segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

UM ANO QUE PASSOU E UM ANO QUE CHEGA.

.
.








Está a chegar um novo ano!
Olho para trás e quero perceber aquilo que mais me marcou neste ano que passou.

E a primeira coisa que me vem à memória e ao coração, é a humildade.

A humildade de Bento XVI, (o tal “pastor alemão” irredutível), que resigna ao seu pontificado, por reconhecer a “fraqueza” das suas forças, motivada pelos seus muitos anos de vida.

A humildade de Francisco que no seu primeiro acto público pede aos fiéis que rezem por ele, humildade demonstrada depois nos muitos gestos que vão preenchendo o dia-a-dia do seu pontificado.

A humildade de tantos cristãos perseguidos por esse mundo fora, e que humildemente baixam a cabeça em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

A humildade de tantos Bispos e Sacerdotes que apontam Jesus Cristo, que mostram o Caminho, sem querer ser reconhecidos, fazendo-se “pequenos” perante o Senhor e os homens, sendo trabalhadores da Messe, sem esperar outra recompensa que não seja a graça de Deus.

A humildade de tantos fiéis anónimos que servem a Deus em Igreja, ensinando, catequizando, secretariando, limpando e embelezando as igrejas, sem querer um momento de “glória” ou de elogio, mas apenas para servir a Deus, servindo a Igreja.

A humildade daqueles casais que se amam em doação, procurando o bem e a felicidade do outro, sabendo reconhecer os seus erros, para todos os dias renovarem com ou sem palavras o seu Matrimónio cristão.

A humildade daqueles pais e daqueles filhos, que se dedicam uns aos outros, reconhecendo exageros e irritações, perdoando-se mutuamente, para todos os dias construírem a igreja doméstica que é a família cristã.

A humildade daqueles que, “feridos” por uma qualquer situação irregular nas suas vidas conjugais, aceitam em amor a Doutrina da Igreja, e procuram na obediência o caminho em Igreja, ao encontro do Senhor que sempre se faz presente.

A humildade dos que foram capazes de se aproximar daqueles que ofenderam, ou por eles foram ofendidos, e pediram perdão ou perdoaram.

A humildade que o Senhor coloca no meu coração, (por mim tal humildade não aconteceria), cada vez que se deixa tocar por mim, para que O possa dar como alimento divino, àqueles que O procuram e O reconhecem como Deus e Senhor.

Como Deus faz as coisas bem feitas!

Naquilo que supostamente me poderia humanamente orgulhar, (ah, e eu sei bem o que é o orgulho!), ser Ministro Extraordinário da Comunhão, (a graça maior que Ele entendeu dar-me este ano), é quando me sinto mais fraco, mais pecador, mais servidor.
É então que reconheço que só com Ele, a humildade é graça e caminho para Deus, com Deus e em Deus.

Um Feliz Ano Novo para todos, cheio das graças e das bênçãos de Deus Pai, Filho e Espírito Santo!


Monte Real, 30 de Dezembro de 2013 
Joaquim Mexia Alves
.
.

8 comentários:

JOSE MARQUES FERREIRA disse...

Uma ordenação muito bem explícita dos princípios das bem-aventuranças. Oxalá todos seguissem esse belo código de conduta em direcção à concórdia, ao amor e à salvação.Bem haja... Bom ano também.

JM Ferreira

Anónimo disse...

como Deus faz as coisas bem feitas. Diz e muito bem.Deus mostra-nos quando se faz presente nas nossas vidas. E há que ter a humildade de o reconhecer e dar graças por tantas benções e tantas mudanças de rotas e caminhos. Sim, porque Deus troca-nos muitas vezes as voltas nesta caminhada da vida. E só com humildade podemos reconhecer essas trocas de caminho e seguir a direção certa.
Bem haja e um feliz ano novo também para si.
M. Lurdes

joaquim disse...

Obrigado José Ferreira.

Bom ano!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado M. Lurdes.

E como nos troca as voltas!!!!

Bom ano!

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Excelente. Bom ano amigo

joaquim disse...

Obrigado Paulo.

Bom ano.

Um abraço amigo em Cristo

Concha disse...

Ainda que bem atrasada,agradeço e retribuo os votos de Bom 2014.Que o Senhor nos conceda a todos a graça de estarmos mais com Ele em tudo na vida.

joaquim disse...

Obrigado Concha.

Um abraço amigo em Cristo