segunda-feira, 4 de abril de 2011

27º DIA DA CAMINHADA QUARESMAL

.
.
Evangelho segundo S. João 4,43-54.

Passados aqueles dois dias, Jesus partiu dali para a Galileia.
Ele mesmo tinha declarado que um profeta não é estimado na sua própria terra.
No entanto, quando chegou à Galileia, os galileus receberam-no bem, por terem visto o que fizera em Jerusalém durante a festa; pois eles também tinham ido à festa.
Veio, pois, novamente a Caná da Galileia, onde tinha convertido a água em vinho. Ora havia em Cafarnaúm um funcionário real que tinha o filho doente.
Quando ouviu dizer que Jesus vinha da Judeia para a Galileia, foi ter com Ele e pediu-lhe que descesse até lá para lhe curar o filho, que estava a morrer.
Então Jesus disse-lhe: «Se não virdes sinais extraordinários e prodígios, não acreditais.»
Respondeu-lhe o funcionário real: «Senhor, desce até lá, antes que o meu filho morra.»
Disse-lhe Jesus: «Vai, que o teu filho está salvo.» O homem acreditou nas palavras que Jesus lhe disse e pôs-se a caminho.
Enquanto ia descendo, os criados vieram ao seu encontro, dizendo: «O teu filho está salvo.»
Perguntou-lhes, então, a que horas ele se tinha sentido melhor. Responderam: «A febre deixou-o há pouco, depois do meio-dia.»
O pai viu, então, que tinha sido exactamente àquela hora que Jesus lhe dissera: «O teu filho está salvo». E acreditou ele e todos os da sua casa.
Jesus realizou este segundo sinal miraculoso ao ir da Judeia para a Galileia.

Evangelho de hoje


«Se não virdes sinais extraordinários e prodígios, não acreditais.»

Realmente somos assim no nosso dia-a-dia, não só com as coisas do mundo, mas também e sobretudo com as coisas de Deus.

Rezamos orações, recitamos o Credo e o Pai Nosso debitando palavras que se tornam rotina na nossa voz, mas a maior parte das vezes essas palavras não saem da nossa razão iluminada pelo Espírito Santo, não saem do nosso coração repleto do amor de Deus.

Se tudo nos corre bem, vivemos a certeza de que Deus está connosco. Se algo nos corre mal, a nossa reacção é: «meu Deus, onde estás?!»

Que confiança, que esperança, sobretudo que fé, temos realmente em Deus?

No Deus a quem todos os dias, (ou pelo menos assim deveria ser), dizemos nas nossas orações que amamos e cremos.

Por isso não somos capazes de, como aquele homem, «acreditar nas palavras de Jesus e pormo-nos a caminho.»

Acreditarmos que Ele nos perdoa, acreditarmos que Ele está sempre connosco, acreditarmos que Ele nos ama com amor eterno, acreditarmos que a Sua vontade é o melhor para as nossas vidas, acreditarmos que o milagre de cada dia é o dom da vida que Ele nos dá, entregue nas Suas mãos.

E então, se assim vivermos, não duvidamos, apenas constatamos, como aquele “funcionário real”, (o pai viu, então, que tinha sido exactamente àquela hora que Jesus lhe dissera: «O teu filho está salvo»), que Deus está sempre connosco e nunca deixa de responder na Sua vontade, às súplicas da nossa fé.

E ao constatarmos, acreditamos com todo o nosso ser, e acreditando com todo o nosso ser, damos testemunho de fé, e ao darmos testemunho de fé, acreditamos não apenas nós, mas todos os da nossa casa e aqueles que connosco se relacionam, como nos diz a Palavra de Deus: «E acreditou ele e todos os da sua casa.»

Por isso a nossa súplica deve ser, muito mais do que pedir graças e curas, pedir o que realmente importa e leva ao encontro inabalável com Deus:

Senhor, eu creio, mas aumenta a minha fé!


Monte Real, 4 de Abril de 2011

Peço desculpa, mas ontem esqueci-me de colocar aqui que a caminhada continua hoje com a Marili Alves, "Tudo posso naquele que me fortalece!"
.
.

28 comentários:

Marili Alves disse...

Que possamos acreditar sem duvidar que Jesus é o mesmo ontem, hoje e sempre e que milagres e prodigios Ele realiza. Que nossa oração sempre seja fervorosa.
Paz e Bem!!!

Nova Civilização disse...

