quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

EPIFANIA DO SENHOR

.
.
«Ao ver a estrela, sentiram imensa alegria; e, entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, adoraram-no; e, abrindo os cofres, ofereceram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra.» Mt 2,10-11

Ao ler toda a narração do encontro dos magos com o Menino Jesus, detenho-me em algo tão simples como isto:
«Prostrando-se, adoraram-no; e, abrindo os cofres, ofereceram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra.»

Perante Aquele Menino e a luz que d’Ele emana, a luz que Ele próprio é, (a estrela que os guia), cheios de alegria naquela presença, “apenas” se prostraram, adoraram e ofereceram presentes!

“Esqueceram-se” de pedir, de querer receber, de querer alguma coisa para eles!

Pelo menos os Evangelhos não nos dão nenhum sinal de que o tenham feito.

Diante daquele Menino, que eles já reconheciam como Rei, «prostrando-se, adoraram-no», e como Rei que era, com poder, sem dúvida, ofereceram-Lhe dádivas que essa realeza representam, mas nada pediram para eles mesmos, ou para outros.

Quantas vezes somos nós capazes de, num encontro pessoal com Jesus Cristo, na Comunhão por exemplo, nos prostrarmos, adorarmos, nos oferecermos e nada pedirmos?

Deixo-me levar pelo coração, e mesmo que exegetas da Bíblia possam dizer que é menos correcta a minha meditação, quero perceber, ou melhor, “escutar” o que Ele me quer dizer com estes factos que assim são narrados.

Será que na presença de Cristo, tão plena de alegria e luz, nos esquecemos de nós próprios, ou será que o reconhecimento dessa presença viva no meio de nós nos faz sentir “apenas” confiança e esperança, de tal modo que em nós sentimos, sabemos que, tudo o que precisamos Ele conhece, e não deixará de nos dar o que for verdadeiramente necessário para a nossa felicidade?

Ou será que as duas atitudes são somadas e por isso mesmo, esse caminho que percorremos de coração aberto até ao nosso encontro com Ele, (Jesus Cristo faz-se sempre encontrado, nós é que não O procuramos), arrostando com passadas nem sempre bem dadas, com as dificuldades de cada momento, (como Herodes na caminhada dos magos), tem de culminar com essa certeza de que o encontro pessoal com Cristo, tem de ser um momento de entrega total, de despojamento de tudo, de confiança inabalável, de esperança já cumprida, embora ainda não.

É porque se assim for, também nós seremos “avisados” pelo amor que despontará em nós, a não continuarmos pelo mesmo caminho, mas sim pelo caminho diferente e novo, que todos aqueles que com Ele se encontram de coração aberto, são convidados a seguir.

É que então já não é uma estrela exterior que nos guia, mas a luz interior, que é a Sua presença viva em nós, que nos vai iluminando os passos a dar, a estrada a percorrer, a nossa entrega a completar.

E não “precisaremos” mais de pedir, porque então entenderemos perfeitamente o que Ele mesmo nos diz:
«Não vos inquieteis com o que haveis de comer ou beber, nem andeis ansiosos, pois as pessoas do mundo é que andam à procura de todas estas coisas; mas o vosso Pai sabe que tendes necessidade delas. Procurai, antes, o seu Reino, e o resto vos será dado por acréscimo. Não temais, pequenino rebanho, porque aprouve ao vosso Pai dar-vos o Reino.» Lc 12, 29-32

Claro que poderemos continuar a pedir, mas agora já nesta certeza de que obteremos tudo aquilo que for bom, para fazermos a Sua vontade em nós e nos outros.

Não nos afadiguemos a procurar o Menino, a procurar Jesus Cristo para pedir, para obter, para receber, mas sim a querermos que aconteça verdadeiramente nas nossas vidas o encontro pessoal com Ele, que nos levará pelo Caminho Novo, que nos dará a confiança segura, que é assente na esperança viva que se cumpre todos os dias.

E então sim, viverei eu, viverás tu, viveremos todos nós, a Epifania do Senhor, que se faz presença viva permanente nas nossas vidas.

