terça-feira, 22 de outubro de 2013

MINISTRO EXTRAORDINÁRIO DA COMUNHÃO

.
.
 


 
 
 
 
Neste Domingo dia 20, na Paróquia da Marinha Grande, foi confirmada na Eucaristia das 19.00, pelo Ritual próprio, a minha nomeação como Ministro Extraordinário da Comunhão.
 
E o que senti eu nesses momentos?
Não sei muito bem como definir o que senti e como senti, essa graça a que o Senhor me chamou.
 
Confesso que tive muitas dúvidas sobre a “minha” Fé que afirmo professar, sobre a constância da minha entrega, sobre a minha conversão contínua, sobre tudo aquilo que sou e sinto, enfim, resumindo, sobre a minha falta de dignidade para assumir tal serviço em Igreja.
Obviamente que dignidade nunca a terei, (sou pecador), por isso só Ele ma pode conceder nos momentos em que se quiser servir de mim.
Mas existiam também em mim as dúvidas, os “medos”, de aceitar tal nomeação, conhecendo eu o meu orgulho, a minha, por vezes, ânsia de protagonismo.
Mas na Confissão e conversa tida com o meu Pároco, pouco antes da Eucaristia, de uma “penada”, ele afastou de mim tais dúvidas e receios.
Perguntou-me se eu me tinha proposto, se eu tinha querido, se eu tinha feito algo para ser nomeado, e perante a minha resposta negativa, apenas me disse qualquer coisa como: «aceita porque a vontade não é tua.»
 
O que senti então naqueles momentos em que pela primeira vez foi colocada nas minhas a píxide contendo as hóstias consagradas, contendo realmente o Corpo e Sangue de Jesus Cristo?
 
Senti-me um nada útil, ou usando as palavras do próprio Cristo, um servo inútil!
Por uma imensa graça, (como é que Ele faz estas coisas?), pela primeira vez na minha vida senti-me o mais pequeno entre todos, e juro que se pudessem ver o meu coração, acredito que veriam o amor a verter-se sobre todos, não o meu pobre amor, mas o amor que Ele, o Senhor do Amor, colocava em mim.
As minhas mãos, tantas vezes trémulas, estavam firmes apesar do tremor, e parecia-me ouvir em cada momento a minha voz forte, mas sobretudo convicta, a afirmar: «O Corpo de Cristo!»
Não era eu que ali estava, mas o Joaquim que só Ele conhece e ao qual nem eu tenho acesso quando quero, mas apenas quando Ele quer.
 
No fim vieram dar-me os parabéns algumas pessoas amigas e outra vez me admirei.
Eu tão orgulhoso, eu que me julgo tantas vezes mais do que os outros, eu que me acho em tantos momentos mais importante do que os outros, senti-me uma criança “apanhada” num acto de ternura e ia jurar que até corei.
 
Que caminho, meu Deus, que caminho me fazes percorrer!
Desde o afastamento total de Ti e da Igreja, até à dependência total e voluntária de Ti, em Igreja!
 
“Apenas” Te posso dizer, com o coração repleto de amor: Glória a Ti, Senhor, glória a Ti!
 
 
 
Marinha Grande, 22 de Outubro de 2013
Joaquim Mexia Alves
.
.

10 comentários:

António Mexia Alves disse...

Os Caminhos de Deus são, quase sempre, incompreensíveis ou, de alguma forma, causam perplexidade.
Ah! Mas isto só acontece quando nos esquecemos que, Ele, disse: «Não vim chamar os justos, mas os pecadores»!
Eu, que sou um desgraçado, atrevo-me a dizer: "Ainda bem que sou pecador...".

Anseio pelo momento de receber esse Jesus que nos chama, das tuas mãos!

Anónimo disse...

Fico imensamente contente por ti e pela tua comunidade paroquial. Sei que és autentico... e é isso que deves ser sempre. Por isso neste novo ministério, se fores autêntico, Deus há-de operar o que tiver de operar em ti.

abração e parabéns por teres aceitado este convite de Deus!

Jorge Castela

JOSE MARQUES FERREIRA disse...

Olá Joaquim:

Nem sempre comento. Mas sempre gosto de ler... e meditar.
«Como são insondáveis os desígnios de Deus».
Eu já li isto algures.

Um abraço,
JM Ferreira

Concha disse...

Que maravilha!Lembrei-me de "a quem muito foi dado, muito será pedido".Desejo a continuação desta caminhada, feita sem dúvida com muitas dificuldades,mas com a presença do Senhor que ajuda a suportar.
Um bem haja grande,pela partilha sempre tão sincera, diria mesmo que de coração escancarado.
Um abraço na Paz

Ailime disse...

Olá Joaquim sinto-me muito emocionada pois acabei de ler um testemunho, mais um testemunho da sua Fé, do seu Amor a Deus. Na verdade é Deus que capacita os escolhidos. E o Joaquim é uma dessas pessoas, que são para todos nós um enorme exemplo! Desejo-lhe muitas felicidades nesse novo ministério.
Abraço na Paz de Cristo. Ailime

joaquim disse...

Obrigado António.

Rezao por mim.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu amigo Pe Jorge Castela

Muito obrigado pelas tuas palavras.

Vindas de ti significam muito para mim.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

É verdade amigo José M. Ferreira.

Caminhos extraordinários!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Concha.

Obrigado pela sua presença e pelas suas palavras que sempre me incentivam.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Ailime pela sua amizade e pelas suas palavras.

Se alguma coisa faço, não sou eu, mas é Ele que faz em mim.

Um abraço amigo em Cristo