Amigo Joaquim,

"...Acreditarmos que Ele nos perdoa, acreditarmos que Ele está sempre connosco, acreditarmos que Ele nos ama com amor eterno, acreditarmos que a Sua vontade é o melhor para as nossas vidas, acreditarmos que o milagre de cada dia é o dom da vida que Ele nos dá, entregue nas Suas mãos...."


obrigada por mais uma partilha que nos convida a reflexão.

abraços fraternos,

Gisele

ontiano disse...

Esta questão do acreditar no que se não vê encontra - na minha opinião - a mais expressiva afirmação de Jesus Cristo em: Bem-aventurados os que acreditam sem terem visto.
A mim - e julgo que a todos os cristãos - enche-me de consolação o ser bem-aventurado, já e agora porque acredito firmemente no que não vejo com os olhos do corpo, mas, pela graça de Deus, apenas com os da alma, como, por exemplo, acredito firmemente que, quando comungo, é realmente o Corpo e o Sangue do Senhor que recebo na minha alma em festa.

Giovana disse...

Salve Maria!

Interessante observar o peso da fé; observemos:

«A fé é princípio da salvação humana, o fundamento e raiz de toda a justificação», ensina o Concílio de Trento.

Nosso Senhor Jesus Cristo mostrou que professar a fé é uma obrigação fundamental que os homens têm de satisfazer para salvar-se: «Quem crer se salvará; mas quem não crer se condenará» (Mc. 16, 16).

O Espírito Santo afirma pela boca de São Paulo que «sem fé é impossível agradar a Deus» (Heb. 11, 6), e pela boca de São Pedro e dos Apóstolos confirma que professar a fé É UM DEVER que goza de primazia sobre qualquer outro (cf. Atos 10, 43; 15, 7).

Donde «o primeiro dever do católico e o mais importante é crer. A fé é a primeira coisa que Deus pede ao homem (Heb. 11, 6), é o primeiro passo do homem para Deus, e este passo não permite retrocessos.

A fé constitui a raiz da justificação, o princípio e a fonte de toda a vida espiritual, o fundamento INDISPENSÁVEL PARA TODAS AS VIRTUDES, até da esperança e da caridade (Heb. 11, 1); da fé mana toda a vida sobrenatural (Gal. 3, 11). Por isso devemos estimar a fé mais que qualquer outra coisa».

São Tomás de Aquino nos dá algumas diretrizes e uma delas é evitar aquilo que foge da fé Católica; porque podemos ser confundidos. Evitar é cuidar de não se envolver com aquilo que pode vir a infiltrar dúvidas em relação a nossa fé! Temos que ser caridosos, porém devemos zelar daquilo que é nossa primeira obrigação: ter fé!

E fé em Cristo como um todo: Cabeça e Corpo.


Sigamos firmes.

*Peço orações a todos porque preciso resolver um assunto hoje, que exigirá de mim ter misericórdia e ser justa. Conto com vcs e desde já peço a Deus que lhes abençoe com as graças que cada um de vcs necessitam em suas vidas!

pax domini.

joaquim disse...

Obrigado Marili

Que a nossa oração seja sempre fervorosa e sobretudo perseverante.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Gisele

Continuemos a nossa caminhada juntos.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado António.

Sem fé não podemos ver o que o coração nos mostra.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Giovana

«São Tomás de Aquino nos dá algumas diretrizes e uma delas é evitar aquilo que foge da fé Católica; porque podemos ser confundidos. Evitar é cuidar de não se envolver com aquilo que pode vir a infiltrar dúvidas em relação a nossa fé!»

A Igreja é sempre a mesma desde a sua instituição por Jesus Cristo, até ao tempo presente.

Conta com as minhas orações.

Um abraço amigo em Cristo

Maria Luiza disse...

Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé. A fé se conquista e se firma com orações. Sempre devemos clamar para aumentar mais a nossa fé! Que nunca titubeamos! Meu abraço em Cristo!

DE MÃOS DADAS disse...

Amigo Joaquim perante um tão belo texto biblico e comentários tão sábos sbre a fé.
Fico-me a pensar.Que fé é a minha claro a da minha igreja católica.
Ainda estou um bocadinho cega como o cego de ontem vou pedir luz e certo que Ele não ma negará.
Obrigada Joaquim pelo caminho que faz connosco
Abraço em Cristo Utilia

Dulce disse...

