quarta-feira, 18 de agosto de 2010

PRESSA EM SERVIR

.
.
«Por aqueles dias, Maria pôs-se a caminho dirigiu-se à pressa para a montanha, a uma cidade da Judeia.» Lc 1, 39


«Maria dirigiu-se à pressa.»

Maria podia ter ficado a “contemplar-se”, a “encher-se de gozo”, por saber agora ter sido a escolhida para ser a Mãe do Filho de Deus, a Mãe do Salvador!

Eu não tenho dúvidas que essa seria a minha atitude, ou seja, “deliciar-me” com a “escolha” feita por Deus da minha pessoa.
Sentir-me-ia importante, chamaria ou far-me-ia encontrado com outros para lhes contar do que me tinha acontecido, recordaria passo por passo a visitação e as palavras proferidas pelo Anjo, apenas para meu deleite!
Não conseguiria conter o orgulho de me sentir mais do que os outros, ou seja, ser servido em vez de servir.
Por isso é que nunca poderia ser escolhido!

Mas Maria não!
«Por aqueles dias», ou seja, logo a seguir a ter conhecimento do Mistério de graça a que o Senhor a tinha chamado, parte «à pressa», para servir a sua prima que precisa de ajuda.

Não devia ser esta a nossa atitude quando nos deixamos encontrar por Deus, quando O sentimos nas nossas vidas, porque Ele se nos dá a conhecer?

Não foi isso mesmo que o Pai fez em Jesus Cristo, que Se fez Homem por e entre nós: servir-nos a Palavra, servir-nos o Amor, servir-nos a Verdade, servir-nos o Caminho, servir-nos a Vida, dar-Se inteira e totalmente em serviço divino ao homem.

Pois é, quando o encontro de Deus com cada um de nós acontece, (por Sua graça, por Seu amor), a urgência das nossas vidas deve ser servir!

Servir a Deus, servir a Palavra, servir em Igreja.

Não podemos já adiar a missão que nos foi dada, (a nossa missão), que é uma missão de serviço em qualquer estado/vocação a que somos chamados.

Não podemos já pensar que amanhã é que começamos, não podemos já pensar que para o ano que vem é que damos inicio à missão, não podemos já pensar que ainda temos tempo e que a missão pode esperar.

Não, o tempo é agora e devemos nós também «dirigirmo-nos à pressa para a montanha», que é a missão a que somos chamados como filhos de Deus, discípulos de Cristo.

O tempo é agora, porque desde logo é tempo de oração, tempo de testemunho, tempo de entrega, tempo de servir, porque o tempo d’Ele é o tempo de estar connosco, sempre!

Não percamos tempo, e «dirijamo-nos à pressa para a montanha», que é caminho de e para Deus.



Monte Real, 16 de Agosto de 2010



Nota: Esta reflexão foi provocada/inspirada pela bela e profunda homilia do Padre Manuel Henrique, (Vigário da minha paróquia da Marinha Grande), na Missa Vespertina da Assunção da Virgem Santa Maria.
.
.

5 comentários:

Nova Civilização disse...

Amigo Joaquim,

mais uma vez obrigada... Linda partilha. Quando despertamos e ganhamos a real conciência do amor de Deus, por nós, não há mais tempo a perder. O novo se faz e só nos resta agradecer com as nossas vidas, com os nossos gestos, as nossas palavras... com a nossa alma.


abraços fraternos,

Gisele

joaquim disse...

É isto mesmo que dizes e o que quer dizer NUNC COEPI = AGORA COMEÇO!

Agora! Não mais tarde, numa ocasião mais oportuna, quando tiver mais tempo.

Principalmente porque pode não haver "mais tarde", nem ocasião mais propícia que esta de agora e... não haver tempo nenhum.


Nota: Comentário do meu irmão António, que por qualquer razão não ficou aqui publicado.

Obrigado António!

DE MÃOS DADAS disse...

"Servir"
Na verdade quando se recebe tanto temos que destribuir,senão morre-se abafado pela abundância.

Deus deu e a missão é ide e pregai o Evangelho...

"Depois Ele disse a todos. Se alguém quizer vir em meu seguimento renuncie a si mesmoe tome a sua cruz cada dia e siga-me." Luc 9,23
Abraço grande em Cristo

joaquim disse...

Amiga Gisele

Obrigado pelas tuas palavras.

O tempo é aqui e agora, sem dúvida.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

É verdade amiga Utilia

E também quando mais damos mais recebemos, porque Deus é assim!

Um abraço amigo em Cristo