segunda-feira, 2 de julho de 2012

CRISMA, UM INÍCIO DE FUTURO

.
.






Este Domingo, 1 de Julho, os jovens a quem tenho dado catequese nos últimos quatro anos, foram crismados.
Foi um dia de muita alegria, para eles e também, e muito, para mim.

No Sábado, dia de ensaio geral para a cerimónia, surpreenderam-me, (verdadeiramente), com um trabalho feito por eles, no qual, em redor de uma fotografia em grupo, impuseram as palmas das mãos, escrevendo os seus nomes no interior.
Ofereceram-me ainda uma caneta, gravada com “Catequizandos 2008/2012”.

No quadro acima referido, escreveram:
«Joaquim. Ao longo destes 4 anos foste amigo, conselheiro, “pai” e catequista.
Ensinaste-nos a viver de outra forma, com a partilha de experiências, conhecimentos e emoções.
Contigo crescemos na Fé.
Obrigada por tudo! Ficarás para sempre no nosso coração.»

Poderão, os que me lerem, perceber o meu orgulho!
Poderão talvez perceber, sobretudo, o meu orgulho nestes jovens e, talvez mais do que isso, o amor que lhes tenho.
Escolhi a palavra amor, porque é mesmo amor que lhes tenho, como uma pertença deles a mim e eu a eles.

Talvez devesse sentir-me pelo menos um pouco realizado nesta missão que Deus quis colocar nas minhas mãos.
Mas não, não sinto essa “realização”!
Sinto sim que acabou uma etapa, mas reconheço que começa agora outra, bem mais difícil, bem mais exigente, que é conseguir levar por diante o grupo de oração e partilha, que lhes propus e que eles me disseram querer aceitar.

Mas é agora este caminho, que já não almeja uma meta prevista no tempo, (como o Crisma, por exemplo), que exige deles e de mim novas vivências, novos saltos na fé, novas dúvidas e desânimos, e sobretudo, muita tenacidade e fortaleza.

Mas dou graças a Deus porque não estaremos sozinhos, porque não caminharemos sozinhos, porque o Espírito Santo agora derramado, se faz presente em cada sua/nossa oração, em cada sua/nossa alegria, em cada sua/nossa vitória, e também, em cada seu/nosso tropeçar, em cada seu/nosso fraquejar, em cada seu/nosso duvidar, para nos levantar, para nos dar forças, para nos dar o discernimento da e na Fé.

O Espírito Santo fará com que cada oração, cada vitória, cada alegria, seja de todos, e vivida por todos, e assistirá a todos, no tropeçar, no fraquejar, no duvidar, que será de todos e não apenas de um.

Muitos dirão que estou a sonhar!
Mas eu respondo que não, não estou a sonhar!
Estou a acreditar que se abrirmos decididamente as portas dos nossos corações a Deus, em comunhão de oração e partilha, (seja qual for a vida que cada um vai viver no futuro), poderemos ultrapassar as dificuldades, as armadilhas do mundo, e encontrarmos já nele, a alegria da presença de Deus em nós e connosco.

Apetece-me gritar como João Paulo II, para eles e para mim: «Não tenhais medo!»


Marinha Grande, 2 de Julho de 2012
.
.

12 comentários:

António Mexia Alves disse...

Sonhar?
Sim... é como de um sonho que eu acordo para esta realidade que me enche de alegria!
Sim... é como de um sonho que desperto para abundância de Graça que, tendo-te como instrumento, o Senhor continua a derramar!
E, bem 'acordado' só digo: GRAÇAS A DEUS!

Concha disse...

Que alegria!Poder assim contribuir para orientar jovens.Os jovens hoje merecem mais que nunca que a igreja tenha propostas de vida,porque os pais nem sempre estão assim tão presentes.
Quanto à continuidade desta comunhão,é de certeza um sonho,mas a concretização de um sonho depende muito daquilo que nele colocamos.Por isso, desejo a todos muita força, sempre com a certeza de que quando temos o Espírito Santo,tudo podemos n'Ele.
Abraço na Paz

Anónimo disse...

Obrigado Joaquim por estes quatro anos
Ass: Rita Margarida

joaquim disse...

Obrigado António!

Tudo e sempre para a glória de Deus.

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado Concha!

É no Espírito Santo que confio!

Sem Ele nada será possível!

Um abraço amigo em Cristo

joaquim disse...

Obrigado eu, Rita, por tudo o que também aprendi convosco.

Um beijo amigo em Cristo

Jose M Ferreira disse...

Olá Joaquim;

Desta vez não devo passar por aqui sem deixar sinais da minha presença. Porque esta página também a mim me diz alguma coisa. Porque já passei por estas situações.
Se, no momento, rejubilas por aquilo que destes a esses jovens da foto, no meu caso não posso dizer o mesmo. À medida que os anos passam, alguns deles «resvalaram» e não conseguiram manter-se no caminho.
Não estou a prenunciar que com esse grupo isso vai acontecer. Mas a culpa, às vezes, também é nossa (minha), porque não os acompanhamos devidamente.
Rejubilo contigo o momento que constituiu o fim de uma etapa. Mas outras se seguem...
Como não há espaço para mais (haver há, mas não é momento adequado) fico por aqui...
Um abraço,

JM Ferreira

joaquim disse...

Meu caro amigo José

Obrigado pelas tuas palavras.

Por isso mesmo que dizes é que estou a envidar todos os esforços para continuar com esta juventude um grupo de oração e partilha, que nos ajude a continuar nos caminhos de Deus em Igreja.

Um abraço amigo em Cristo

Paulo disse...

Fico feliz por ti

joaquim disse...

Caro Paulo, obrigado!

Um abraço amigo em Cristo

Ailime disse...

Olá amigo Joaquim,
Começo pelo fim. E é esse exemplo de Fé e esse grito que é preciso passar aos jovens "Não tenhais medo"!
O Espírito Santo ilumina o caminho daqueles que amam o Senhor!
Estou convicta de que irão continuar todos juntos a caminhar na senda de Cristo.
Abraço fraterno.
Ailime
(E já agora Parabéns pelo trabalho realizado. É digno de louvor)

joaquim disse...

Obrigado Ailime!

Assim espero que tudo continue, para bem deles e meu, também.

Um abraço amigo em Cristo