quinta-feira, 13 de maio de 2010

BENTO XVI - 1

.
.
Ontem estive em Fátima, na igreja da Santíssima Trindade para rezarmos as Vésperas com o Papa Bento XVI.
Foi algo que me foi oferecido e que eu agradeço a Deus do mais fundo de mim próprio.
Claro que tinha de escrever sobre tudo isto!
Sentado aqui, com este teclado na minha frente, deixo extravasar as minhas emoções e as minhas vivências destes dias.

Bento XVI é uma figura frágil, quase apagada, tímida, e no entanto a sua presença faz-se sentir e toma conta de nós.
João Paulo II apresentava-nos a fragilidade da doença que como um verdadeiro mártir abraçava, tenho a certeza por todos nós.
Bento XVI apresenta-nos também uma fragilidade, de tal modo que dá vontade de o proteger, mas quando olha, quando fala, quando ora, percebe-se a firmeza, a segurança, a radicalidade da entrega confiante.
Cada um dos seus gestos é uma expressão da interioridade da Fé que vive e à qual se entrega, e percebe-se que todos eles têm uma explicação doutrinal e catequética.
Nada é dito que não tenha importância e em todas as suas palavras há um profundo ensinamento.
Percebe-se, digo eu, que mesmo reconhecendo-se a si próprio como homem profundamente inteligente e de cultura absolutamente invulgar, reconhece que nada disso serve para nada se não for iluminado pelo Espírito Santo que o conduz.
E percebe-se isso, digo eu, porque cada momento de pausa, (e ele provoca muitos momentos de pausa), são passados em profunda oração, como a esperar a condução do Espírito para o próximo momento.
Poderemos dizer que as homilias já estão escritas, é certo, mas atrevo-me a dizer que foram escritas em oração e iluminadas pela oração que constantemente toma conta dele.
O sorriso é tímido, quase envergonhado, mas é ao mesmo tempo de uma humildade confiante, desconcertante.
O brilho nos olhos muito vivos, revela uma paz e uma confiança que vão muito para além das suas capacidades, porque são a certeza do Emanuel, o Deus connosco, que ele não cessa de repetir à saciedade: Jesus Cristo está connosco, está no meio de nós!
E as suas palavras revelam isso mesmo.
Num mundo que quer encontrar um deus que sirva as suas necessidades, Bento XVI afirma-nos contra a corrente que provavelmente andamos enganados, pois Deus não se encontra fora, mas sim e primeiro dentro de nós e nos outros.
Afirma aos sacerdotes e a todos nós, que Deus se encontra em nós na oração, na prática diária do amor, e não na azafama das coisas que não têm a ver com a missão, seja ela sacerdotal, seja ela a de simples leigos discípulos de Cristo.
Essas virão por acréscimo, e serão abençoadas por Deus, porque se Ele vive em nós, também por Ele são queridas e abençoadas.
É o recentrarmo-nos em Cristo, fonte, princípio e fim de todas as coisas, porque só n’Ele, com Ele e por Ele, essas mesmas coisas têm sentido.
Em Fátima mesmo sem o dizer, ele diz-nos que Maria só pode ser entendida e “usufruída” quando iluminada por Cristo.
E então, quando assim é, que poderosa intercessora, que insigne advogada, temos na Mãe que o próprio Senhor nos quis dar.

Ao ouvir, ver e tentar perceber Bento XVI, questiono os meus saberes, as minhas certezas, e fico incomodado com as minhas vaidades e os meus orgulhos, percebendo então que nada sou e que só quando me entrego verdadeiramente a Jesus Cristo, tudo o que me foi dado saber, aprender e viver, tem sentido e pode servir aos outros.

Esta será para mim uma primeira lição, e que importante lição, saber que devo viver na entrega constante, porque só quando me entrego totalmente e deixo que Deus faça em mim, eu sou verdadeira “imagem e semelhança” d’Ele, e que só assim posso ser para os outros o que Jesus Cristo é para mim e em mim.

Monte Real, 13 de Maio de 2010
.
.

22 comentários:

Anónimo disse...

Um abraço, Joaquim!

Mário disse...

Joaquim,
deixa-me a imagem frágil de Bento XVI confundido, com a sua cultura e humanidade.
Encanta-nos!
É maravilhosa a sua visita, assim saiba-mos percorrer o caminho que ele nos indica.

Um abraço,

Mário Fitas

Uma Brasileira disse...

Joaquim...


Fico sem palavras ao ler seu testemunho.

Quando Vejo o Papa na tv, net ou revistas, é assim mesmo, como vc o descreve, que o vejo.


Abraços em Cristo do tamanho do oceano que nos separa (ou une, sei lá).

Dulce disse...

Olá meu amigo Joaquim. Ao ler o que escreveu fiquei muito feliz por dois motivos: o 1º é que também tive a graça de estar presente na igreja da Santíssima Trindade(estivemos bem perto), o 2º porque senti esse momento como uma benção, uma graça(mais uma) que nossa Senhora me deu.
Estar ali, tão perto, escutando o sucessor de Pedro foi maravilhoso.
Um abraço em Cristo e Maria

joaquim disse...

Um abraço para ti também, caro anónimo!

joaquim disse...

Meu caro Mário

Tens razão!

