segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

O ALIMENTO DIVINO


A missão mais sublime do cristão é proclamar a Boa Nova e testemunhar com a própria vida, a graça da Vida Nova que o Espírito Santo nos dá, quando nos deixamos tocar por Jesus Cristo que nos mostra e leva ao Amor do Pai.
Para isso precisamos de crescer na fé, fortalecermo-nos na confiança, vivermos a esperança.
E para que todo este caminho aconteça precisamos de nos alimentar com o alimento divino que o Senhor nos oferece.
Esse alimento está sempre à nossa disposição na Palavra de Deus, nos Sacramentos, na Oração, nos testemunhos de vida dos nossos irmãos na fé.
De todos eles, podemos ver a Eucaristia como a perfeita refeição.
Todos ao redor da mesa, (altar), em comunhão com o Senhor que se faz realmente presente.
No início, purificamo-nos, confessando os nossos pecados.
É como o acto de lavarmos as mãos para nos limparmos de toda a sujidade que trazemos da nossa vida diária.
Depois escutamos a Palavra de Deus, que nos é explicada.
É a ementa, em que tantas vezes nos é explicado como é confeccionado o alimento.
Seguidamente vem o Ofertório.
É aquilo com que concorremos para a refeição. A nossa presença, o nosso apetite.
A Consagração.
Eis o alimento, que nos é apresentado!
Orações após a Consagração.
Pela Igreja, pelos defuntos, por todos nós.
Conversa à mesa sobre a família, sobre as necessidades da vida quotidiana, sobre aqueles que nos preocupam e aqueles que estão no nosso pensamento.
Comunhão.
O alimento divino: Jesus Cristo que se oferece a cada um!
O prato principal da refeição.
Às vezes só lhe damos importância, quando não temos que comer, quando passamos fome.
Por vezes também, quando não podemos comungar na Eucaristia, é que percebemos a dimensão infinita do Mistério do alimento divino que nos é oferecido.
Acção de graças.
Louvamos o Senhor pelo dom do Seu amor.
Agradecemos a quem nos preparou a refeição.
A bênção final.
É a sobremesa!
O sabor doce que nos fica na boca até à próxima refeição.

Ah, e depois, … depois como a refeição é boa, falamos dela aos outros e convidamo-los a virem sentar-se à mesma mesa, para que possam também gozar deste Alimento que o Senhor nos deixou como promessa eterna da Sua presença viva no meio de nós.

8 comentários:

Rodrigo disse...

Que alegria é poder participar desse banquete!!! Ser assimilado pelo Corpo Místico de Cristo é a maior alegria!!
Saúde e paz a você!

Maria João disse...

Como é bom receber Cristo e ir levá-Lo aos outros...

beijos em Cristo

joaquim disse...

Caro Rodrigo

Obrigado pela visita e pelas palavras aqui deixadas.

Que Deus te abençoe!

Abraço em Cristo

joaquim disse...

Olá Maria João

É verdade!

Como Deus se entrega cada um para tocar a todos!

Abraço amigo em Cristo

Fa menor disse...

Muito bem, Joaquim!
Como têm sido deliciosas as tuas refeições!
Tão, mas tão deliciosas, que terias mesmo que falar delas aos outros!

"...depois como a refeição é boa, falamos dela aos outros e convidamo-los a virem sentar-se à mesma mesa, para que possam também gozar deste Alimento que o Senhor nos deixou como promessa eterna da Sua presença viva no meio de nós."

Deixas-me sempre a pensar nas tuas palavras. Tens esse dom!

É porque a refeição é boa que temos necessidade de a partilhar.

Abreijinhos fraternos

joaquim disse...

Olá Fa

Só partilhando as boas refeições é que elas nos dão felicidade...

Obrigado pelas tuas palavras.

Abreijo em Cristo

malu disse...

"depois como a refeição é boa, falamos dela aos outros e convidamo-los ..."

Sim, e quantos mais, melhor é ainda a refeição, a chegar sempre para tantos mais. E quanto melhor se alimentarem os convidados, mais proveito nos faz a todos!

Abrajinhos em Cristo.

joaquim disse...

Olá Malu

A refeição é para todos e por promessa de Cristo, todos os dias cumprida, nunca acaba venham os que vierem...

Abreijos em Cristo