sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

«EU ESTOU À PORTA E BATO…»

.
.


«Eu estou à porta e bato…»*

E eu surdo,
nada ouço!

Os ruídos do mundo
ecoam alto nos meus ouvidos,
e não me deixam ouvir
o Teu chamar.

Mesmo assim,
pergunto-me:
pareceu-me ouvir bater?
Mas logo me respondo:
não deve ser nada importante,
deixa-me continuar,
o que eu estava a fazer!

Envolto no mundo que me abraça
distraio-me da vida,
da verdadeira vida,
aquela que quero viver,
e que por mim passa,
só porque não Te ouço bater!

O ruído do mundo aumenta,
faz-se constante,
imperioso, instante,
já não me deixa pensar,
mas apenas me deixa seguir,
por onde ele quer,
para onde me quer levar,
perdido num caminho,
em que me deixo conduzir.

Tropeço, caio,
é cada vez mais difícil,
conseguir-me levantar.
Arrasto-me penosamente,
perdido nas paixões e vícios
das quais já não me consigo,
por um momento sequer,
libertar.

Num momento fugaz,
(porque Tu não me abandonas),
ouço um bater suave,
à porta da minha vida.

Abro-Te a porta,
deixo-Te entrar.

Trazes contigo a paz,
o caminho, a verdade,
fazes-me encontrar a vida,
que me dás em liberdade.

Lentamente,
atenua-se o ruído,
cresce a confiança,
é mais fácil o levantar,
o rir,
o caminhar,
encho-me de esperança,
e aceito a vida,
porque em Ti,
me queres salvar.

«Eu estou à porta e bato…»*

Entra, Senhor,
ceia comigo,
que eu ceio contigo!

Façamos a festa juntos,
a festa de Te encontrar,
para que eu possa viver no mundo
a vida que Tu me queres dar…



* Ap 3, 20

Monte Real, 9 de Dezembro de 2011
.
.

10 comentários:

concha disse...

Amigo Joaquim!
Sem querer elogiar-te,digo-te que o que aabei de ler é tão claro, mas mesmo tão claro que até impressiona.
Louvado seja Deus que te permite esse discernimento.
Abraço com amizade na Paz

Ailime disse...

Amigo Joaquim,
Muito belo este poema que entra no coração e me faz pensar o porquê de tantas vezes não ouvir este bater suave do Senhor.
Muito obrigada pela sua partilha e pelo testemunho da sua Fé.
Abraço em Cristo e Maria.
Ailime

Maria disse...

Muito bonito este texto. Quase me revejo nele.Bem haja!
Maria

JM Ferreira disse...

Esta belíssima explanação (oração) fez-me lembrar imediatamente o que a seguir escrevo, porque muito conhecido na música litúrgica:

E estou à porta e chamo, diz o Senhor:
Se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta
Entrarei em sua casa e cearei com ele.

(Nova Revista de Música Sacra nº 22, música de F. Silva)

joaquim disse...

Obrigado Concha!

Tudo e sempre para a glória de Deus.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Ailime.

Que Deus a abençoe.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Maria.

Julgo que nos revemos todos um pouco.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado amigo José Ferreira.

É muito belo esses cântico.

Como sabes essa frase/título corresponde a um versículo do Apocalipse 3, 20.

Aliás no post está errada a citação pelo que vou corrigir.

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Tantos, começando por mim, que ouvimos a brisa que passa, o passaro a voar, o balanço do mar mas, a Ele, muitas vezes estamos completamente surdos. Ele bate à porta, mas será que o Ouviremos antes do derradeiro momento? Por vezes, tem graça (sem a ter) gostava de ser um Zaqueu...A 1º parte sou mais do que o devido, quanto à 2ª...Ele bate, mas nem sempre O ouço.

joaquim disse...

Meu caro Paulo

Nós que acreditamos, em algo momento das nossas vidas já fomos um pouco como Zaqueu.

Precisamos é de o continuar a ser todos os dias.

Obrigado pelo teu comentário.

Um abraço amigo em Cristo