Olá amigo Joaquim
Também eu digo:
"Eu creio mas aumentai a minha fé"

Tão fácil é dizer eu creio, tenho muita fé, mas depois, se sou posta à prova reconheço que a minha fé é bem pequena. Vergo perante a adversidade, vergo perante a tribulação e embora não me esqueça de dizer ao Senhor: Eu confio! Quando me apercebo estou contrapondo com um: "secalhar desta vez não me escutaste"
E aí estou a vacilar e a mostrar o quanto a minha fé e a minha falta de confiança é diminuta.
E depois quando o Senhor vem em meu socorro e me ergue, eu peço-lhe perdão pela falta da mesma.
Por isso acabo como começo:
Senhor, eu creio mas aumentai a minha fé"

Obrigada Joaquim pela preciosa reflexão.
Abraço em Cristo e Maria

Ailime disse...

Amigo Joaquim,
Não há dúvida de que o Senhor nos deixou ensinamentos maravilhosos. Pela Sua Palavra vamos tomando conhecimento do quanto Deus nos amou através da presença de Jesus entre nós.
Os textos desta Quaresma são bem elucidativos disso mesmo e o amigo Joaquim tão bem sabe reflecti-los de uma forma que nos faz meditá-los profundamente.
Também eu digo "Senhor eu creio mais aumentai a minha Fé".
Bem-haja pela sua extraordinária Catequese.
Abraço fraterno.
Ailime

Felipa disse...

Temos esse costume, de procurar sempre sinais para tudo, de querer que Deus nos prove a Sua existência.
Acreditar sem ver, acreditar porque Deus diz, acreditar porque é a Verdade, acreditar porque sim; é assim que eu tento que seja comigo.
Abraço

aguarela disse...

Amigo Joaquim!

Cheguei atrasada,mas cá estou!
A fé parece água a escorrer das mãos.Umas vezes parece que a tenho,e sou capaz de muita coisa.Outras vezes...sei lá!!! E quando duvido é que começam aquelas questiúnculas intermináveis.
Tem razão,como sempre!Se tudo corre bem,há muita fé.Se existirem problemas,não há fé nenhuma.
Ultimamente dou comigo a rezar o credo com muito mais consciência,e até mais coerência.
Bela reflexão Joaquim.É sempre uma boa ajuda para o crescimento na fé,ler as suas postagens.
Bem-Haja pela partilha!
Abraço em Nosso Senhor Jesus Cristo

Lucinha Cullen's Garden and Cia disse...

Joaquim,

É essa fé que nos move. Imagine se esse homem tivesse duvidado do poder de Jesus, por um segundo. Com certeza o filho não teria sido curado.
Assim somos nós, se duvidamos, nossa fé é morta e a graça passa.
Senhor, aumenta a minha fé.
Obrigada pela partilha!
Abraço fraterno.

joaquim disse...

Obrigado Maria Luiza

A oração é o alimento da fé, bem como a frequência dos Sacramentos.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Utilia

O belo do caminho é que vamos aprendendo uns com os outros, desde que persigamos a mesma unidade em comunhão de Igreja.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Dulce

E não somos nós todos um pouco assim?

A misericórdia de Deus é maior do que a nossa falta de fé.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Ailime

Na abertura do coração Ele nos vai mostrando o caminho.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Filipa

Para ver é preciso acreditar.

Tomé quis ver para acreditar, e acabou por ver, porque acreditou.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Carmo

E é isso mesmo: que pelo menos de vez em quando rezemos o Credo e o Pai Nosso meditando seriamente nas palavras que dizemos.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Lucinha

Graças a Deus para nós, a misericórdia de Deus é muito amior do que a nossa fraqueza na fé.

Um abraço amigo em Cristo

malu disse...

Escusas de agradecer o comentario pq o mesmo se resume apenas em agradecer eu a tua reflexão.

É sempre bom passar por cá ;)

joaquim disse...

Ah, Malu, mas eu agradeço na mesma.

Quem se dá ao trabalho de comentar, deve receber pelo menos a cortesia de um obrigado!

Um abraço amigo em Cristo

teresa disse...

uma belissima reflexão meu amigo , que muito nos tem a ensinar se meditarmos verdadeiramente nessas palavras ...

abraço amigo ..

joaquim disse...

Obrigado Teresa

Que Deus te abençoe.

Um abraço amigo em Cristo

Filha de Maria disse...

O que eu descobri na minha caminhada, é que a fé é Dom de Deus, nós precisamos desejar esse Dom, exercitando-nos através dos Sacramentos e Oração.

A Paz de Cristo

joaquim disse...

É verdade "Filha de Maria"

A Fé é dom de Deus mas que nós precisamos alimentar todos os dias, com a Palavra, com a oração, com os Sacramentos.

Um abraço amigo em Cristo