terça-feira, 22 de maio de 2012

O DIA DA MINHA EFUSÃO DO ESPÍRITO SANTO

.
.


Estavam os Três reunidos num só, como desde sempre, quando Deus Pai disse:
É hora, ide.

Então, Jesus Cristo e o Espírito Santo, “desceram” da casa do Pai, e entraram em mim.

Olharam, tornaram a olhar, franziram o sobrolho e disseram:
Esta habitação está a precisar de muitas obras, de melhoramentos, de uma boa remodelação, enfim, praticamente uma habitação nova.

Jesus disse para o Espírito Santo:
Abre essas janelas! Esta casa está fechada há muito tempo, está bolorenta, fria e sem luz, nem vida. Sopra o teu vento para afastar todos estes maus cheiros, todas estas teias de aranha e perfuma toda a casa com odores de nova primavera, deixando entrar a Luz.

O Espírito Santo assim fez e depois da casa arejada e iluminada, reparou nas paredes e disse a Jesus:
Olha para estas paredes, cheias de cores pesadas e desenhos feios e monstruosos. Podias pegar no pincel, na tinta mais branca e dar uma pintura geral, para que a casa brilhe com a Luz, vestida de branco.

Jesus assim fez e quando acabou as pinturas a casa brilhava, cheirava bem, tinha novos ares, mas ainda com cortinados e mobílias velhas.
Então o Espírito Santo sugeriu a Jesus:
Porque não chamas a tua Mãe para nos ajudar? Ela deve ter jeito para estas coisas!

Assim, Jesus chamou a Virgem Maria e pediu-lhe:
Mãe, vê o que podes fazer para mudar estes cortinados e esta mobília, porque o mais importante já Nós fizemos.
Maria, nossa Mãe, deitou mãos à obra com o seu amor maternal e em pouco tempo a casa estava habitável, com calor, com luz, esperando a vinda do Pai, para a inspecção final.

Veio então o Pai.
Entrou na casa, visitou-a demoradamente, conferiu que o branco era o mais branco que havia, conferiu que a luz era a mais brilhante, confirmou que os cortinados e a mobília eram novos e de material para durar, e disse pausadamente:
Sempre gostei muito desta casa, mas assim está muito melhor. Quereis morar nela?

Jesus e o Espírito Santo trocaram um sorriso cúmplice e disseram a uma só voz:
Também gostamos muito mais assim! É uma boa habitação para fazer morada, mas antes temos que falar com o dono dela.

Olharam para mim com aqueles olhos de infinito amor e perguntaram:
Estás disposto a manter esta casa sempre limpa, arejada, iluminada e com o branco imaculado?
Estás disposto a enchê-la de paz, amor, tranquilidade e muita alegria?
Estás disposto a não deixar entrar nela ladrões, mentirosos ou ideias que a corrompam?
Estás disposto, isso sim, a ter a porta sempre aberta aos que necessitam de comer, beber, descansar ou que de alguma forma precisem de ti?
Estás disposto a não te servires dela para outros fins, que não seja a nossa habitação?
Estás disposto a que, quando por qualquer motivo, sujares ou estragares alguma coisa, Nos pedires perdão e reparares o mal que fizeste?
Estás disposto a ter um quarto sempre pronto para minha Mãe, quando Eu a convidar para nos visitar?
Estás disposto, enfim, a receber nela os nossos amigos e aqueles que nós escolhermos para tu convidares?

E eu, humildemente, alegremente, dançando e louvando, respondi cantando:
Pois se Tu és o meu Senhor Jesus, que deu a vida por mim, pois se Tu és o meu Senhor Espírito Santo que me consolas e guias, pois se Tu és o meu Pai que me ama e criou em amor, como posso eu dizer que não? Digo sim, setenta vezes sete vezes, sim!
Mas também tenho que Vos pedir, meu Deus e meu Senhor, que me ajudeis sempre, que estejais sempre nesta casa, e que, meu Pai e meu Deus, quando eu falhar e não vos pedir perdão por estar distante, me ajudeis na mesma, chamando-me a atenção para que vos peça perdão e assim seja restabelecida a comunhão que eu tinha quebrado.

