quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

COMO ORAR

.
.






Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para satisfazer os vossos prazeres. Tg 4, 3

Ensina-nos São Tiago na sua Carta que não recebemos o que pedimos em oração, porque não sabemos pedir, ou seja, porque pedimos aquilo que julgamos ser bom para nós e não aquilo que Deus quer e é bom para nós.
Também, porque a maior parte das vezes o que pedimos é para satisfazer os nossos desejos, os nossos caprichos.

Somos, ainda, muitas vezes egoístas a pedir, quer dizer, centramo-nos no “eu”, em vez de nos centrarmos no “nós”.
Se eu peço alguma coisa que julgo ser boa para mim, porque não a peço para todos os outros também?
Não há uma diferença grande entre, por exemplo, pedir saúde para mim ou para os meus que estão doentes, e pedir saúde para todos os doentes?

E quem sabe melhor, o que é melhor para mim? Eu ou Deus?

Na sua Palavra o Senhor ensina-nos de muitas formas a rezar, a pedir, por isso basta fazermos, basta rezarmos, como a sua Palavras nos ensina.


Encontrando-se Jesus numa das cidades, apareceu um homem coberto de lepra. Ao ver Jesus, caiu com a face por terra e dirigiu-lhe esta súplica: «Senhor, se quiseres, podes purificar-me.» Jesus estendeu a mão e tocou-lhe, dizendo: «Quero, fica purificado.» E imediatamente a lepra o deixou. Ordenou-lhe, então, que a ninguém o dissesse; no entanto, acrescentou: «Vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que Moisés ordenou, para lhe servir de prova.»
A sua fama espalhava-se cada vez mais, juntando-se grandes multidões para o ouvirem e para que os curasse dos seus males. Mas Ele retirava-se para lugares solitários e aí se entregava à oração. Lc 5, 12-16

Reparemos na oração deste «homem coberto de lepra».

«Senhor, se quiseres, podes purificar-me.»

Em primeiro lugar o homem reconhece Jesus Cristo como Senhor,* reconhece-O como Aquele que está acima dele, de todos e de todas as coisas, e com esse título exprime-Lhe respeito e confiança.

Em segundo lugar, e antes de mais qualquer coisa, coloca-se submisso perante a vontade do seu Senhor: «se quiseres».

Neste «se quiseres» podemos também perceber para nós uma entrega decidida daquele que ora, à certeza de que aquilo que Deus quer é sem dúvida o mais certo, o melhor para a nossa vida, e que, portanto, seja qual for a resposta de Deus à minha oração, ela é com certeza a melhor resposta para a minha vida.
Como tal, devo dar graças por tudo quanto me for concedido, mesmo que, aparentemente aos meus olhos, nada me tenha sido concedido.

Jesus, na sua oração no Monte das Oliveiras, utiliza a mesma expressão, (Lc 22, 42), «se quiseres», e afirma mesmo, «contudo, não se faça a minha vontade mas a tua».

Em terceiro lugar o homem acredita, o homem testemunha a sua fé: «podes purificar-me»

Não há uma hesitação, não há uma dúvida, não há um “prazo” para que a graça seja concedida, há tão só um forte e decidido: «podes»
E neste «podes» podemos dizer que está tudo dito, pois ao reconhecermos que o Senhor pode, temos de reconhecer também que se a graça que pedimos não é concedida, é porque não serve à nossa vida.

Depois, curiosamente, o homem não refere o pedido específico daquilo que pretende, mas apenas diz: «purificar-me»

O Senhor sabe o que ele precisa, e ele acredita nisso mesmo, pelo que este «purificar-me» pode ir desde a cura da lepra, até àquilo que é mais importante ainda, e que é a purificação da sua vida de todo o pecado, de todo o mal.

Sabendo que naquele tempo a lepra era considerada um “castigo” de Deus, uma impureza, e por isso aqueles que a carregavam eram impuros, então este «purificar-me» significa também que, afastado o pecado, afastado o mal da sua vida, também a doença seria afastada.

Já na cura do paralítico, (Lc 5, 17-26), o Senhor perante aquele homem, e «vendo a fé daqueles homens» perdoa-lhe em primeiro lugar os pecados, para depois, como sinal aos incrédulos, o curar também da paralisia.

Não devemos então nós, nas nossas orações, fazer pedidos específicos a Deus?
Claro que sim, que os podemos e devemos fazer, mas sempre na ilimitada confiança de que Ele sabe muito melhor o que nós precisamos, e assim sendo, nos concederá só e apenas o que for bom para nós.

E se acreditamos que Ele «pode», «se quiser», não podemos deixar de acreditar que, pela nossa oração, Ele nos concederá o que precisamos, mesmo que não seja o que pretendemos, mesmo que não percebamos, naquele momento, a graça que nos concedeu.

