Natal" como um presente teu para todos nós!
Obrigado, Joaquim, e Feliz Natal!

joaquim disse...

Amiga Ailime, obrigado pela visita, pelas palavras, pelos votos!

Agradeço-te também os teus textos que me ajudaram a viver um Advento mais consciente.

Um Santo Natal para ti e todos os teus.

Beijo amigo em Cristo e Maria

joaquim disse...

Amigos CJovem

E eu considero-me feliz por vos poder dar tal presente.

Apenas desejo que ele se torne realidade na vida de muitos.

Um Santo Natal para todos vós e os que vos são queridos, na paz de Jesus Cristo Nosso Senhor.

Abraço amigo em Cristo e Maria

Ser sempre mais! disse...

Joaquim, que mimo nos concedeu com este conto.
Por tudo o que me permitiu despertar esta leitura...Obrigada!
Lembrei uma música que encontrei num Blog do Rui Veloso "Presépios de Lata".
o Natal é para TODOS, TODOS!
Sejamos audazes e deixemos as correrias para viver o essencial.
Tudo de bom, um Santo natal.
Abraço no Deus que se faz Menino, IDA

joaquim disse...

Amiga Ida

Obrigado pelas suas palavras!

"Pobre" Menino que quis nascer numas palhinhas e agora só Lhe querem dar berços de ouro!!!

Santo Natal para si e para todos os seus.

Abraço amigo em Cristo e Maria

Dulce disse...

Com uma lagrimita... bem...pronto com muitas lágrimas cá vou tentando agradecer este conto que deixa como uma bela reflexão(mais uma)que me deixa a pensar em tanta coisa. Natal no nosso conforto/sem-abrigos na rua, Natal com a família/outros na solidão em completo abandono...ai, ai, como dói estas diferenças.
Santo natal amigo Joaquim.
Obrigado por ter enriquecido a minha vida com tudo o que é. Paz e bem

zedeportugal disse...

Caro amigo,

Habemus scriptor.

Agradeço e retribuo a visita e os votos de um santo Natal, extensível a toda a família e amigos.

joaquim disse...

Amiga Dulce, obrigado pelas palavras.

Todos nos ajudamos uns aos outros a percebermos melhor o caminho que Deus nos dá.

Abraço amigo em Cristo e Maria

joaquim disse...

Caro amigo zedeportugal, obrigado e obrigado pelo latim!

Abraço amigo em Cristo e Maria

DE MÂOS DADAS disse...

Amigo Joaquim
Venho só para deixar um sorriso aqui.

Bem trago uma noticia linda...
Passaram uma ecografia a Maria e sabe que o coração de Jesus bate cá com uma força que se ouviu em mâos dadas era só para saber se tinha ouvido senão vá ver...
Lindo
As novas tecnologias sempre servem e bastante ...
Obrigada Joaquim pela sua ajuda mais uma vez Feliz Natal
A amiga Utilia

Ver para crer disse...

Obrigado, Joaquim, pela sua mensagem. O trabalho tem sido muito e tenho passado pouco por aqui.
Mas gostei muito deste conto de natal.
Bom natal para si e para os seus.

joaquim disse...

Amiga Utilia

Fico feliz de saber que as novas tecnologias também nos mostram Cristo.

Pena é quando os homens julgam que pela sua inteligência podem "substituir" Deus.

Santo Natal com um abraço amigo em Cristo e Maria

joaquim disse...

Padre amigo, obrigado!

Renovo os meus votos de um Santo Natal.

Abraço amigo em Cristo e Maria

sedente disse...

Um Santo Natal na contemplação do Menino deitado na manjedoura.
Abrç+

joaquim disse...

Amigo "sedente"

Obrigado!

Para ti e todos os teus também um Santo Natal e um Ano Novo cheio das bençãos de Deus.

Abraço amigo em Cristo e Maria

JúliaML disse...

Gostei muito, Joaquim! A Luz que iluminou a manjedoura, é o simbolo da Luz derramada por Deus Pai, neste dia. Obrigada!

joaquim disse...

Amiga Júlia, obrigado!

E que essa Luz seja a Luz que nos ilumina todos os dias!

Abraço amigo em Cristo e Maria