terça-feira, 5 de dezembro de 2006

O REFERENDO, O CRISTÃO, O TESTEMUNHO

Leio, releio, torno a ler, artigos, entrevistas, intervenções, postes e comentários em blogues, (de muita gente, ateus, agnósticos, religiosos, padres, leigos, políticos,etc), enfim, um não acabar de textos, que afirmam, que informam, que advertem, que o tema do aborto não tem nada a ver com a religião, que não tem nada a ver com aquilo em que acreditamos no campo da Fé, que não temos que utilizar argumentos baseados na nossa religião, (seja ela qual for, espero), que não temos que pressionar os outros com as nossas convicções religiosas, (esta para mim é a melhor), provavelmente que nem devemos afirmar-nos religiosos, ou com Fé, em Deus, claro!
Esclareço desde já: Sou cristão e católico, a minha Fé em Deus está acima de todas as coisas, e tento viver a minha vida segundo a Sua vontade, que para mim, à “falta“, (que não me faz falta), de uma revelação particular, é a Doutrina que me ensina a Igreja Católica Apostólica Romana, revelada por Jesus Cristo.
O Senhor Jesus Cristo, disse a todos e a mim, (quando Ele fala para todos, fala também para cada um individualmente), pelo menos duas vezes o seguinte:
«Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura.» Mc 16, 15 e «...sereis minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judeia e Samaria e até aos confins do mundo.» Act 1, 8
Então é exactamente isto que eu quero ser: Testemunha.
Testemunha do que Ele nos ensinou: Que Deus nos criou à Sua imagem e semelhança, que todos somos desde sempre e para sempre amados por Ele, que nos deu a sublime missão de colaborarmos com Ele na criação do mundo, sobretudo pela extraordinária graça que nos concedeu de podermos gerar outros iguais a nós e que são também imagem e semelhança de Deus.
E é isto em que eu acredito, que cada ser concebido é, desde o primeiro momento, filho de Deus, criado à Sua imagem e semelhança, sejam quais forem as razões, ocasiões ou situações em que foi concebido.
E aqui, perdoem-me o “radicalismo”, (uns já lhe estarão a chamar “fundamentalismo”), perante a existência da vida a partir da concepção, não pode haver divergências entre aqueles que se afirmam cristãos, (já nem sequer falo em católicos), sob pena de professarmos uma qualquer religião, que não a cristã.
«Antes de te haver formado no ventre materno, Eu já te conhecia; antes que saísses do seio de tua mãe, Eu te consagrei e te constituí profeta das nações.» Jr 1,5
Deus não cria filhos diferentes, cria-os todos iguais e por isso aquilo que é para Jeremias, é para cada um de nós, nas diferentes vidas a que o Senhor vai chamando cada um.
Pois, bem sei, tudo isto não é muito intelectual, não é baseado na ciência, no conhecimento, dito racional, mas como para mim, pobre ignorante, Deus é a fonte da inteligência e da ciência, a Sua Palavra é assim a Verdade que eu quero viver e seguir na minha vida.
Onde estão as testemunhas da Fé? Onde estão os Reis Balduínos da Bélgica? Porque é que uns podem dizer em que votam e porquê, e os cristãos não podem exprimir livremente o seu voto e as suas razões, sobretudo quando são políticos, ou “líderes” da sociedade?
Têm medo? Vergonha? Respeito humano? Ou mais respeito por uma suposta lei de “laicismo vigente”, uma suposta imparcialidade, do que pela Fé que dizem professar?
E nós povo anónimo, povo de Deus, pais, avós, filhos, netos, professores, patrões, empregados, desempregados, ricos e pobres, todos enfim, que acreditamos em Jesus Cristo, calamo-nos, ou com o nosso testemunho de vida, com a afirmação da nossa Fé, quando a isso somos especialmente chamados, confirmamos verdadeiramente que somos filhos de Deus?
Ouvimos que grande parte do problema do aborto é atribuído aos cristãos, não sei porquê, e que portanto não nos podemos pronunciar, mas quando encontram alguém que se diz católico e é a favor do aborto, é um desfilar de elogios e de um apresentar das suas razões, como se dois ou três, representassem um todo.
Aqui, neste caso, já interessa a condição de católico!
Mas não o são, afirmo-o eu, que não sou ninguém.
Serão qualquer outra coisa, mas católicos não são!
Não se é católico porque se afirma essa condição. É-se católico porque se vive essa missão, de acordo com a vontade de Deus, que está expressa na Doutrina revelada por Jesus Cristo, e em nenhum momento Ele diz: “mata os filhos que concebeste.»
Mas haverá alguém que verdadeiramente no seu coração, aberto ao amor, duvide sequer que o ser concebido por um homem e uma mulher, é desde o primeiro momento uma vida, uma vida humana?
Em oração veio há dias ao meu coração esta reflexão:
Que mulher não quereria conceber Jesus?
Maria ao dizer sim ao Pai, diz a todos nós, diz a todas as mulheres: «O que geras dentro de ti, vem de Deus, é vontade dEle.»
A responsabilidade é grande, se ficarmos em casa por uma qualquer preguiça, por um qualquer motivo que não seja de total impedimento.
Só de pensar que no referendo, o sim poderia ser aprovado por um voto, e eu tinha ficado em casa a fazer “coisíssima” nenhuma, o meu coração estremece!
Levantai-vos cristãos e na paz de Jesus Cristo, sem crispações, cheios da serenidade de quem está revestido da Verdade, dai testemunho, nas conversas, na vida, no voto.
Que nem um só fique em casa, que ajudemos os que precisam de ser levados, que convençamos, (com a força do Espírito Santo), os que precisam de ser convencidos, porque é Cristo que nos pede que «sejamos testemunhas».
Corações ao Alto! O nosso coração está em Deus!
É Ele que nos dá forças, nos dá alento, nos ensina o que dizer e como fazer!
Esta é uma batalha, mas uma batalha de paz, de amor, de entrega.
Não há confronto, não o queremos, entregamo-nos, mas damos testemunho de vida!


