domingo, 14 de agosto de 2016

FOGO DIVINO

.
.




Vem,
ó fogo divino,
que queimas o mal,
e alumias o bem.

Vem,
ó fogo divino,
que purificas a terra,
para que nela nasça a nova planta,
a planta do amor,
fruto da nova semente,
plantada pela dor,
na cruz do nosso Salvador.

Vem,
ó fogo divino,
e queima em mim o que não presta,
purifica-me de todo o mal,
ilumina-me no caminho,
e faz do que em mim resta,
uma nova criatura,
toda voltada para Deus!




Marinha Grande, 14 de Agosto de 2016 
Joaquim Mexia Alves
.
.

2 comentários:

António Mexia Alves disse...

Como gostaria de ter sido eu a escrever estes versos.
Forte tu, meu querido irmão o que, para mim, éa mesma coisa.

joaquim disse...

Um abraço enorme