quarta-feira, 11 de abril de 2007

CARTA ABERTA AO SENHOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Exmo. Senhor Presidente da República

Li atentamente a mensagem que V. Exa. entendeu enviar à Assembleia da República, acompanhando a promulgação da chamada Lei do Aborto.
De tudo o que na mensagem se lê, é manifesto que V. Exa. entende que a Lei não serve os Portugueses, pois não acautela os direitos e deveres dos cidadãos Portugueses, não só os concebidos em gestação, mas também os seus progenitores, mulheres e homens.
E no entanto, V. Exa., promulga a lei baseado no facto de que a mesma foi aprovada na Assembleia da República por uma “ampla maioria”, pois se não li mal, é apenas essa a razão para V. Exa. a promulgar.
Mas V. Exa. não foi eleito para agradar a uma “ampla maioria”, mas para defender e salvaguardar em consciência os direitos e deveres dos Portugueses, de todos os Portugueses, e como muito bem sabemos, por tantas experiências já passadas, de que V. Exa. com certeza muito bem lembrará, nem sempre as “amplas maiorias” têm razão, e por isso mesmo o cargo do Presidente da República implica isso mesmo, o discernimento do que é bom para os Portugueses e não o que uma “ampla maioria” pensa e impõe.
Ora toda a argumentação utilizada por V. Exa. indica tudo aquilo que o comum cidadão sente e percebe:
Esta Lei não acautela os direitos dos que são concebidos em gestação, (e que por isso mesmo não se podem defender), não acautela os direitos e deveres das progenitoras, não acautela os direitos e deveres dos progenitores.
E no entanto V. Exa. promulga a Lei, indo contra os seus princípios, que estão bem expressos na sua mensagem, indo contra os princípios que sempre nortearam o povo Português.
Mas mandou V. Exa. uma mensagem!
Desculpe-me Senhor Presidente da República, com todo o respeito pelo alto cargo que V. Exa. desempenha e pela sua pessoa, mas apenas me faz lembrar o episódio que ainda agora nos foi recordado na Semana Santa:
Também Pilatos, embora convencido da inocência dO que queriam condenar, apenas se limitou a afirmar que O considerava inocente e depois lavou as mãos.
Sabe V. Exa., tão bem ou melhor do que eu, que tal mensagem não surtirá qualquer efeito junto daqueles que se encarniçam em levar avante a sua luta, muito mais politica, do que humanitária, se é que se pode apelidar de humanitária uma causa que defende o aborto.
Ao que sei, (não sou jurista), V. Exa. tinha o poder de veto nas suas mãos, devolvendo a Lei à Assembleia da República, com a referida mensagem, “exigindo” que fossem introduzidas as alterações necessárias e suficientes para preservar a vida de todos os envolvidos, os concebidos em gestação e os seus progenitores.
Se a tal “ampla maioria” quisesse manter assim a Lei, teria de a fazer votar por dois terços dos deputados da Assembleia da República e aí sim, V. Exa., teria desempenhado as suas funções até ao limite e não lhe restava então outra alternativa que não a promulgação da Lei, a não ser que quisesse proceder de acordo com a Fé, com a Doutrina, que se afirma professar.
Creia Senhor Presidente, que ao ter de ceder a essa maioria, tal não seria visto como uma “fraqueza”, mas receberia dos Portugueses compreensão por alguém que tinha lutado pelas suas convicções, convicções que reflectiam o pensar, sem margem para dúvidas da maioria dos Portugueses, muitos deles que votaram sim no referendo na convicção de que, o que V. Exa. advoga na sua mensagem, seria considerado na Lei.
Tal, como afirmo adiante, não tornava a Lei legitima, mas esgotava do ponto de vista do cargo que V. Exa. exerce, todas as possibilidades de fazer valer alguma consideração pelos valores humanitários que devem estar sempre presentes na governação de uma Nação.
Mas para além destas razões, V. Exa., (no meu entender), feriu gravemente a Fé, a Doutrina, que diz professar.
Com efeito, ao dar o seu aval, (é disto que se trata), a uma Lei que vai contra a Palavra de Deus, que vai contra a Doutrina da Igreja Católica, V. Exa., com toda a consideração e respeito que me merece, não deu verdadeiro testemunho da Fé que pretende viver e colocou-se em desacordo com a Igreja Católica em que diz comungar.
É que, Senhor Presidente, o seu compromisso como Cristão e Católico é primeiramente com Deus e por Este com os homens, e não o contrário.
Para um Cristão Católico, não é admissível nenhum compromisso que viole a Palavra de Deus.
Por Ela muitos morreram no passado e ainda morrem hoje. Por Ela muitos são perseguidos ainda nos nossos dias. Por Ela muitos abdicam de uma vida cheia de mundo, para viverem uma vida cheia de Deus.
E todos eles são recordados para sempre, como V. Exa. também seria, se tivesse procedido de acordo com o imperativo da Fé, da Doutrina.
Pessoalmente, sinto-me profundamente desiludido com e por alguém que tinha aprendido a respeitar pela força das suas convicções e também por isso mesmo e por “arrasto” com a governação deste País, cada vez mais afastada dos valores da humanidade, cada vez mais afastada das pessoas, cada vez mais afastada do sentir dos Portugueses.
Perdoe-me Senhor Presidente se em algum ponto desta carta sou injusto ou ofensivo, pois não era e não é essa a minha intenção.
Com os meus respeitosos cumprimentos
.