Então o Pai, unido ao Filho e ao Espírito Santo, num só Deus, com lágrimas de alegria nos olhos, mandou dar início à festa do regresso deste seu filho que andava perdido, tomou conta da habitação e cantando, dançou para que a alegria fosse completa.

E eu, pequenino, humilde, só louvava dizendo:
Glória, glória ao Senhor nosso Deus, que perdoou, aceitou e fez nascer de novo este seu servo!



Festa da Ascensão – Monte Real, 16 de Março de 1999 



Nota:
Porque neste próximo Domingo se celebra a Solenidade de Pentecostes, lembrei-me deste texto escrito há 13 anos.

O que é a “efusão do Espírito Santo” ou “baptismo no Espírito Santo” no Renovamento Carismático Católico?

A efusão do Espírito Santo (ou baptismo do Espírito) é uma renovação e uma actualização de toda a iniciação cristã, e não só do baptismo. O interessado prepara-se para isso, não somente através de uma boa confissão, mas participando em encontros de catequese, nos quais é conduzido a um contacto vivo e alegre com as principais verdades e realidades da fé: o amor de Deus, o pecado, a salvação, a transformação em Cristo, a vida nova no Espírito Santo, os carismas, os frutos do Espírito Santo. E tudo num clima caracterizado por uma profunda comunhão fraterna.
É através do que precisamente se chama baptismo do Espírito que se faz a experiência do Espírito: da Sua unção na oração, do Seu poder no ministério apostólico, da Sua consolação na prova, da Sua luz nas opções. Mais do que na manifestação dos carismas, é assim que se faz a percepção do Espírito: como Espírito que transforma interiormente, que dá o gosto do louvor a Deus, que faz descobrir uma alegria nova, que abre a mente à compreensão das Escrituras, e que, sobretudo, nos ensina a proclamar Jesus como Senhor. E ainda nos dá a coragem para assumir novas e difíceis tarefas, ao serviço de Deus e do próximo.

Pe. Raniero Cantalamessa, Foi nomeado por João Paulo II Pregador da Casa Pontifícia em 1980 e confirmado no cargo por Bento XVI, em 2005
in: "Documento de Malines I" (Posfácio à trad.portuguesa), ed. Pneuma

Para saber mais, entrar em Pneuma, procurar “Reflexão”, seguidamente “Meditações” e depois “Pentecostes hoje - a efusão do Espírito”. Abrir e ler os artigos contidos nesta página.
.
.

12 comentários:

António Alves disse...

Gostei tanto!!!

Paulo disse...

Adorei...simplesmente!

joaquim disse...

António, obrigado!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Paulo, obrigado!

Um abraço amigo em Cristo

Ailime disse...

Olá amigo Joaquim,
Um testemunho na verdade lindíssimo!
Quando o Espírito de Deus entra em nós parece que a nossa visão se liberta de uma neblina que nos perseguia e escurecia a nossa vida, dando-nos a graça de ver e aceitar de uma forma mais luminosa a vida, tornando tudo mais leve. E fica aquela vontade de permanecer no Amor de Deus para sempre.
Bem-haja.
Abraço fraterno.
Ailime

joaquim disse...

Obrigado amiga Ailime

Pelas suas palavras, pelo seu testemunho.

Um abraço amigo em Cristo

Concha disse...

Amigo Joaquim
Excelente partilha!
Abraço na Paz

joaquim disse...

Obrigado Concha.

Um abraço amigo em Cristo

C.M. disse...

Preciso de umas obras assim...

joaquim disse...

Meu amigo

o Construtor está sempre disponivel!!!

Nem precisa marcar hora, é só chama-Lo, abrir-Lhe a porta, que Ele encarrega-se do resto.

Um abraço amigo em Cristo

Fernando Brites disse...

Não vale! Fazer com que me saltem duas lágrimas ao ler este texto! Não sabe que não é o único que tinha a casa assim?... Obrigado Joaquim pela beleza deste texto. Fernando

joaquim disse...

Obrigado Fernando!

Do fundo do coração, obrigado!

Um abraço amigo em Cristo