sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

QUENTE, MAIS QUENTE...FRIO, MAIS FRIO...

Abate-se sobre mim uma tristeza
Que eu não entendo, Senhor…
Ataca-me, envolve-me,
Quer tomar conta de mim,
E eu não entendo Senhor…
Não há razão,
Não há motivo,
A não ser o reconhecer-me fraco,
Como sempre fui….
Mas tenho o Teu amor,
Tenho o Teu perdão,
Não é Senhor?
Então porquê?
Porquê esta tristeza,
Que quer tomar conta de mim…
Sou eu que me escondo de Ti,
Consciente da minha fraqueza?…
Mas Tu não Senhor,
Tu não Te podes
Esconder de mim!
Porque senão…
Como posso eu viver!
Ah, já sei,
Escondes-Te
Para eu Te procurar melhor,
Para eu não desistir
De Te encontrar…
Olha Senhor
Lembras-Te daquele jogo de crianças:
“quente, mais quente..frio, mais frio…”
Com que nos iam guiando
À procura do que estava escondido?
Então peço-Te Senhor:
Brinca comigo ao mesmo jogo!
Vai-me conduzindo no caminho,
Vai-Te mostrando devagarinho!
Que eu sinta o Teu calor
Quando de Ti estou mais perto,
E que frio aperte,
Quando de Ti me afasto.
Vês Senhor,
Quando brincamos assim
Tudo se transforma,
Tudo se renova…
Mas Tu já sabias Senhor,
Que assim era!
Só estavas à espera
Que eu quisesse jogar conTigo!
Como Tu fazes as coisas
Tão bem feitas!
Vês agora, Senhor?
Comecei a escrever triste,
Sem saber o que fazer,
Nem o porquê da tristeza,
Que tornava cinzento
O meu dia.
Acabo agora a escrita
Convicto de uma certeza:
Que Tu estás sempre comigo,
Sempre disposto a brincar
Ao jogo de Te encontrar,
Para fazeres da minha tristeza
A Tua eterna alegria…

Monte Real, 11 de Janeiro de 2008

15 comentários:

Ver para crer disse...

Bonito poema!
«Escondes-Te
Para eu Te procurar melhor,
Para eu não desistir
De Te encontrar…»

Celina disse...

Oi! É muito bom receber visitas quando se começou à apenas dois meses.
Adicionei seu blog à minha lista para não perder o caminho!
Obrigada por seu comentário e fique com Deus.
Celina

Fa menor disse...

Meu amigo Joaquim,
é normal que por vezes nos sintamos assim um bocadito abatidos sem razão aparente.
Mas anima-nos a certeza de que Ele nunca nos abandona, de que Ele é o nosso melhor amigo. Isso nos devia bastar, não é? mas somos humanos e por isso frágeis. Mas estás a ver, quando se tem um amigo como Ele, que tão bem sabe jogar connosco, a nossa tristeza acaba em alegria.

Um abrajinho muito amigo em Cristo, pedindo-te desculpa pelo meu atraso em visitar-te.

joaquim disse...

Obrigado amigo padre!

Abraço em Cristo

joaquim disse...

De nada Celina!

Tenho grande estima pelas/os catequistas.

Volta sempre que eu também te visitarei.

Abraço em Cristo

joaquim disse...

Amiga Fa

Obrigado pelas tuas palavras sempre amigas e boas conselheiras.

Abraço amigo em Cristo

malu disse...

Pobre tristeza que não contou encontrá-Lo nesse teu coração grande, queria ela! ;)

(que ternura!)

Abrjs.

GP disse...

Oh! Que lindo!
Também se abateu sobre mim uma tristeza grande. O pior é que ando tão fragilizada que não consigo ouvir "mais quente, mais quente, mais frio, mais frio". Mas sei que não fui posta fora do jogo. Vou continuar atenta para conseguir ouvir a voz Dele.
Obrigada pela visita ao sarrabiscos que é sempre um bálsamo. Tomei a liberdade de colocar este blog no local dos que "sarrabiscam por aí...". Espero que não tenha sido abuso da minha parte.

Beijos

Maria João disse...

Há alturas assim... Cristo também as teve...

Mas, o importante é que Ele está connosco até ao fim dos tempos...

beijos e muita força!!!

joaquim disse...

Eh, Malu...acertaste!

A tristeza tem pouca sorte comigo...
Não se faz cá velha...
Ele não deixa e eu, pequenito, abraço a Sua alegria...

Abreijos em Cristo

joaquim disse...

Amiga Graça

Eu é que agradeço a ligação ao "Verdade".

É quase sempre, mas não só, na provação que Ele nos fala mais ao coração.
É ver como Ele tem tomado conta do Lourenço...
Deixemo-nos surpreender pelo modo como Ele nos fala, como Ele nos toca, estando atentos à Sua presença nas nossas vidas.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Olá Maria João

São momentos, graças a Deus para mim, muito rápidos...

Quando começei a escrever sentia realmente essa tristeza, mas quando acabei apenas sentia a alegria de saber que Ele estava comigo.

E a tua missão, ou missões, continuam empenhadas?

Rezo por ti.

Abraço amigo em Cristo

um amigo disse...

Caro Joaquim,
Embora pessoalmente nada tenha a ver com isso, reparei por acaso que se tem referido ao blog "Ver para Crer" como sendo dirigido ou escrito por um "padre", quando na realidade se trata de uma "mulher", que ela, sim, já devia ter desfeito o equívoco, ao menos por uma questão de ética...
Ver para crer? ;)
Cumprimentos.

joaquim disse...

Em relação ao comentário anterior enviei o seguinte mail ao padre do "ver para Crer":

"Caro Padre amigo

Alguém deixou no meu blogue "Que é a Verdade?", este comentário:

um amigo disse...
Caro Joaquim,
Embora pessoalmente nada tenha a ver com isso, reparei por acaso que se tem referido ao blog "Ver para Crer" como sendo dirigido ou escrito por um "padre", quando na realidade se trata de uma "mulher", que ela, sim, já devia ter desfeito o equívoco, ao menos por uma questão de ética...
Ver para crer? ;)
Cumprimentos.
Claro que isto não tem qualquer importância, mas sem querer entrar na tua intimidade, corresponde este comentário à realidade?

A resposta não afectará em nada, obviamente a consideração e até amizade que tenho pelo teu blogue e pelos teus comentários.

Abraço amigo em Cristo"

Com a sua autorização expressa coloco aqui a sua resposta:

"Caro Amigo:

Trata-se de um equívoco. De facto o blog Ver para crer é dirigido por um padre da diocese de Coimbra. Eu próprio. Mas uma jovem, ou alguém por ela, pôs uma vez um comentário como sendo de Ver para crer. Entretanto, quando o vi, apaguei-o."

Fica assim afastada qualquer dúvida sobre o autor do "Ver para Crer" que é sem dúvida um sacerdote.

Quanto ao "ver para crer" é de reparar que por baixo está escrito "crer para ver"...
Julgo eu, pois não pedi explicação para estas frases, que tem a ver com a "famosa" frase de São Tomé: «Se não vir...não acredito» Jo 20,25, mas dando-lhe o sentido de que se "só acreditando podemos ver".

Abraço em Cristo

Ver para crer disse...

Caro Joaquim:

O que escreveste no comentário anterior corresponde à verdade.
Sou padre, embora não faça alarde disso no meu blog.