31 comentários:

Pe. Tó Carlos disse...

Muito bem mesmo. Obrigado pela partilha que me ajudou bastante a pensar.

AMexiaAlves disse...

O Rei Balduíno da Bélgica, em situação semelhante, não teve qualquer dúvida: Abdicou do Trono para não ter que votar a lei!
Esta atitude, teve como resultado a lei não ter vingadoe, o povo TODO, ter pedido ao seu Rei que voltasse a aceitar o Trono!
Aqui está a coerência, aqui está o assumir as convicções, sem rebuços ou "mensagens".
Aaqui está, no fim e ao cabo, a diferença entre um HOMEM GRANDE e um outro que revelou não o ser!

milene disse...

espero que envies a carta à presidência da república! (eu assinaria por baixo!)

:( passou-se qualquer coisa estranha.. assim como quem já não estava à espera, eis que a lei é promulgada de mansinho.. :(

continuemos a rezar para que, pelo menos, a mensagem seja ouvida

Nova Evangelização disse...

- - -
Caro Amigo Joaquim

Concordo com tudo o que muito bem dizes na "Carta Aberta ao Presidente da República", bem-hajas!

No entanto, se a carta fosse da minha lavra, omitiria diplomaticamente (desculpa lá), a alegoria de Pilatos..., apesar de justa e pertinente, por motivos óbvios (por ser ele o Presidente)...

Com Presidentes assim não vamos a lado nenhum, e muito menos os pobres Nascituros!

+ Jesus Cristo, tende piedade de nós!
+ Mãe Santíssima, rogai por nós!

+ VIVA A VIDA HUMANA PRÉ-NATAL!

Cordiais saudações pascais.
José Mariano
-

Maria João disse...

Isto de ser político e cristão...

Vai-se muitas vezes contra a Palavra de Deus...

joaquim disse...

Caro Pe Tó Carlos

Obrigado pelas suas palavras.

Abraço em Cristo

joaquim disse...

Meu caro António

Ocorre-me esta Palavra:

«Porque muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.»
Mt 22, 14

Abraço do teu irmão

joaquim disse...

Cara Milene

Obrigado por aqui teres vindo.

Já enviei uma ou duas, que foram respondidas mas sem efeitos práticos, como já sabemos acontecerá com a mensagem do Presidente.
Os seus assessores na procura de "coisas" sobre o Presidente provavelmente encontrarão esta e outras.

Como muito bem dizes: continuemos a rezar.

Abraço em Cristo

joaquim disse...

caro José Mariano

Obrigado pelas tuas palavras.

Em relação à alegoria, não pretendo comparar um governador dum poder pela força, Pilatos, com um Presidente eleito pelos seus concidadãos, Cavaco Silva, mas apenas a atitude, que é idêntica, ou seja, tentar ficar bem com todos e até com as suas consciências.
Se conseguem ou não, não é exercicio que eu pretenda fazer.

Brevemente te darei um texto para o Nova Evangelização.

Abraço em Cristo

joaquim disse...

Cara Maria João

A coerência está aí, em ser-se politico e não se ir contra a Palavra de Deus.
Se alguns o conseguiram é porque é possivel.
Não quero julgar ninguém, até porque não sou ninguém para julgar os outros, mas apenas constato uma realidade, em meu entender.
Obrigado Maria João pela visita. Tenho acompanhado a tua caminhada missionária com muito interesse.
Abraço em Cristo

malu disse...

