terça-feira, 24 de agosto de 2010

A ESCRITA ORANTE

.
.
Estava cansado!
A vida parecia que já não tinha nada para lhe dar!
Não lhe apetecia fazer nada e a única coisa que ainda lhe sabia bem, que ainda o entusiasmava de alguma maneira, era escrever.

Enquanto assim pensava, ia pedindo perdão a Deus por se sentir tão sem metas, tão indiferente a tudo e até a si próprio.

Sim, porque no seu íntimo ele sabia que isto era coisa passageira, era coisa que não condizia consigo e muito menos com a fé que vivia e queria viver.

A sua fé era uma fonte de esperança, de ânimo, de confiança, o que não podia estar mais em desacordo com aquilo que agora sentia.

Por isso mesmo decidiu pegar no papel, ou melhor no teclado do computador e escrever.
Escrever sem nenhum fim específico, deixando-se levar pelas palavras que ia escrevendo, ou melhor ainda, deixando que Deus lhe falasse através das palavras que fossem surgindo aos seus olhos e sobretudo ao seu coração.

Que coisa estranha, porque normalmente quando escrevia, tinha no seu pensamento um “esqueleto” daquilo que ia escrever, tinha sempre um princípio e um fim, e à medida que escrevia ia surgindo o “meio”.
Mas agora não, escrevia apenas aquilo que lhe ia surgindo á medida que escrevia!

O que iria afinal sair como texto, desta escrita sem principio, nem fim?

As palavras iam aparecendo na sua cabeça, até talvez mais rápidas que a sua capacidade de escrever.
Sentiu que algo o incitava a não parar de escrever e a continuar a alinhar as palavras na folha branca que lhe aparecia aos olhos, no computador.

O seu corpo que ao princípio estava dobrado, mole, quase num adormecimento, começou a endireitar-se na cadeira e agitar-se na necessidade de escrever.

Aquela má disposição, aquele cansaço inexplicável, aquela sensação de nada ter e nada querer, iam dando lugar a uma vontade de explicar o que se ia passando dentro de si naquele momento.

Escrevia e vinha-lhe ao pensamento uma pergunta que quase lhe apetecia fazer em voz alta:
Estás aí Senhor?

Curiosamente parecia-lhe que em vez de ouvir palavras, (ouvir no coração claro), apenas “ouvia” um Sorriso.
Mas que é isto de “ouvir” um Sorriso, pensou ele, quando leu as palavras que tinha escrito?

É que o Sorriso era uma presença, uma brisa suave que lhe passava no coração, e o fazia sentir como alguém, como pessoa, como parte importante de alguma coisa, mas que ele não sabia definir.

Fechou os olhos por um momento e parou de escrever!

No seu pensamento, no seu coração, em todo o seu ser apenas aparecia uma frase: filho de Deus!

Ele perguntou-se:
filho de Deus?
E então sentiu, mais do que ouviu:
Sim, filho de Deus! Tu és filho de Deus!

Ele pensou e respondeu:
Claro que sou filho de Deus, eu sei! E depois o que traz isso de novo agora?

Sentiu outra vez uma resposta:
Se és filho de Deus, tens uma família, a maior família que existe, que é a família dos filhos de Deus, que é a família de Deus.
Olha, que é a família do Reino de Deus!

Começou a sentir-se diferente, mais animado, mas mesmo assim perguntou:
E depois, o que há de novo em ser da família do Reino de Deus?

Então o Sorriso abriu-se e disse-lhe:
Não sabes tu que o Reino de Deus é sempre novo? Não sabes tu que o Reino de Deus não dispensa nenhum dos seus filhos? Não sabes tu que no Reino de Deus por muito que tenhas feito, tens sempre mais a fazer? Não sabes tu que aos olhos de Deus tu és o mais importante, tão mais importante como todos os outros são os mais importantes? Não sabes tu que Ele está sempre contigo, que Ele está sempre com todos?

Sim eu sei, respondeu, começando a compreender.

O Sorriso continuou:
Então se sabes como podes tu estar desanimado, ou a pensar que a vida já não tem nada para te dar? Já perguntaste a ti próprio o que tens tu para dar à vida? À tua e às dos outros com quem te cruzas? Como podes tu acreditar que Eu estou contigo e estares desanimado?

Quem sou Eu? Perguntou então o Sorriso!

Como num impulso, escreveu:
Tu és o Caminho, a Verdade e a Vida!

Então o Sorriso tomou conta de si!
Abriu-lhe a vontade de viver, trouxe-lhe o ânimo de testemunhar, colocou em si a importância do seu ser filho de Deus, e percebeu então, mais uma vez, que era muito, muito amado pelo Amor e que isso era mais importante do que tudo o resto.

Foi então que se me esgotaram as palavras que estou a escrever, porque a oração estava feita e tinha sido ouvida!


Monte Real, 24 de Agosto de 2010
.
.

