terça-feira, 26 de março de 2013

COM JESUS!

.
.
 


 
 
 
Sinto em mim uma enorme vontade de escrever, talvez mais escrever-Te, mas não sei o quê!
 
Talvez uma carta para Ti!
 
Sabes, meu maior Amigo, queria fazer a viagem contigo, a viagem que Te leva à Cruz.
 
Queria passar contigo as horas amargas de Te sentires traído, de Te sentires abandonado, de Te sentires só, num mundo hostil que quer a Tua morte.
 
Queria perceber a Teu lado, porque foi necessário o Teu sacrifício, e ao perceber, queria vivê-lo inteiramente contigo, pelos outros e por mim.
 
Queria, meu maior Amigo, não sentir este terrível sentimento, quase real, de ser eu um dos que Te traíram, dos que Te abandonaram, dos que Te pregaram na Cruz.
 
Sabes, quando penso em tudo o que passaste por mim, vêm-me as lágrimas aos olhos, não por ter pena de Ti, mas por ter pena de mim, porque reconheço que mesmo querendo viver a Tua Paixão, não deixo de Te negar, mesmo seguindo-Te.
 
O que mais me custa e ao mesmo tempo me alegra e enche de confiança e esperança, é olhar nos Teus olhos, e ver, sentir, “apenas e tão só”, amor, amor infinito, recheado de perdão, envolto em carinho e braços abertos para me acolher.
 
Seria tão mais fácil se Te revoltasses um pouco, se Te zangasses comigo, se me dissesses palavras duras, por Te negar, por Te abandonar!
Mas não! Apenas o Teu imensamente terno, carinhoso e amoroso olhar me atinge, me trespassa, me enche o coração e me faz sentir amado pelo Amor.
E fico envergonhado, por não Te amar com o mesmo amor!
 
Queria tanto estar ali, aos pés da Cruz, com Tua Mãe, com João, e sentir bem dentro de mim aquela doce maternidade que colocaste no coração do apóstolo, enxugando as lágrimas da Mãe, lágrimas mais por mim, (pecador que sou), do que por Ti, eterno Salvador.
 
Porque Tu, meu maior Amigo, és o meu Deus e Senhor!
 
E depois queria receber-Te nos meus braços, carregar o Teu amoroso corpo e depositá-lo no sepulcro, sem poder controlar a ânsia de Te ver ressuscitar!
 
Colocas a Tua mão no meu ombro, inclinas-Te sobre mim, e dizes baixinho ao meu coração: Para me acompanhares na viagem, meu amigo, basta-te amar como Eu amei!
 
 
Terça Feira Santa
Monte Real, 26 de Março de 2013
Joaquim Mexia Alves
.
.

11 comentários:

António Reis disse...

Muito bonita esta oração. Obrigada por ma entregares já feita. Eu estou numa fase má. o Senhor encarregou-se de me preparar a quaresma.

beijo

Marili Alves disse...

lindo post, obrigada, Senhor te abençõe sempre

C.M. disse...


Joaquim amigo, eu leio os teus textos e cada vez sinto com mais intensidade a inutilidade de os comentar: seria supérfluo...


joaquim disse...

Obrigado Marili!

Que Deus te abençoe também.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu caro amigo Delfim, obrigado!

Nunca são supérfluas as palavras dos amigos.

Um abraço amigo em Cristo

Concha disse...

Com este texto,peço perdão a Deus e aos todas as vezes que não amo verdadeiramente.

Concha disse...

"..a Deus e aos outros por..."

joaquim disse...

Concha, que Deus te abençoe!

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Obrigado Amigo Joaquim por esta Carta, obrigado

joaquim disse...

É nossa carta, Paulo, é nossa!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Minha amiga Graça Pimentel, com o comentário no perfil António Reis


Fico feliz por ter ajudado!

Deus é grande e nunca abandona os seus!

Pode parecer uma frase feita, mas é a realidade, que eu já experimentei na minha vida, tantas vezes.

Um abraço amigo em Cristo