Parabens Joaquim e obrigada. Hoje podia ter sido o dia em que pela primeira vez, viria a admirar um político (e o português do tal concurso teria sido encontrado). Olha, admiro-te a ti.

Assinado por baixo e com um enorme abraço.

Nova Evangelização disse...

Caros Amigos

Por mais defeitos que alguns, injusta, dolosa e maldosamente, atribuam a Salazar (Prof. Doutor António Oliveira Salazar), uma coisa é certa/certíssima:
- SALAZAR NUNCA PERMITIRIA UM REFERENDO POPULAR CONTRA A VIDA HUMANA EM GESTAÇÃO!
- NUNCA TRAIRIA A CONSTITUIÇÃO CONTRA OS SAGRADOS DIREITOS DA VIDA HUMANA, LOGO A PARTIR DA CONCEPÇÃO!
- NUNCA PROMULGARIA UMA LEI INÍQUA A FAVOR DO ASSASSÍNIO DE SERES HUMANOS ATÉ ÀS DEZ SEMANAS, NEM ATÉ AOS DEZ DIAS, DE VIDA!
- ETC/ETC/ETC!...

ATÉ POR ISSO MESMO ELE MERECEU, DE LONGE, SER ESCOLHIDO COMO "O MELHOR PORTUGUÊS DE TODOS OS TEMPOS" - GRAÇAS A DEUS!...

N.E.C.

Espectadores disse...

Olá Joaquim,

Conseguiste colocar, com uma clareza que eu não tenho, a questão de forma perfeita.
Curiosamente, também me veio à mente a comparação justíssma de Cavaco Silva com Pilatos.

Um grande abraço,

Bernardo

joaquim disse...

Amiga Malu

Obrigado pela visita e pelas palavras, para mim, imerecidas.

São inspirações que não são minhas, mas apenas expressão, creio eu, daquilo que Ele me/nos vai dizendo ao coração.

Obrigado pela tua amizade.

AbraçemCristo

joaquim disse...

Caros amigos N.E.C.

Não sou daqueles que só imputa males ao Dr. Salazar, mas também não vejo coisas boas em tudo aquilo que ele fez.
A liberdade é sempre um bem precioso, e se não é bem utilizada, o mal não pode ser atribuido à liberdade, mas àqueles que a exercem e dela são destinatários.
Não me parece muito legitimo fazer uma comparação entre o Dr. Salazar e o Dr. Cavaco Silva, pois as circunstâncias são totalmente diferentes, o que não quer dizer, até pelo texto que escrevi que esteja de acordo com este último.
Ao que sei e a história nos conta, o Dr. Salazar também teve atitudes com a Igreja Católica que não terão sido as mais correctas.
Quanto "aos sagrados direitos da vida humana", julgo que não se pode afirmar que o Dr. Salazar tenha sido um paladino dos mesmos.
A mim e penso que a todos, o que verdadeiramente me interessa é a defesa de todos os seres humanos dede a concepção até á morte.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Caro Bernardo

Obrigado pela visita e pelas tuas palavras.
Quanto à clareza que afirmas não ter, discordo totalmente.
Abraço amigo em Cristo

malu disse...

Uiii , não medi por certo, o peso das m palavras, nem fiz referencia alguma a Salazar. Essa é outra história que não quis trazer para aqui. Se roçou por aí peço desculpa e se ofendi alguém.Pretendi somente dizer que se Cavaco silva tivesse agido como se queria, a revelar-se homem capaz de sobrepor-se à política, a interesses inerentes e pessoais, com a tua coragem Joaquim e com a mesma convicção ou fé, ter-me-ia dado motivos mais que suficientes para admirá-lo. E como é bom admirar alguém!

Foi um comentário espontaneo, simples, no qual nada mais se lê, em entrelinhas, e porque as não tem.
Abraços.

joaquim disse...

Cara Malu

Não te preocupes com isso.
Eu não entendi nada do teu comentário a não ser aquilo que tu realmente lá dizes.
Obrigado mais uma vez pelas tuas palavras, que volto a repetir não me sinto merecedor.

AbraçemCristo

joaquim disse...

Cara Malu

O que eu queria dizer e me parece não ficou muito compreensivel, é que o teu comentário, segundo a leitura que dele fiz, não estabelecia nenhuma comparação entre figuras.

