terça-feira, 22 de janeiro de 2013

“DIÁLOGO” COM O DIABO (3)

.
.
 
 




Diz ele:
Lá vais tu outra vez para a Missa!
 
Digo eu:
Pois vou! É na Eucaristia que eu me sinto mais perto de Deus e é n’Ela que me alimento d’Ele.
 
Diz ele:
Sim, está certo! Mas só precisas de ir ao Domingo. Não há necessidade de ir todos os dias!
 
Digo eu:
Aí é que te enganas! Claro que não é uma questão de necessidade, por força de lei. É uma necessidade, por força do amor. O que ama quer estar com o amado, e o amado quer estar com O que ama, para O amar também.
 
Diz ele:
Estás a ver a coisa mal. Podias muito bem aproveitar esse tempo para rezares em casa, ou leres a Bíblia, ou escreveres aqueles textos que escreves às vezes, para ti e para outros lerem.
 
Digo eu:
Estás tão preocupado com as minhas orações, leituras e escritas??? Para mim isso significa que a Eucaristia é algo de muito importante para a minha comunhão com Ele, senão, não te incomodava tanto!
 
Diz ele:
Estás a perceber tudo mal. O que eu quero dizer é que já tens a Missa ao Domingo, por isso podias aproveitar o teu tempo para melhor O conheceres na oração, na palavra e na escrita.
 
Digo eu:
Pois, pois, percebo-te! A verdade é que quando rezo em casa, ou leio a Bíblia, ou escrevo, tu tens muito mais oportunidades para andares à minha volta a atazanar-me a paciência. Quando estou na Eucaristia, a presença real d’Ele inibe-te de te aproximares de mim com tanta facilidade.
 
Diz ele:
Faz como quiseres, mas digo-te que estás enganado! Se assim não fosse, a tua Igreja teria como lei a Missa diária!
 
Digo eu:
Tu gostas muito da lei, pelos vistos! Percebo-te, porque se cumprimos apenas a lei, acabamos por cair na rotina, sem chama nem alegria. Mas para a Igreja a lei só tem sentido vivida no amor, e o amor vive-se todos os dias, não tem dia nem hora marcada, muito menos o amor d’Ele por nós e o nosso amor por Ele.
Não me enganas, porque estando Ele comigo e eu com Ele, não me podes enganar. Por isso é que não queres que O comungue! Agora vai-te e deixa-me em paz!
 
 
 
Marinha Grande, 21 de Janeiro de 2013
.
.

6 comentários:

Concha disse...


"...Percebo-te, porque se cumprimos apenas a lei, acabamos por cair na rotina, sem chama nem alegria. Mas para a Igreja a lei só tem sentido vivida no amor,...".
Sem mais nada para dizer...tudo se resume ao amor.
Abraço na paz de Cristo

joaquim disse...

É verdade, Concha.

Obrigado!

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Tantas vezes que diariamente somos tentados...sou "tentado" a dizer que até na missa Dominical também o somos. Este teu dialogo é muito interessante e enriquecedor.

joaquim disse...

Obrigado Paulo.

Sem dúvida!

Um abraço amigo em Cristo

Ailime disse...

Boa tarde Joaquim, na verdade estes seus diálogos são de uma beleza espiritual que louvo! Tocou-me profundamente este excerto que transcrevo "Pois, pois, percebo-te! A verdade é que quando rezo em casa, ou leio a Bíblia, ou escrevo, tu tens muito mais oportunidades para andares à minha volta a atazanar-me a paciência. Quando estou na Eucaristia, a presença real d’Ele inibe-te de te aproximares de mim com tanta facilidade." Nunca tinha pensado neste pormenor crucial para vivermos com veracidade a Fé em Cristo Jesus. O meu muito obrigada por estes momentos de elevada espiritualidade. Ailime

joaquim disse...

Muito obrigado Ailime.

São tantas as distrações, ou melhor, as tentações!

Um abraço amigo em Cristo