E assim, em tudo e sempre, devemos dar graças.

«sem cessar, dai graças por tudo a Deus Pai, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.» Ef 5, 20

«Em tudo dai graças. Esta é, de facto, a vontade de Deus a vosso respeito em Jesus Cristo.» 1 Ts 5, 18


Monte Real, 10 de Janeiro de 2012


Nota:

* Do Catecismo da Igreja Católica:

446. Na tradução grega dos Livros do Antigo Testamento, o nome inefável sob o qual Deus Se revelou a Moisés, YHWH, é traduzido por «Kyrios» («Senhor»). Senhor torna-se, desde então, o nome mais habitual para designar a própria divindade do Deus de Israel. É neste sentido forte que o Novo Testamento utiliza o título de «Senhor», tanto para o Pai como também – e aí é que está a novidade – para Jesus, assim reconhecido como sendo Ele próprio Deus.

455. O nome de Senhor significa a soberania divina. Confessar ou invocar Jesus como Senhor é crer na sua divindade. «Ninguém pode dizer "Jesus é Senhor", a não ser pela acção do Espírito Santo» (1 Co 12, 3).
.
.

12 comentários:

Paulo disse...

"Se quiseres, podes..." e tantas vezes, começando em mim, pedimos...e nem sequer agradecemos por tudo e O louva-mos como merece.

soldados catolicos disse...

SALVE MARIA

Quero convida você meu irmão a participar do blog soldados católicos que foi fundando com o objetivos de reunir todos os sites e blogs católicos em um lugar só . E procurar sites e blogs católicos bons que não são conhecidos.
Se você se escreve as sua postagem sera divulgada por Email e pelo o Facebook e muitas pessoas poderão se interessa em ver o seu blog e assim a evangelização que já acontese seria mas divulgada esse é o objetivo do blog soldados católicos se tive interessado esconha uma categoria para o seu blog e envie um email ou um cometário esse é o link do blog.


http://ossoldadoscatolicos.blogspot.com/

e-mail para contato: soldadoscatolicos2@hotmail.com

PAZ E BEM

Concha disse...

Amigo Joaquim
Há algum tempo, fiz "As Oficinas de Oração", porque não sabia como orar.E sem dúvida foi uma grande ajuda, ainda que muitas vezes peque por orar mal.Ali uma das coisas que também nos ensinaram foi, a antes de orar preparar-se para a oração,ou seja criando uma atmosfera interior de tranquilidade e disponibilidade à vontade de Deus.No fundo, fazer silêncio interior, para que no momento de oração não possa caber mais nada a não ser Deus.A gratidão deve estar presente sempre,para que como dizes reconhecermos que tudo depende de Deus e não da nossa vontade.
Em momentos de aflição no entanto não me lembrei de tudo isto,porque nessas alturas percebemos que todas as nossas seguranças cairam por terra e só nos fica uma...Deus.
Perdoa-me esta partilha mais pessoal.
Bem hajas sempre por este espaço que alimentas com tanta frequência.
Abraço na Paz de Cristo

joaquim disse...

É verdade Paulo.

Muito pedimos e pouco agradecemos!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Caros amigos "soldados católicos"

Obrigado pela visita.

Se entenderem colocar este blogue no vosso blogue, estejam à vontade para o fazer.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Concha

Agradeço-te muito o teu comentário "pessoal" como dizes.

É, também, com o testemunho dos outros que aprendemos e crescemos.

Um abraço amigo em Cristo

Ailime disse...

Amigo Joaquim,
Encontro sempre aqui nas suas excelentes catequeses, sublimes momentos para reflexão.
Hoje toda ela é uma oração.
Pela Fé e unidos a Cristo pela acção do Espírito fiquemos cientes de que Deus nos ouve.
Oremos e agradeçamos a este Pai misericordioso pelo que nos vai concedendo, porque tudo é dádiva Sua.
Desejo-lhe continuação de um bom domingo e o meu bem-haja.
Abraço em Cristo.
Ailime

joaquim disse...

Amiga Ailime

Muito obrigado.

«Em tudo dai graças»

Um abraço amigo em Cristo

Maria disse...

Muito bonito este texto para reflexão, gosto muito de ler os seus textos, fazem-me bem à alma.
Obrigada por partilhá-los connosco.
Um abraço em Jeus e Maria.
Maria (Laureana)

soldados catolicos disse...

seu blog esta na categoria só blog
católico
só falta vc divunga nosso link no seu blog

paz e bem

joaquim disse...

Obrigado Maria!

Ao Senhor toda a glória e todo o louvor!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado "sodados católicos".

O vosso link já está na listagem de links do "Que é a Verdade?".

Um abraço amigo em Cristo