Talvez assim fique mais compreensivel o que eu realmente queria dizer.

Apre, que "prétuguês" complicado.

AbraçemCristo

malu disse...

Preocupo-me Joaquim, porque te preocupou o "raspanço" que levei e agora que me reli, reconheço que podia ter sido mais explícita e acrescentar talvez : 'num próximo concurso' pela polémica gerada neste. Paciência, terei mais cuidado, mas francamente também não penso ter merecido tal reacção. Não foi intencional, foi brincadeira de passagem e não pretendi focar a figura vencedora e muito menos agredi-la ou ferir susceptibilidades. Não era mesmo para aqui chamado, não era o momento, nada a ver e muito menos o meu género. Como assim "injusta, dolosa e maldosamente"?! Francamente..

Quanto a ti, gabo-te a clareza e como o Bernardo bem disse. Mais uma que te admiro ;)

Abraços.

Anónimo disse...

Querem ganhar na secretaria o que não ganharam nas urnas.

Anónimo disse...

Bela nensagem. Equilibrada, clara, fundamentada.
Parabéns.
Asas da Montanha

joaquim disse...

Amiga Malu

Entendemos bem, ou pelo menos eu entendi que não pretendias fazer qualquer comparação, mas apenas dizer que se Cavaco Silva tem tido a atitude correcta seria certamente merecedor da nossa admiração.
O concurso em causa, a meu ver não tinha qualquer interesse nem sentido mas mesmo assim, a meu ver, só poderia ter um vencedor, que seria D. Afonso Henriques, pois sem ele não haveria portugueses!!!
Malu, esquece isso!!!
com a minha amizade um abraçemCristo

joaquim disse...

Caro anónimo
A diferença está aqui: para mim e para a maioria dos que votaram não, não se trata de uma luta politica, de um perder ou ganhar.
Trata-se da vida humana, e assim, o perder ou ganhar só faz sentido quando a vida ganha.
Aliás, pelo que se pode ler nas noticias e ouvir a tantas pessoas, muitas das que votaram sim, não se revêem nesta lei e consideram que a mesma não reproduz o que foi dito na campanha.
A mim e a muitos, volto a repetir, interessa-me apenas a vitória da vida, o resto "não me aquece nem arrefece".
Obrigado pelo seu comentário.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Pe Manuel Carlos Lopes pela sua visita e pelas suas palavras.
Abraço em Cristo

Cabral-Mendes disse...

Concordo plenamente consigo, com o seu magnífico texto. Colocou o dedo na ferida...

Abraço!

joaquim disse...

Seja bem vindo Cabral-Mendes.

Obrigado pela visita e pelas palavras.

Usando um "chavão" politico:
"A luta continua".

A luta pela vida, claro!

Abraço em Cristo

André Alves Correia disse...

Meu caro e querido amigo,

Deixei passar o meu contributo até agora para poder apreciar o que viesse a surgir nos comentários a esta tua carta aberta.

Para além de todos aqueles que, professando a Fé no Cristo Ressuscitado, procuram ser coerentes com essa mesma Fé - e que, grosso modo, são 90% dos que emitem opinião aqui, contava com muitos mais comentários do tipo anónimo 1.

Estava enganado, felizmente! Porque isso só pode significar uma coisa: a Justiça desta tua mensagem.

Bem-hajas!

joaquim disse...

Meu caro amigo André

Deixas-me sem palavras com a expressão da tua amizade.
Como já disse algures, o que escrevo tento sempre fazê-lo na inspiração dAquele que guia a minha vida.
Nunca poderá ser incompativel a vivência da Fé, da Doutrina, com a vida de cada dia e em cada missão a que formos chamados, seja ela qual for.
Quando as dissociamos, dividimo-nos e assim as nossas decisões, são apenas isso, nossas, não espelham a presença de Deus em nós.
Obrigado pelas tuas palavras e pela tua presença neste espaço.
Abraço forte e amigo em Cristo

Alessandro Martini disse...

Gostaria de comunica-los que devido a lentidão insuportável do blog.com o Apologeta esta agora em novo endereço.

http://apologeta.blogspot.com

Peço o favor de corrigir a indicação do mesmo em sua lista de links, e agradeço a gentileza de nos incluir nela.

Obrigado

joaquim disse...

Caro Alessandro

Já fiz a alteração.

Abraço em Cristo