Alguns fariseus disseram-lhe do meio da multidão: «Mestre, repreende os teus discípulos.»
Jesus retorquiu: «Digo-vos que, se eles se calarem, gritarão as pedras.»” Lc 19,40

Mas Pedro e João retorquiram: «Julgai vós mesmos se é justo, diante de Deus, obedecer a vós primeiro do que a Deus. Quanto a nós, não podemos deixar de afirmar o que vimos e ouvimos.» Act 4,19-20

20 comentários:

J disse...

Joaquim,

Li e reli o seu texto, tudo o que afirma faz todo o sentido, para mim ser Cristão não é só acreditar é viver a vida como Cristão, ou seja é fazer as coisas do dia a dia com Cristo sempre presente, ser Cristão é no fundo também um modo de vida, é fazer de cada momento um momento de oração. É entregarmo-nos por Ele, é viver com Ele sempre presente, é pensar no que Ele faria no nosso lugra, é Serviço.

Não acho possivel, que uma pessoa que se diga católica, que vote sim, porque está a ir contra todos os principios que defende, a vida, a defesa da vida humana, o Amor que Deus tem por nós desde o momento em que somos concebidos.

Gostava muito de fazer o jejum a que se propoem mas nao posso devido a condiçoes de saude, assim que vou rezar o terço todas as semanas na 5 feira.

beijinhos

J disse...

Entretanto tive tempo para acabar o comentário anterior, mas vou rezar o terço como entrega, a Deus, como se fizesse o jejum, não é substituto, mas é o que acho que devo fazer para estar consigo e com os outros em oração até dia 11 de Fevereiro.

Um grande beijinho com Cristo

joaquim disse...

Obrigado Joana, mais uma vez.
É sempre tão bom ler os teus comentários.
Não te preocupes com o jejum, pois o desejo de o fazeres é como se o fizesses, porque Deus lê os corações.
Amanhã, Quinta Feira, estaremos então a cumprir o que nos propusémos, sobretudo a Adoração, que desagrava o Sagrado Coração de Jesus.
Abraço em Cristo

malu disse...

Sinceramente Joaquim, não encontro palavra a acrescentar a este teu atestado de Fé.
Só um fortíssimo abraço como os do Caminante.

Joao P. Noronha disse...

Obrigado por este texto.

joaquim disse...

Malu
Obrigado por te fazeres presente aqui.
Obrigado pelo teu incentivo.
Hoje é Quinta Feira e setamos a cumprir o nosso compromisso, graças a Deus.
AbraçemCristo

joaquim disse...

Caro João
Eu é que agradeço a visita, as palavras e a citação no Fiat Lux, que considero um Blog da mais alta qualidade.
Deus não dorme, os cristãos é que de vez em quando se deixam adormecer!
Abraço em Cristo

Andante disse...

Não me vou calar nem acomodar e, se possível, incomodar...

Beijos peregrinos

Anónimo disse...

Gostei muito do teu texto.
Vamos continuar a dizer a todos que deixar que as mulheres escolham abortar não é humano.
E muito menos cristão.
Parabéns por este teu post.

joaquim disse...

Olá Andante
É isso mesmo, afirmemos sem medo a nossa Fé.
Obrigado pela visita.
Abraço em Cristo

joaquim disse...