Se não aproveitarmos esta visita de Bento XVI para recentrarmos a nossa vida, de nada ela serviu, pelo menos para nós próprios.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Minha amiga Brasileira

Obrigado pela visita e pelas palavras.

Claro que o mar tem de nos unir, para separar já há distâncias que cheguem!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Dulce

Que bom saber que também lá esteve.

Se calhar estivemos perto um do outro sem sabermos!!!

Foi realmente uma benção!

Um abraço amigo em Cristo

Nova Civilização disse...

Amigo Joaquim,

que belo testemunho. Desde as nossas reflexões da quaresma venho pensado muito nesta fase. " É preciso que eu me torne pequenina.." Daí, toda vez que o meu Eu, o meu egoísmo, o meu amor próprio tenta passar a frente de tudo que aprendemos com Cristo eu torno a refletir sobre isso e entendo o quanto eu preciso deixar que Ele tome conta de mim. O quanto eu preciso entender a sua sabedoria que aos nossos olhos pode parecer loucura mas é o que nos leva ao caminho certo!

obrigada pela partlha,

abraços fraternos

Gisele

DE MÃOS DADAS disse...

Apesar de ter visto o Papa triste e inquieto ao chegar a Portugal consegui no dia 13 ver aquele olhar tranquilo e confiante, um olhar de paz pensei que talvez a oração e a prece de tantos preguerinos o tenha ajudado através de Jesus caminho verdade e vida,por intercessão de Maria.
Gostei.
Que Deus o abençoe

Espectadores disse...

Caro Joaquim,

Obrigado por mais esta valiosa partilha!

Queria recordar aqui outro momento, quando o Papa esteve quarta-feira de manhã no CCB. Num dos trechos de música coral portuguesa que foram interpretados pelo Coro Gulbenkian, as televisões captam a face de Bento XVI de muito perto. É um momento magnífico: por breves instantes, até as rugas desaparecem da cara do Santo Padre, e todo ele irradia uma alegria, uma juventude e uma paz impressionante. A música tocou-o nesse momento, e as câmaras da televisão não puderam deixar de mostrar, através dessas imagens, a alma aberta do Papa.

Um abraço!

teresa disse...

o meu pai e o meu marido também lá estiveram , a representar a pastoral social , se calhar tiveram todos perto sem saberem , isto á coisas !
mas os dois foram unanímes a dizer que a presença do santo padre é realmente uma grande graça , uma experiençia indescritivél , unica , e tão comovente que não havia palavras para a descrever ...

jinhos grandes ..

amigo continuamos juntos em oração , agora pela mer que está a precisar , a nossa amiga do blog retiro do edan ...
passa lá ..

joaquim disse...

Amiga Gisele

É bem verdade o que dizes: só se nos fazemos pequeninos e disponiveis conseguimos abracar e sentir o amor de Deus.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Utilia

Sem dúvida que muita gente rezou por esta peregrinação do Santo Padre, que é ele próprio pelo que nos foi dado ver um homem de oração constante.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Caro Bernardo

Não tive oportunidade de ver esse momento, mas vi a sua oração na Capelinha e como foi preciso o Mestre de Cerimónias tocar-lhe no braço para Bento XVI sair da sua profunda oração.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Olá Teresa

Pelos vistos eles estiveram na recepção ao agentes da Pastoral Social, e eu estive na Oração de Vésperas.

Foram momentos sem palavras, para viver simplesmente!

Um abraço amigo em Cristo

Não percebi a última parte do teu comentário!

RETIRO do ÉDEN disse...

Venho agradecer de coração humilde a amabilidade do carinho da sua preciosa oração por todos nós envolvidos... que cada um à sua maneira necessitamos.
Um Santo Domingo
Fiquemos com ELE.
Abraço
Mer e família

C.M. disse...

Tive um convite para "ir às Vésperas" mas não pude. Foi pena, pois ainda lhe punha a vista em cima...Um Abraço!

joaquim disse...

Caríssima Mer

Não tem que agradecer.

Seja bem vinda a este espaço.

Que Deus vos abençoe.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Meu caro amigo Delfim

Pois digo-lhe que perdeu algo de inesquecível!

Um abraço amigo em Cristo

concha disse...

Amigo Joaquim!
Que bom teres usufruído desse modo das vésperas na Santíssima Trindade.Fico feliz por ti e por também eu poder ter acesso a esta descrição daquilo que elas representaram.
Hoje estive a ver a missa no Porto e não há dúvida de que a expressão do Santo Padre está diferente transmitindo uma serenidade e paz que contagiam.Estive na Rotunda do Relógio onde passou bem perto e estive no Terreiro do Paço, mas bem longe.O que posso dizer é que ganhei uma confiança em afirmar o meu acreditar que até me interpela.No dia 14 houve um encontro da comunidade a que pertenço em Fátima e ainda pairava no ar a alegria da presença de Bento XVI.Muito bom mesmo e que o Espírito Santo nos ilumine para que este ânimo não esmureça.
Um abraço na Paz

joaquim disse...

Obrigado amiga Concha.

Realmente a vinda do Santo Padre pode e deve ser para nós um reavivar da Fé e da Esperança, um reencontro com Cristo e um recentrar na missão do cristão, que é ser testemunha do «Deus vivo entre nós».

Um abraço amigo em Cristo