22 comentários:

ontiano disse...

A Filiação Divina é uma constante da pregação de S. Josemaria Escriva e foi esta pregação que tem arrastado milhares e milhares de homens e mulheres nas mais diferentes circunstâncias de vida.
Falas disso, e muito bem, no teu escrito. A realidade que se nos depara: ser filhos de Deus, é de tal forma aliciante que não nos deixa, quase, margem para pensarmos em mais nada.
Uma das consequências dessa constatação é conluirmos que, se somos filhos, somos também herdeiros e convém preocupar-nos com aqueles que irão partilhar a herança connosco.

Rogéria Gillemans disse...

Ex.mo senhor Joaquim Mexia Alves , estou maravilhada pela descoberta dos seus Blogues, estive a ouvir o Falando de Conversão na TVI. Recordo-me de ter ouvido esta entrevista na TV numa das minhas visitas a Portugal, fiquei fascinada na altura ao tomar conhecimento, de que eu não era só a pensar que os bens materiais e a futilidade em si só... não é um bem, e levavam ao vazio dos sentimentos e da alma, e são um terreno para todas as angústias, frustrações, e uma porta aberta para todo o mal.
A arrogância, e a pretenção é um mal que aflige muitos homens.
A humildade de “coração puro e simples” é o Dom da superioridade, e o caminho da conversão até Deus e da verdade.
O ser humano não pode ter como valores, o que é terreno, mas saber usá-los como vindos da Providência Divina para nos permitir viver e saber viver dentro do Dom da Vida, sem descorar os nossos iguais desfavorecidos:

- Habitamos a mesma casa, porque vivemos num só mundo, nunca digas que és rico que és pobre, que és mais ou menos...
Diz que és apenas um homem que deseja viver em paz.

Jesus Cristo sendo o mais pobre dos pobres, não andava descalço, e a Sua Túnica pela sua maravilha, foi jogada a partilhas, e nunca fez desses bens um valor por si só, sobrepondo-os aos valores mais altos.

joaquim disse...

António, obrigado!

Que coisa espantosa é esta: Sermos filhos de Deus, e não apenas Suas criaturas.

Que coisa espantosa é esta: Deus é nosso Pai!

Um abraço meu irmão e padrinho

joaquim disse...

Caríssima Rogéria

Muito obrigado pelas suas palavras e mensagem aqui deixadas.

Por favor não me trate por senhor, mas apenas por Joaquim.

Visitei os seus blogues e pude sentir o seu amor por Angola.

Também me ligam a essa terra dois dos melhores anos da minha vida, apesar de terem sido vividos nos tempos conturbados da pré independência.

Compreendo bem a sua revolta quanto a Angola e ao que lá se passou.

Mas Deus é grande e nunca deixa de nos conceder o Seu amor.

Um abraço amigo em Cristo e volte sempre.

malu disse...

hmmm.. deixei-te aqui um comentário mas não o vejo. Não sei se estará em modo de moderação e sujeito a aprovação, (pareceu-me que não) mas voltarei cá a saber.

Dizia que foi muito bom teres passado para cá "O Sorriso" e teres partilhado este diálogo connosco. Que o achei uma ternura pela simplicidade com que acontece, por certo, pela facilidade que tens de em tudo e em cada momento sentires a Sua presença - de Pai.

Abraços em Cristo e Maria.

P.S. Desculpa se agora fica (mais ou menos) repetido.

malu disse...

Ahhh... este ficou!

Não exactamente como no primeiro dizia, mas a mensagem é a mesma e por sorte tua, mais curta ;)

Abreijos.

joaquim disse...

Obrigado Malu.

Não sei o que se passou, pois como sabes percebo pouco das "informáticas".

Mas só cá está este teu comentário.

O que é interessante é que se passou tudo como está escrito, ou seja, escrevi porque só me apetecia escrever, e Ele foi me levando na escrita até que tudo se alterou e o Sorriso apareceu e o meu também.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Oh que pena, Malu!

Quero a mais comprida também!!!!

Abreijos em Cristo

Rogéria Gillemans disse...

Joaquim, ( o trato assim é com o seu permisso) obrigada pelas suas palavras.
Averbei “APENAS ORAÇÃO”, e “QUE É A VERDADE” Ao meu blog de poesia “SINFONIA PARA UM POEMA”, e ao Blog LONGE É A LUA,
“QUE É A VERDADE” .
Vou ser uma leitora assídua destas fontes que brotam águas límpidas e puras para saciar a sede na Palavra do Pai, que cada vez mais precisamos Dela e dos Caminhos que nos guiam até Ele.
O homem está cego, e está a destruir tudo... A Criação Divina, e a verdadeira razão pela qual o Pai nos enviou.
Estamos aqui para expiação, para nos superarmos, e podermos crescer no bem para uma outra vida superior, fechando o nosso coração ao Criador, e sem a ajuda Dele não nos é possível, somos muito frágeis, e é Dele que nos vem a força.
Para que o Pai nos Ajude, temos que compartilhar a nossa casa com Ele, só assim quando chegar a hora em que nos chame o Pai vai, também, compartilhar a sua Casa connosco.

