quinta-feira, 14 de setembro de 2006

AS VAIDADES E OS ORGULHOS

Os meus filhos mais novos chamam-se Pedro (12 anos) e André (8 anos), como os irmãos Apóstolos do Senhor.

Há uns tempos atrás, quando participávamos numa Missa, durante a Homilia o Sacerdote explicava que André, o primeiro discipulo, tinha chamado Pedro, seu irmão, para seguirem a Jesus Cristo.

De imediato o André olhou sobranceiramente para o Pedro, que me disse em voz baixa ao ouvido:
- Não é justo, eu é que sou o mais velho!!!

Olhei para ele, talvez pensando numa resposta muito didática, mas o que saiu foi:
- Deixa lá, tu é que foste o primeiro Papa!!!

Até as crianças vivem um pouco este terrivel espinho da vaidade, do orgulho.

E eu, conheço bem o virus, que me ataca sem dó, nem piedade e muitas vezes não há "antibiótico" que chegue para o debelar.

Tem compaixão, Senhor, porque sou fraco.

3 comentários:

Andante disse...

Há que consolar as crianças e não as deixar criar estigmas de quem é mais importante.
A cada um o seu valor.
Têm talentos diferentes, ajuda-os a pô-los a render.
Não te penalizes, pois Jesus também permitiu algumas diferenças (João não foi o primeiro irmão)...

Abraços peregrinos

Diogo Taveira+ disse...

Caro amigo Joaquim, Paz e Bem.
Mesmo que a resposta não tenha sido a mais didáctica, foi bastante opurtuna e engraçada. Talvez dê para remediar a situação mostrando aos dois que ambos tiveram o mesmo grau de importância, e que na sua relação para com eles se passa o mesmo. Todos somos filhos de Deus, e cada um recebe todo o Amor, de forma igual, do Pai.
Um abraço em Cristo,
Diogo

joaquim disse...

Cara Andante

obrigado pelo teu comentário.

Não fiquei nada penalizado com a resposta que dei, (a qual serviu perfeitamente à situação), apenas a salientei para dar corpo à ideia que apesar de tudo, pensamos muito mais na importância dos "cargos" ou das "coisas" do que congratularmo-nos com o bem dos outros.

Boas caminhadas na praia.

Abraço em Cristo
Joaquim

Caro Diogo Taveira

Realmente o mais importante é isso, o amor de Deus, que é igual para todos independentemente da "importância" que possamos ter na nossa vida terrena.

E também que tudo nos é dado para glória de Deus e serviço aos nossos irmãos e irmãs, filhos de Deus como nós, e não para nosso orgulho ou vaidade.

Obrigado pelo teu comentário.

Abraço em Cristo
Joaquim