segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

CAMINHO QUARESMAL

Primeira Semana - Vida em Igreja
2º Dia
Que tempo dou à Igreja? O que me sobra depois do meu trabalho, da minha família, do meu lazer, ou encontro tempo do “que me faz falta”, para ajudar no que a Igreja precisar de mim?

8 comentários:

Maria João disse...

Costuma-se dizer que não há tempo para nada. Claro que há vidas e vidas, mas também é verdade que muitas vezes ocupamos demasiado tempo com coisas supérfulas. Por isso é que não temos tempo para a Igreja, ou seja para Deus. Ao ajudar na Igreja estamos a ajudar e a ser ajudados. Vamos aprendendo cada vez mais quem é DEus e fortalecemos a nossa relação com Ele. Há muita coisa que um leigo pode fazer.


Nunca temos tempo, mas o Pai tem sempre tempo para nós...

KA disse...

Joaquim,

É mais difícil dar tempo do que dinheiro... aliás nem sequer realizamos que não estamos a dar mas sim a investir tempo pois temos sempre um retorno (por mais que façamos as coisas sem pensar nisso).

O nosso dia-a-dia leva-nos muitas vezews a cair no caminho da auto-desculpa para não fazermos o que por vezes nos custa.

É realmente uma pergunta ( e reflexão) que (e falo por mim) deveria pensar mais frequentemente..

s.p. disse...

Amigo Joaquim, se calhar já conheces este texto...quando penso em tempo, lembro-me sempre dele...

NÃO TENHO TEMPO!!!
Sabes, meu filho, até hoje não tive tempo para brincar contigo...arranjei tempo para tudo menos para te ver crescer.
Nunca joguei contigo dominó, damas, xadrez ou batalha naval...
Eu percebo que tu me procuras, mas sabes, meu filho, eu sou muito importante e não tenho tempo...sou importante para números, convites sociais e toda uma série de compromissos inadiáveis...como largar tudo isto para ir brincar contigo? Não, não tenho tempo...
Um dia trouxeste o teu caderno escolar, para eu ver e ficaste ao meu lado, lembras-te? Não te dei atenção e continuei a ler o jornal, porque afinal, afinal os problemas internacionais são mais sérios do que os da minha casa...Nunca vi os teus livros, e nem conheço a tua professora, nem me lembro qual foi a tua primeira palavra...mas tu sabes, eu não tenho tempo...
De que adianta saber as mínimas coisas a teu respeito, se eu tenho outras grandes coisas a saber!?...
É incrível... como tu cresceste, estás tão alto!!! Nem tinha reparado nisso, aliás eu quase não reparo em nada e na vida agitada, quando tenho tempo, prefiro usá-lo lá fora, porque aqui fico calado diante da televisão, porquê, porque a televisão é importante e informa-me muito. Sabes, meu filho, a última vez que tive tempo para ti, foi numa noite de amor com a tua mãe...
Eu sei que tu te queixas, eu sei que tu sentes a falta de uma palavra, de uma pergunta amiga, de uma brincadeira, de um chuto na tua bola, mas eu não tenho tempo... Eu sei que sentes a falta de um abraço, de um sorriso, de um passeio a pé, de ir até ao quiosque ao fundo da rua comprar um jornal, uma revista, mas sabes há quanto tempo eu não ando a pé na rua??? Não tenho tempo, mas tu entendes, eu sou um homem importante, tenho de dar atenção a muita gente, eu dependo delas...
Meu filho, tu não entendes nada de comércio, na realidade eu sou um homem sem tempo... Eu sei que tu ficas triste, porque as poucas vezes que falamos é um monólogo, só eu é que falo... Eu quero silêncio, quero sossego...e tu tens a péssima mania de querer brincar com a gente, tens a mania de saltar para os braços dos outros... Filho, eu não tenho tempo para te abraçar, eu não tenho tempo para conversas e brincadeiras de crianças, filho, o que é que tu percebes de computadores, comunicação, cibernética, racionalismo??? Tu sabes quem é Descartes e Kant??? Como é que eu vou parar para falar contigo??? Sabes, filho, não tenho tempo, mas o pior de tudo, o pior de tudo, é que se tu morresses agora, já, neste instante...eu ficava com um peso na consciência... Porque até hoje, até hoje, não arranjei tempo, para brincar contigo...e na outra vida, Deus não dará tempo de me deixar pelo menos...ver-te.

Ahhh é engraçado sempre me disseram...quando precisares de pedir alguma coisa a alguém...pede a quem não tem tempo...engraçado não é???
Um abraço...(desculpa ter ocupado tanto espaço...rsrsrsr)

joaquim disse...

«Ao ajudar na Igreja estamos a ajudar e a ser ajudados.»
É verdade Maria João, obrigado.
Podemos até dizer que é um "trabalho" que "rende", graças a Deus.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Olá Ka, bem vinda.
Desculpamo-nos muitas vezes com a falta de tempo, mas a verdade é que ele falta apenas para aquilo a que por vezes não damos a importância toda nas nossas vidas, sem percebermos, que o tempo para Deus e com Deus, é tempo que nunca nos vai fazer falta.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Amigo S.P.
Obrigado pela visita e pela ajuda na reflexão.
Não conhecia este texto em bora conhecesse alguns parecidos.
E veio mesmo a propósito, para me lembrar melhor dos meus filhos.
Abraço em Cristo

J disse...

Joaquim,

ás vezes dou por mim triste no fim do dia, por Lhe dar apenas as sobras do meu tempo, sabendo que Ele merece muito mais do que cinco minutos de todo o meu dia, e no dia seguinte acordo com um sorriso nos lábios e comprometo-me a dár-Lhe o meu tempo, no carro ou no banho, na rua ou no café, pequenos momentos de oração, de paragem, de conversa com Ele, que me ama e nos ama de maneira tão especial e única.

Um grande beijinho em Cristo

joaquim disse...

Joana

O tempo que passo a conduzir, serve-me sempre para rezar o Rosário.
Mas a verdade é que não é tempo "que me faça falta", mas sim tempo em que "não posso fazer mais nada".
Vamos encontrar tempo "que falta" para dar ao Senhor e Ele nos recompensará com mais tempo para tudo.
Abraço em Cristo