A ciência não se sobrepõe à Fé,
desde que o sábio...
Seja simples e humilde de coração.

Joaquim desculpe por estas minhas dissertações, são conclusões vividas.

Sinais no Mundo... disse...

Sinais de Deus

DE MÃOS DADAS disse...

Joaquim

Também sou filha de Deus...
Mas ás vezes sinto-me tão longe desse Pai.
Curioso... parece-me que neste momento Ele me sorri.
"Alucinação?"

Um passarinho passa e canta.

É bom partilhar a herança, mas é necessário cuidar dela...Há tantos campos por aí cheios de ervas daninhas, tantas sementeiras por fazer.
Muito obrigada pela partilha,este bocadinho que herdei, "á conta da folha".

Abraço grande nesse Nosso Pai do Céu.
Utilia

Fa menor disse...

Mais do que ler-te, podia ficar aqui dias inteiros que não me cansava de ouvir a tua música...

(dou por mim quantas vezes a cantarolá-la)

Abraço mt amigo em Cristo

Ailime disse...

Amigo,
Sublime o seu texto, a sua prece!
Deus nunca abandona os Seus filhos.
Um abraço.
Ailime

concha disse...

Amigo Joaquim!
És tu mesmo nestas palavras...com fé,mesmo se há algum deserto;com humildade sempre,aquela pura, verdadeira que ainda neste domingo nos é lembrada.Que linda oração!Sim, porque orar é conversar com Deus.E tiveste a benção de Ele te ter escutado.
É curioso como Ele dá e também pede considerando cada um como sendo único.É-se abençoado de vários modos.A mim tem-me trazido situações em que de um modo imprevisto sou confrontada com a necessidade de agir,sempre ajudando alguém.E não tem parado.Ainda mal uma está resolvida, já vem outra a caminho.Só Lhe dou graças por estas oprtunidades de crescimento na minha vida.
Dou graças a Deus também por este espaço de verdade e comunhão com Deus.
Um abraço com um bem hajas pela tua disponibilidade

malu disse...

Joaquim,

Há muito tempo que não perdia um comentário. São rápidos e raros os que faço ultimamente, a ver com o tempo de férias e nem me lembrei de salvar, mas tinha pegado no título de que logo gostei e depois na forma (estou a resumir) em como me foste levando até ao fim. E aí associei uma coisa a outra, pois tu mesmo e igualmente, te deixaste conduzir por Ele e já que era para Ele e uma vez mais, o teu texto que acabou em oração. Foi nessa altura que usei a palavra ternura para classificá-la. E porque isso nos fala no teu abandono e/ou abertura total de coração e a oração aconteceu e porque é assim que ele nos ajuda a levá-Lo aos outros e acontece em nós sempre que nos entregamos nas Suas mãos. Voltei aqui para reler/rezá-la e não esperava o teu pedido, mas na verdade, verdadinha, quis vir visitar O Sorriso outra vez ;)

Que bom que rezaste agora sem 'esqueleto' para nos falares ainda mais sobre Oração. E aí está mais ou menos esse ponto que primeiramente toquei e junto com o 2º tinha ficado compridão...

Que Deus te abençoe, abreijos.

joaquim disse...

Caríssima Rogéria

Mais uma vez obrigado pelas suas palavras que são sem dúvida um incentivo a continuar.

este espaço está sempre aberto para si.

que Deus a abençoe.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Sinais no Mundo

Obrigado pela visita que julgo ser a primeira.

Que Deus vos abençoe

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Utilia

Realmente há tanto para fazer!!!

Mas Ele vai-nos ajudando apesar de sermos por vezes rebeldes e "distraídos"!

Vamo-Lo ouvindo nos passarinhos que cantam e nas brisas que sopram.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Olá Fa

É essa a intenção: cantá-la de coração, como acredito que cantas!

Obrigado.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Olá Ailime

É verdade, Deus nunca nos abandona!

O que seria de nós, pobres criaturas, se o nosso Deus de amor não estivesse sempre connosco!

Obrigado pela visita.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Concha, obrigado!

O deserto durou o tempo da escrita, porque Ele se encarregou de regar o deserto!

É bom Concha, muito bom encontrarmos sempre razões e motivos de crescimento em todas as ocasiões a que Ele nos chama.

Ainda bem que o lembraste!


Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Malu

Que dizer-te do que me dizes?

Nada! Está tudo dito!

É tão bom quando nos deixamos levar por Ele, quando deixamos que Ele faça em nós!

Lembra-me São Paulo: ninguém pode dizer Jesus é o Senhor se não for pela acção do Espírito Santo.

Abraço amigo em Cristo