quinta-feira, 19 de setembro de 2013

SACRÁRIOS VIVOS!

.
.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os sacrários são normalmente peças de muita beleza exterior, mesmo aqueles que primam pela simplicidade.
 
No entanto o seu interior é, normalmente, apenas constituído por paredes nuas, sem qualquer decoração.
 
Assim poderemos dizer, que os sacrários são muito belos por fora, mas despidos de beleza por dentro.
 
No entanto tudo se transforma quando no sacrário está Jesus Cristo Sacramentado!
 
Podemos afirmar então, que a maior beleza do sacrário está no seu interior, e que já não interessa sequer aquilo que ele é por fora.
 
Aliás os sacrários têm um fim, que é conterem, guardarem dentro de si, Jesus Cristo Sacramentado.
 
E sabemos que eles estão a cumprir essa missão quando há uma luz, sempre acesa, que nos diz que ali está a Presença Real de Jesus Cristo.
 
Se assim não for, a luz está apagada e os sacrários para nada servem, a não ser para decoração, para museus, e não nos suscitam mais nada, a não ser a apreciação da sua beleza, ou a falta dela.
 
Enfim, não nos detemos neles e nada acrescentam às nossas vidas!
 
Nós somos muitas vezes assim, como os sacrários!
 
Arranjamo-nos exteriormente, não só cuidando do aspecto do corpo e do que vestimos, mas também, tantas vezes aparentando uma maneira de ser que nada tem a ver connosco, (com o que nós realmente somos), enquanto no interior somos apenas paredes nuas, sem qualquer beleza, sem luz, porque não nos preocupamos em ser amor para nós e para os outros, porque em nós não mora Jesus Cristo, fonte do Amor.
 
Podemos conversar com quem quisermos, mas as nossas conversas são apenas palavras, não deixam rasto, nada acrescentam às vidas que por nós passam.
 
No entanto, quando nos abrimos a Ele e deixamos que Ele faça em nós morada, o aspecto exterior conta pouco ou nada, porque a expressão que transmitimos é a beleza do amor, há uma luz acesa em nós, e as conversas que possamos ter, o testemunho de vida que damos, deixa sempre uma impressão indelével, que leva muitas vezes os outros a deterem-se e pensarem nas suas próprias vidas.
 
Tal como os sacrários também nós temos um fim!
 
Esse fim é sermos sacrários vivos, ou seja, enquanto os sacrários na igreja “apenas” contêm Jesus Cristo Sacramentado, mas estão ali, estáticos, sem nada nos transmitirem de si próprios, nós poderemos ser sacrários vivos, ou seja, levarmos Jesus Cristo aos outros, transmitindo tudo o que Ele faz em nós, dando testemunho da Sua presença viva em nós e no meio de nós.
 
Os sacrários na igreja podem “conter” Jesus Cristo Sacramentado, mas não mudam, são sempre do modo como foram feitos.
 
Nós, se formos sacrários vivos, vamos sendo moldados, aperfeiçoados, pela presença de Jesus Cristo em nós, e essa mudança reflecte-se em nós e de nós para os outros.
 
Enquanto nos sacrários na igreja, a luz indica a presença de Jesus Cristo Sacramentado no seu interior, em nós, quando somos sacrários vivos, a luz é o Próprio Jesus Cristo que brilha em nós!
 
Faz do teu coração um Sacrário vivo, onde more sempre Jesus Cristo!
 
Marinha Grande, 21 de Setembro de 2007
 
Nota:
Recupero este texto de 2007, porque me fez muito bem relê-lo.
.
.

6 comentários:

Maria da Fé disse...

Lindo Blog!!! "Nada nos pode separar do amor de Deus,
que está em Cristo Jesus"
Faça uma visitinha ao nosso Blog http://botefeamor.blogspot.com.br/
Abraços Fraternos

Paulo disse...

E faz algum tempo que "ali" não vou. Converso com Ele, confesso, mas há noite, durante o dia e, quando me dá vontade de lhe dizer alguma coisa, mas faz algum tempo que "aí" não vou.

Fernando Brites disse...

Obrigado, Joaquim, pela bela comparação e pela bela reflexão.

joaquim disse...

Obrigado Maria da Fé.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Então Paulo, é altura de recomeçares a ir, meu amigo.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Fernando, muito obrigado.

Um abraço amigo em Cristo