quinta-feira, 9 de novembro de 2006

A VELA

A vela é constituída por um corpo exterior, que é de cera ou de estearina e um corpo interior que é o pavio, e tem pelo menos duas utilidades: Para dar luz e ou para decorar.

Quando a vela serve apenas para decorar, em cima de uma mesa, numa prateleira, é vista uma, duas, três vezes e depois deixa de ser novidade e de chamar a atenção.

Quando assim é, o pavio, ou seja, o corpo interior, para nada serve, pois a sua função é, depois de aceso, dar luz para ou a alguma coisa.

A vela utilizada apenas para decoração vai-se deteriorando com o tempo, o seu corpo exterior, seja ele qual for, vai-se degradando e esfarelando, acabando por não servir para nada e ser deitado fora, juntamente com o pavio.

Ao contrário, a vela que serve para iluminar, utiliza o seu corpo interior, que depois de aceso pelo fogo, ilumina todo o ambiente, a sua chama é bonita de se ver, não só pela cor e reflexos, mas também porque é algo em constante movimento, bem como o seu corpo exterior que se vai derretendo, espalhando calor e ocupando todos os espaços onde se vai derramando.

O pavio vai-se consumindo, dando sempre luz até se extinguir, e a cera, ou estearina, no fim, irá ser aproveitada para novas velas.

Nós somos como as velas!

Se vivemos apenas esta vida humana, sem Deus, e sem nos preocuparmos com os outros, somos velas de decoração, ou seja, por um tempo ainda teremos algum sentido na vida, mas pouco depois a nossa vida não servirá para nada, não terá sentido nenhum, não servirá sequer os propósitos para que foi criada e acabará na morte, sem esperança de vida eterna.

Se em vez disso, deixarmos acender pelo fogo do Espírito Santo o nosso pavio, (o coração), a cera, (a nossa vida), vai-se derramando sobre tudo e todos os que viverem ao nosso lado e irá ocupando os espaços que estiverem vazios, na nossa vida e na vida dos outros.

A chama, (o fogo do Espírito Santo), iluminará a nossa vida e a vida daqueles que se aproximarem, e sempre viva e em movimento chamará a atenção daqueles que a virem.

A cera, (a nossa vida), servirá para novas velas, (renovará novas vidas) e tudo isso por obra daquEle que acendeu a vela, (a nossa vida).


“Senhor, quero ser uma vela acesa por Ti, que se consuma inteiramente no Teu amor e no amor aos outros”.

8 comentários:

malu disse...

Depois, ainda as há daquelas que sopramos e não se apagam nunca.

Tenho a sorte de conhecer algumas :)
Lindíssimo o texto.
Abraços!

J disse...

Joaquim,

Gostei imenso do seu texto,fez-me pedir ao Pai para também eu ser uma simples vela mas acesa que se consuma no Seu Amor, porque são estas velas que iluminam a nossa vida e nos fazem Segui-Lo Sempre.

Obrigado pelo seu post que me tocou profundamente.

Um grande beijinho

AMexiaAlves disse...

Mas também há a vela de navio. Tem muita importância, porque é ela que faz com que o navio navegue em direcção ao porto. Seguindo o rumo, não conforme sopra o vento, mas de acordo com a maestria que o timoneiro manobra o timão.

Seja eu - e tu - velas que sempre enfunada pelo Sopro do Espírito Santo, levem os navios das nossa vidas, a bom porto.

E, claro, que os outros - todos - sigam na nossa esteira.

Marlene Maravilha disse...

Quero ser com certeza a vela que ilumina.
Que Deus abençoe!
abraços

joaquim disse...

Malu
Obrigado, quisera eu ser, pela graça de Deus uma dessas que por muito que soprem os ventos, nunca se apagam.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Cara Joana
Tu já és uma vela acesa, que dás luz a quem te lê.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Meu querido irmão
E eu sou muitas vezes essa vela de navio, que tu tanto te encarregas de soprar para porto seguro.
Abraço do teu irmão em Cristo e em carne

joaquim disse...

Cara Marlene
Obrigado.
tal como disse à joana lho digo a si.
A Marlene é também uma vela que ilumina aqueles que procuram o seu espaço e lêem os seus comentários.
Abraço em Cristo