Monte Real, 6 de Janeiro de 2010
.
.

12 comentários:

Nova Civilização disse...

Amigo Joaquim,

que a luz do Menino Jesus sempre esteja a nos iluminar nos renovando a cada tempo, a cada ano, em suas verdades em suas palavras que tanto nos enche de vida!

obrigada amigo pela partilha,

abraços fraternos,

Gisele

concha disse...

Amigo Joaquim!
Encontras-te Jesus Cristo na tua vida e só podes permanecer n'Ele.Quem escreve o que acabei de ler, tem de certeza a graça de Deus em si.
Fico feliz,por poder usufruír das partilhas que aqui fazes.
Que Deus permaneça sempre em ti.

joaquim disse...

Amiga Gisele

Faço minha a tua oração.

Que o Senhor nos ilumine sempre nas escuridões ocasionais das nossas vidas.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Concha

Obrigado!

Que eu encontrei Jesus na minha vida, não tenho dúvidas, embora eu saiba que foi Ele que se fez encontrado e de tal amneira que apenas pude dizer sim, embora de vez em quando fraqueje e vá diznedo uns nãos, que Ele na Sua bondade não leva em conta.


Abraço amigo em Cristo

DE MÂOS DADAS disse...

Achei muito relevante esta reflexão sobre o que eles, reis magos ofereceram... sem pedir nada...Será que a presença de Jesus lhes foi suficiente e ficaram saciados?
Talvez sim, Mas que pedir a um pobre menino numa mangedoura?
Refletindo bem de certeza que eram
mesmo iluminados.
Um abraço amigo oferecendo a Jesus este pensamento tão absurdo
Utilia

joaquim disse...

Amiga Utilia

Obrigado!

O encontro pessoal com Jesus deve ser sempre um momento de tal modo intimo e de entrega que nem nos devia ocorrer pedir-Lhe nada, mas apenas gozar a Sua presença e a Sua misericórdia em encontrar-se, revelar-se a cada um de nós.

Realmente podemos pedir e com isso reconhecemos que d'Ele dependemos, mas não saberá Ele bem melhor do que nós, o que nós precisamos?

É este, ou pretendia ser este o tema do meu escrito, que eu te agrdeço por me ajudares agora explicitar.

Abraço amigo em Cristo

Maria João disse...

Nunca tinha pensado nisto. Faz-me lembrar um momento que vivi no Seminário Vida Nova no Espírito.

Em oração a olhar para a cruz pensei nisto: só Te pedimos coisas para nós e para os outros. Até podemos agradecer, mas como Tu também queres que paremos e estejamos simplesmente Contigo, como quem Te abraça e Te ajuda a carregar a cruz dos pecados de todos nós!

Foram breves momentos, mas abracei Cristo e deixei que Ele se consolasse de alguma forma no meu ombro.

Obviamente que não sou digna disso. Sou demasiado pecadora. Mas também sei que Cristo gosta de ver que O queremos consolar e amar e aceita o nosso colo de pecadores, acolhendo-o com amor.

Obrigada por esta partilha cheia do Espírito Santo e que nos ajuda na caminhada de santificação.


beijos muito amigos em Cristo e Maria

Ser sempre mais! disse...

Olá Joaquim,

O meu dia 6 de Janeiro teve esse significado de "Caminho Novo", Vida Nova com Cristo, por Cristo e em Cristo.

Abri-me ao novo do Amor!
Sorrisos, IDA

joaquim disse...

Maria João, obrigado!

Disseste tudo e completaste ainda mais o que eu tinha querido dizer.

Abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Amiga Ida

Que bom!

Belo e bem vivido esse 6 de Janeiro, essa Epifania do Senhor!

Só no amor encontarmos o Amor!

Abraço amigo em Cristo

Amante da Contemplação. disse...

Obrigado...

Que Jesus e Maria Lhe Paguem em Graça!


Pax Christi.

joaquim disse...

Amante da Contemplação

Obrigado eu pela visita!

Que Deus o abençoe!

Abraço amigo em Cristo