quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

SALMO DE UM "MUDO"

.
.
 
Torre de Babel

 

 

Senhor,
quero falar de Ti,
mas não consigo!
 
É que sabes,
Senhor,
sei tantas coisas de Ti,
tenho tantas ideias a Teu respeito.
 
E fui eu quem as descobriu,
sozinho,
com a minha inteligência,
com as minhas capacidades,
coisas que até agora,
gente nenhuma viu.
 
Mas não consigo falar,
nem as palavras me saem,
nem a minha voz se ouve!
 
Porquê, Senhor?
 
Ah,
dizes-me Tu,
que se a voz é apenas minha,
se tudo é apenas meu,
então não vale a pena falar,
porque não falo do que é Teu.
 
Abre a minha boca,
desprende a minha língua,
e dá-me palavras,
Senhor,
palavras que sejam Tuas,
para matar a fome da Palavra,
daqueles que vivem à míngua.
 
Silencia-me,
Senhor,
se eu falar do que julgo ser!
 
Dá-me palavras,
Senhor,
para que eu não seja mudo,
mas falar do que é viver,
no Teu amor,
na Tua palavra,
na entrega do meu tudo,
para só a Ti pertencer.

 

 

Monte Real, 12 de Dezembro de 2012
.
.

4 comentários:

Paulo disse...

Lendo e relendo o teu poema simples mas muito abrangente, sinto-o como se também fosse meu, isto é, também eu muitas vezes sinto que falo como se fosse só eu sozinho, quando no entanto, também sinto que quando falo d`Ele, é Ele que fala por mim. Tal como tu, se for só eu, cala-mE e torna-mE mudo, para não Te ofender.

joaquim disse...

Paulo, obrigado.

Peço-Lhe muitas vezes, quando vou falar em público, que me cale, se for o meu orgulho e vaidade a falarem!

Um abraço amigo em Cristo

Graça Pimentel disse...

Lindo!
Tem sempre as palavras certas para dizer aquilo que eu gostaria de ter dito.

beijo

joaquim disse...

Obrigado Graça!

Um abraço amigo em Cristo