Caro/a anónimo
Obrigado pelas tuas palavras.
A luta pela vida é de todos, não podemos esmorecer.
Abraço em Cristo

Nova Evangelização disse...

. . .
Caro Amigo Joaquim

Apreciei imenso esta tua postagem, mais um dos teus excelentes artigos 100% cristãos e católicos, o que infelizmente é cada vez mais raro hoje em dia. Parabéns!
E de tal maneira que estou sinceramente disposto, se me permites, a reproduzi-la/lo no blogue Nova Evangelização Católica, oportuna/brevemente.

Rezo por ti e peço que também ores por mim, ainda que em pensamento (ou só por desejo) - até porque geralmente a oração mental é mais valiosa do que a oral, pois aquela nasce sempre do coração/alma, e esta nem sempre ou com menor intensidade.

Um grande e solícito abraço 100% pró-Vida e anti-aborto, por Jesus, Maria e José.

+ Na Vossa Conceição, ó Virgem Maria, fostes Imaculada!
Rogai por nós ao Pai, cujo Filho Jesus, concebido do Espírito Santo, destes à Luz!


José Mariano

_____
P.S: * Joaquim, gostarias, porventura, de escrever artigos/posts, e não apenas meros comentários, no blogue Nova Evangelização?
* Deixo-te este convite, o que para mim é uma honra, ainda que sem qualquer compromisso da tua parte, claro, no caso de aceitares.
* Em caso positivo, enviar-te-ei o código de acesso, acto contínuo.
* "A união faz a força", sobretudo quando Deus está no centro.

joaquim disse...

Caro amigo José
Muito obrigado pelas tuas palavras.
Já uma vez penso que te disse que tudo o que aqui escrevo está à tua disposição, bem como de outras pessoas que queiram utilizar estes pobres "escritos" para Glória do Senhor.
Terei muito gosto em escrever, de vez em quando, porque sabes bem que o tempo é pouco, textos para a "Nova Evangalização".
Para mim é que será uma honra.
Tens o meu mail à tua disposição.
Que Deus te abençoe.
Abraço amigo e grato em Cristo

Pe. Tó Carlos disse...

Fantastico.

joaquim disse...

Padre Tó Carlos

Muito obrigado.
A sua expressão, porque vinda de um Sacerdote é um grande incentivo para mim.

Abraço em Cristo

Confessionário disse...

Joaquim, não sabes como me ejudou ler este teu texto. Ando por aqui a pensar como abordar publica e comunitariamente esta questão do referendo e do aborto. Tb me sinto impelido a fazê-lo. Mas tenho receios e cuidados. Ainda não descobri como o vou fazer. mas vou. Sabes, tenho por aqui muita gente que diz votar assim ou assado sem saber por que o vai fazer. Eu devo, pelo menos, ajudar a saber a verdade, informar, ensinar. Ainda hoje ouvi uma jovem paroquiana que me disse que ia votar sim. perguntei-lhe porquê e ela respondeu: para um caso de violação. O pessoal nem sabe o que já está na lei. meu Deus!!!

Não sei ainda como (palestra, homilia, catequese... a melhor e mais audível seria a homilia, mas... não sei). Que me aconselhas, na tua simplicidade. escuto-te aqui e pelo confessinário. Help.

joaquim disse...

Carissimo Confessionário
A intenção deste texto era, em primeiro lugar afirmar que eu enquanto Cristão e Católico tenho por "dever", que abraço cheio de amor, de dar testemunho da minha Fé, sem receios do "politicamente correcto".
Depois era também fazer pensar os outros na necessidade de nos afirmarmos, na paz e na serenidade, e sobretudo esclarecermos, quanto mais não seja, os Católicos como nós, mas que como muito bem dizes, uns desconhecem verdadeiramente o que se passa, outros andam baralhados com tanto "ruido" e tanta "informação", alguma dela demasiado "intelectualizada", e outros ainda que pelos vistos desconhecem a Lei em vigor e desconhecem também a Doutrina que afirmam professar.
Por tudo isto as tuas palavras cairam fundo no meu coração.
Por mail te direi algumas acções programadas e também as linhas que a meu ver me parecem ser mais necessário "bater", que assim talvez te ajudem a discernir os passos a dar.
Mais uma vez obrigado pelo alento que me deste.
Abraço em Cristo

Paulo Lage Raposo disse...

É crime cortar uma árvore,mas
não é crime matar um inocente

joaquim disse...

Caro Paulo Lage Raposo
Obrigado pela sua visita e pelas palavras que deixou.
Realmente o mundo anda muito "confuso" nos seus valores.
Abraço em Cristo

Anónimo disse...

...ama o teu próximo como a ti mesmo...Hare Om Shanti...think for yourself, question authority...paz e amor...