quinta-feira, 19 de julho de 2012

É TÃO BOM AQUI NO CÉU!

.
.



Éramos nove irmãos!

Realmente ainda o somos, porque mesmo aqueles que partiram para o Pai, estão connosco como presença real e verdadeira de Cristo, a Quem eles seguiram nas suas vidas, inteiramente.

Estão connosco também nas recordações de uma ligação indestrutível, cimentada pelo amor dos nossos pais, que se faz sempre mais forte do que as eventuais divergências e desentendimentos, normais entre pessoas de personalidades fortes, como todos sabemos ser.

Todos gostávamos e gostamos da vida, mas a Mena, de todos nós, era aquela que exaltava a vida, com uma força e uma vontade de viver, que nunca vi em mais ninguém.

Lembro-me desde pequeno de a ver e ouvir afirmar, com uma convicção imensa, recheada de um sorriso, que nunca haveria de morrer.

E a gente dizia-lhe: mas ó Mena todos temos de morrer!
Mas ela respondia invariavelmente: pois está bem, mas eu não! Eu nunca vou morrer!

Tive sempre a sensação que ela dizia isto muito mais porque amava profundamente a vida, do que propriamente por algum “medo” de morrer.

Lamentava-se disto ou daquilo, como qualquer um de nós, mas esses lamentos acabavam normalmente com uma graça qualquer e com um sorriso, ou mesmo uma gargalhada cheia de alegria.

Tantas histórias que eu poderia contar da Mena que, sei bem, fariam rir todos os que me lessem à conta do seu humor e da sua alegria, mas guardo-as, (desculpem os meus eventuais leitores), para as desfrutarmos em família.

A Mena amava a vida, dizia que não iria morrer, e agora descobriu finalmente o porquê desse amor exaltante à vida.

É porque a descobriu agora, naqu’Ele que é a vida, e sabe que agora, verdadeiramente, nunca mais morrerá, mas sim viverá a vida como sempre a quis viver: na alegria, na paz, no amor e para sempre!

E eu vejo o seu enorme sorriso, junto àqueles que a esperavam, e ouço a sua voz a dizer: Ai Joaquim, é tão bom aqui no Céu!


Monte Real, 19 de Julho de 2012
.
. 

16 comentários:

Rita disse...

Obrigada Tio pelas bonitas palavras que sempre escreve no momento certo e que nos ajudam a aceitar....
Beijinho

José António Carneiro disse...

A glória de Deus é mesmo o homem vivo. Vivos com Ele e Nele será sempre também a nossa alegria.
Lembrei-me de Santa Teresa de Jesus. Partilho porque gosto e rezo:

Vivo sem viver em mim,
E tão alta vida espero,
Que morro porque não morro.

Vivo já fora de mim,
Desde que morro d’Amor
Porque vivo no Senhor
Que me escolheu para Si;
Quando o coração Lhe dei
Com terno amor lhe gravei:
Que morro porque não morro.

Esta divina prisão
Do grande amor em que vivo,
Fez a Deus ser meu cativo,
e livre o meu coração;
E causa em mim tal paixão
Ser eu de Deus a prisão,
Que morro porque não morro.

Ai que longa é esta vida!
Que duros estes desterros!
Este cárcere, estes ferros
Onde a alma está metida.
Só de esperar a saída
Me causa dor tão sentida,
Que morro porque não morro.

Ai, que vida tão amarga
Por não gozar o Senhor!
Pois sendo doce o amor,
Não o é, a espera larga;
Tira-me, ó Deus, este fardo
Tão pesado e tão amargo,
Que morro porque não morro.

Só com esta confiança
Vivo porque hei-de morrer.
Porque morrendo, o viver
Me assegura a esperança;
Morte do viver s’alcança;
Vem depressa em meu socorro,
Que morro porque não morro.

Olha que o amor é forte;
Vida, não sejas molesta,
Olha que apenas te resta
Para ganhar-te o perder-te;
Vem depressa doce morte
Acolhe-me em teu socorro
Que morro porque não morro.

Do Alto, aquela vida
Que é a vida prometida,
Até que seja perdida
Não se tem, estando viva;
Morte não sejas esquiva;
Vem depressa em meu socorro,
Que morro porque não morro.

Vida, que posso eu dar
A meu Deus que vive em mim
Se não é perdeste enfim
Para melhor O gozar?
Morrendo O quero alcançar,
Pois nele está meu socorro
Que morro porque não morro.

António Mexia Alves disse...

Sem pretender corrigir-te neste teu belo memorial, lembro-te que, na realidade, fomos dez irmãos.
O último, o Afonso, viveu poucas horas para ir - com tempo - preparar-nos um lugar a todos.
É o primeiro Santo entre os dez!

Graças a Deus!!!

joaquim disse...

Beijinho Rita!

Obrigado!

joaquim disse...

Meu amigo Padre José António

Obrigado.

Não conhecia este poema de Santa Teresa.

Belo, profundo, apacificador, exaltante, sempre actual.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

É verdade António, lembras-te e corrigiste bem.

Assim foi porque Deus assim o entendeu.

Se assim não tivesse sido não seria eu o "benjamim"!

Estão os Santos no Céu a preparar o caminho para os pecadores.

Um abraço, meu irmão.

JPR disse...

Que bom é a certeza da nossa fé, seguros e cheios dela conseguimos ver coisas que aqueles que a renegam infelizmente não vêem. O Senhor na Sua doçura acolheu a Mena e conforta a família no amor e na firmeza da fé. Louvado seja Deus Nosso Senhor!

Filha de Maria disse...

Amigo Joaquim;

Gostava de ter palavras muito bonitas de conforto, para te deixar... mas não tenho. Aliás... nunca sei o que dizer e então escolho dar um abraço. Na impossibilidade evidente de o fazer, digo-te apenas: estou aqui!

Na verdade; acabas por ser tu mesmo a presentear-nos com este testemunho de vida familiar maravilhoso... e sabes do que falo, não sabes?

Beijinho fraterno

joaquim disse...

Obrigado João Paulo, pela sua amizade e pelas suas orações.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado "Filha de Maria"

Sei bem do que falas!

Deus é grande e infinitamente bom.

Um abraço amigo em Cristo

Constança C. disse...

Obrigada Tio pelas memórias e sorrisos que vai trazendo até nós.
Um beijinho

joaquim disse...

Olá Constança!

Dá-me muita alegria ver a minha sobrinha (neta) por aqui.

Obrigado.

Um beijo muito amigo

Ailime disse...

Amigo Joaquim,
Grata por desta forma tão nobre, testemunhar a sua enorme Fé.
Também acredito que sua irmã está feliz e protegendo-os a todos.
Que o Espírito Santo lhe continue a dar alento e a toda a sua Família.
Abraço fraterno.
Ailime

joaquim disse...

Obrigado amiga Ailime.

É mais uma intercessora por nós.

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Rezemos aqui, para nos encontrarmos Lá.

joaquim disse...

É graça de Deus, mas rezando e fazendo a vontade de Deus, lá estaremos Paulo!

Um abraço amigo em Cristo