quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

QUARTA FEIRA DE CINZAS

.
.
 
 
 
 
O tempo da Quaresma é para mim um tempo de profunda tranquilidade, um tempo de procura de um encontro sempre mais intimo com Deus, um tempo de uma serena alegria, um tempo de regressar, (não ao ventre materno como pergunta Nicodemos a Jesus Jo 3, 4), mas ao nascer do Alto, ao nascer do e no Espírito Santo, que nos conduz no caminho da conversão, no caminho da santidade.
 
No tempo da Quaresma os cânticos, os Salmos, “enchem-se” de palavras e de músicas que convidam à interioridade, repassadas por vezes de dor, mas sempre com uma serena alegria por detrás, a alegria da confiança, da esperança que nos leva a acreditar, a viver a Verdade, de que a seguir à Paixão e Morte do Senhor, vem inexorável a Sua Ressurreição.
 
«Chegaram os dias de penitência:
 expiemos nossos pecados e salvaremos nossas almas.»
 
Assim cantamos, e neste cântico vêm-me as lágrimas aos olhos, não tanto porque sou pecador, mas mais porque pela graça de Deus me sei pecador.
Mas essas lágrimas, não são lágrimas de tristeza, mas de uma imensa serenidade, quase diria de um intimo consolo, por saber, por acreditar, que o Seu amor por nós, por mim, é sempre muito maior, infinitamente maior, do que as nossas fraquezas, do que o meu pecado.
 
Quando as cinzas caírem na minha cabeça, neste dia de Quarta feira de Cinzas, peço a Deus que elas caiam directas no meu coração, que o meu pecado, desde o mais leve ao mais pesado, seja transformado nessas cinzas, e assim purificado pelo Seu amor, que do meu coração se eleve um cântico, um salmo de louvor ao meu Deus e meu Senhor, e que nos meus lábios desponte o sorriso sereno daqueles que nada temem porque vivem a verdade da Sua constante presença no meio de nós e em nós.
 
«Chegaram os dias de penitência:
 expiemos nossos pecados e salvaremos nossas almas.»
 
 
 
 
Quarta feira de Cinzas
Monte Real, 13 de Fevereiro de 2013
.
.

10 comentários:

António Mexia Alves disse...

Neste belo escrito falas de pecado e de culpa e... falas com alegria.
Faz-me lembrar o Hino que a Igreja entoa "Oh! Felix culpa!".
De facto chega-se a pensar que o pecado é uma das maravilhas que, ao dar-lhe a liberdade, Deus consente ao homem, exactamente para suscitar o arrependimento e, depois, a alegria do perdão.

Um abraço

Concha disse...

Neste tempo que para mim é também de uma consciência mais apurada do que sou e quero ser,dos que me rodeiam e do que grita no rosto de cada um o que há de melhor, mas também o reflexo do que há de pior em mim.É um tempo de olhar para dentro e depois ousar olhar para o Alto e reconhecer que só há um Senhor e Ele vem à minha vida de um modo discreto mas efectivo provando-me nos mais pequenos sinais a Sua presença.
Num tempo também difícil, pela actualidade dos acontecimentos,acresce uma responsabilidade de não fazer coro com o burburinho próprio da mudança que desinstala,sempre com algum sofrimento, mas na certeza de que há Um Olhar que protege e orienta como sempre aconteceu ao longo de toda a história da igreja.
Bem hajas amigo Joaquim,por partilhares o teu sentir e em simultãneo seres sempre luz neste caminho único de ser feliz.
Abraço com votos d eum excelente tempo de Quaresma.

Blog da crisma - TT. - disse...

O Homem insiste em ver o mundo atravez da carne.
O principal no mundo se ve com olhar espiritual.
'muitos cegos são, porque não o veem, cegos de cegueira espiritual.'

muito boa a colocação no seu blog.
aguardo visita.

Deus abençoe sempre e sempre

P. Armindo disse...

Depois de coisas tão belas e maravilhosamente ditas, fico sempre sem palavras.
Uma coisa posso também testemunhar: anseio sempre por este tempo: é o tempo favorável ... À noite ao chegar ao quarto nestes dias da Quaresma não ligo o rádio nem a televisão. É tempo de silêncio . Lembro o que o Senhor diz e que aplico bem neste silêncio: quando orares entra no quarto, fecha a porta e ora no silêncio. Entrar em nós, nos mais íntimo mesmo na oração comunitária é essencial para o encontro com Deus. E é aí que encontramos a paz, a alegria a serenidade, porque aí ouvimos a voz daquele que ns ama: Tu és o meu filho muito amado, em ti pus todo o meu enlevo.

joaquim disse...

Obrigado António!

Realmente, "apresentar-se triste" depois do perdão de Deus, é quase como duvidar da Sua infinita misericórdia.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Concha, pelo teu testemunho e pelas tuas palavras.

A luz é Ele que quando a Ele nos abrimos "fala" em nós.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado "Blog da crisma - TT."

Realmente é preciso acreditar para ver!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Pe Armindo, meu pároco.

A sua presença e as suas palavras aqui dizem-me muito.

Obrigado pelo seu testemunho e pela sua amizade.

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Neste dia em especial, é que nos (re) lembramos que somos pó e ao pó retornaremos. Nesta dia, também começa a época mais querida do Cristão, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Santa Páscoa

joaquim disse...

Obrigado Paulo!

Um abraço amigo em Cristo