quarta-feira, 13 de julho de 2011

AH, ESTAVAS AÍ, SENHOR!

.
.


Onde estás Tu, Senhor?
Procuro-te e não Te encontro! Escondeste-te, por acaso, de mim?

Como queres Tu que eu caminhe, se não vejo a tua luz, se não me iluminas o caminho?
Não vês os meus olhos abertos, tentado perscrutar a escuridão? Não vês os meus braços estendidos, tentado detectar os obstáculos? Não vês os meus ouvidos atentos, tentando ouvir a tua voz? Não vês os meus passos incertos, que quase me fazem tombar?

Onde Te escondes, Senhor, que me deixas assim sozinho percorrer os caminhos da vida?
Tenho medo, Senhor, não percebes? Não vês a minha intranquilidade, a minha angústia?

Procuro-te em todo o lado, Senhor, sirvo-me de tudo, da minha inteligência, da minha racionalidade, de tudo o que aprendi, e nada, Senhor, não Te encontro!

Procuro-te no cimo das montanhas, no fundo dos oceanos, na brisa leve e no forte vento, no tempo e no espaço, e não Te encontro, Senhor!
Mas não estavas Tu em todo o sítio, em todas as coisas, sempre e em cada momento?
Porque não Te encontro, então, Senhor?

Tacteio a escuridão, tento afastar com as mãos as trevas que me envolvem, abro desmedidamente os olhos, grito com toda a minha força, e nada, Senhor, não Te encontro, não me respondes!

Sento-me à beira da estrada da vida, inclino-me e coloco a minha cabeça entre as mãos.
Calo-me, faço silêncio e lentamente envolvo-me com um novelo, e entro dentro de mim.
Já nada me interessa, não quero ouvir mais nada, não quero olhar mais nada, quero apenas conhecer-me, entrar no meu coração e deixar que ele me acalme, com os restos de amor que ainda nele são pobre bálsamo.

Uma calma, uma paz, uma tranquilidade tomam conta de mim.

Parece-me agora que sou todo coração. Já não são os meus olhos que vêem, nem os meus ouvidos que ouvem. Já não são as minhas mãos que se estendem, nem os meus pés que caminham. Já não é a minha cabeça que pensa, nem a minha boca que fala.
Sinto, cada vez mais, que agora sou todo e apenas coração.

Ouço então uma voz que me chama:
Joaquim, Joaquim, Joaquim, Eu estou aqui! Vive-me no teu coração!

A vida que não se encontrava, retoma cor e alegria, porque a Vida verdadeira, se faz vida na minha vida, e eu exclamo num grito imenso:
Ah, estavas aí, Senhor!
.
.

14 comentários:

Paulo disse...

Ele está e sempre estará, onde menos pensamos que Esteja. É com essa ideia que saiu da leitura deste teu artigo porque, muitas vezes procura-mo-Lo em todos os lados, menos no mais obvio.

ontiano disse...

Quantas vezes, todos nós, pobres homens, não passamos por estes momentos de aridez!

Tenho para mim, que o Senhor os permite por duas razões principais:

A primeira para nos dar-mos conta que devemos orar não procurando satisfação pessoal mas para dar Glória a Deus;

A segunda, para suscitar em nós o grito de alma que tão bem descreves neste escrito.

Um abraço

joaquim disse...

É verdade Paulo.

Procuramos fora o que está em nós.

Só depois de O "vermos" em nós é que podemos vê-Lo nos outros e em todas as coisas.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

É verdade António!

Às vezes penso que Deus não é uma "aquietação", mas sim uma "inquietação", porque é sempre novo em cada dia.

E quando O queremos ter como "garantido", é porque nos aquietamos e entramos na rotina, e Ele então "inquieta-nos" para que mais uma vez e sempre O descubramos em nós, nos outros e em todas as coisas.

Um abraço amigo em Cristo

malu disse...

Não é essa a forma de Ele nos pedir também (todo) o nosso amor? Que desassossego que é este nosso Deus que de volta e meia deixa que nos percamos para de novo O encontrar. E que bons são sempre os reencontros!

Em Cristo e Maria.

joaquim disse...

É verdade Malu!

Quer-nos para Ele, porque sabe bem que só n'Ele encontramos a paz, o amor, a verdadeira vida.

Um abraço amigo em Cristo

concha disse...

Amigo Joaquim!
Que grande grito do fundo da alma!
Quando nos inquietamos,somos como um mar com ondulação,onde todas as hipóteses de sobreviver estão ao nosso alcance.É na luta,quando nos superamos,que a vida ganha sentido.Uma vida com quietude,não se faz,porque não acontece.
Uma braço na Paz de Cristo

joaquim disse...

Amiga Concha, obrigado!

Há momentos em que a "secura" vem ter connosco.

No fundo são momentos bons, porque nos levam a "recentrar" no que é verdadeiramente importante.

E o verdadeiramente importante é a nossa comunhão com Ele, fazendo a Sua vontade, e não procurarmos que Ele faça a nossa vontade.

Então "redescobrimos" a Sua presença em nós e nos outros, e em todas as coisas.

Glória ao Senhor!

Um abraço amigo em Cristo

Maria disse...

Uma reflexão sentida, um encontro com Jesus, num momento de aridez espiritual. Quantas vezes já passei por isso...quantas vezes disse, pensei, senti, onde estás Senhor que não Te encontro. Na verdade Ele nunca saíu de ao pé de mim. Mas Ele quer que nós O procuremos, e O encontremos para podermos usar as palavras de S. Tomé. Meu Senhor e Meu Deus!
Abraço fraterno
Maria

joaquim disse...

Obrigado Maria!

Ele nunca deixa de estar connosco, nós é que, por vezes, estamos "cegos" para o poder ver.

Um abraço amigo em Cristo

JM Ferreira disse...

Olá Joaquim;

Obrigado por nos despertares.
Parabéns por esta belíssima reflexão espiritual e de vida.
Penso que muitos de nós (nos quais me incluo) andam demasiadamente distraídos. E às vezes a gritar e a perguntar onde está Ele, porque não nos ouve, não nos atende, quando afinal está tão perto de nós.

Um abraço,

JM Ferreira

Anónimo disse...

Olá Joaquim

É uma realidade! Mas podemos confirmar a presença DELE nos grandes e pequenos momentos da nossa vida.
Posso confirmar pelo que me aconteceu há pouco tempo, as coicidências que se foram sucessivamente acontecendo, deu para perceber, como ELE andou comigo ao colo e me deu a entender que ainda não estou maduro para me apresentar a prestar contas.
Devemos estar sempre preparados!
Obrigado!
Um abraço em Cristo

Mário

joaquim disse...

Amigo JM Ferreira, obrigado.

É verdade que Ele está sempre connosco e nós muitas vezes não O "vemos" porque procuramos mais fazer a nossa vontade, do que a Sua vontade nas nossas vidas.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu caríssimo Mário

É bom ver-te por aqui depois da provação porque passaste.

Ele nunca nos abandona, e tu sentiste-O bem durantes os momentos dificeis porque passaste.

Glória ao Senhor!

Um abraço amigo em Cristo